Dono de carreta que causou acidente com 22 mortes é preso

A Polícia Rodoviária Federal (PRF) disse que a carreta transportava uma carga além da permitida e estava com pneu careca. Vinte e duas pessoas morreram no acidente.

23/06/2017 17:54h

Compartilhar no

Um dos donos da Jamarle Transportes, empresa responsável pela carreta que causou o acidente que deixou 22 pessoas mortas, nesta quinta-feira (22), na BR-101, em Guarapari, foi preso em flagrante. A informação foi divulgada pela assessoria de imprensa da Secretaria de Segurança Pública do Espírito Santo (Sesp), na tarde desta sexta-feira (23).

A tragédia na BR-101, em Guarapari, aconteceu após a colisão entre a carreta, um ônibus de viagem e duas ambulâncias, no início da manhã desta quinta. A Polícia Rodoviária Federal (PRF) disse que a carreta transportava uma carga além da permitida e estava com pneu careca. O governo do estado decretou luto de três dias. Esta foi a pior tragédia em rodovias da história no Espírito Santo.

A Polícia Civil não divulgou o nome do dono da empresa e nem quando aconteceu a prisão. Em entrevista ao Bom Dia Espírito Santo desta sexta, o chefe da Polícia Civil, Guilherme Daré falou sobre a investigação do caso.

“Se for provado imprudência, imperícia e negligência por parte do motorista e do dono da empresa. Seria culposo por cada uma das mortes seria apurado isso. Um único inquérito policial vai apurar todas as mortes”, disse o chefe da Polícia Civil, Guilherme Daré.

Segundo Daré, as informações que a Polícia Rodoviária Federal (PRF) já adiantou sobre o acidente indica que o dono da carreta e o motorista são responsáveis.

“Pelo que superintendente da Polícia Rodoviária Federal já adiantou que eles conseguiram colher no local sobre as condições do veículo, sim ele é responsável por tudo que ocorreu. A gente vai apurar se houve negligência, imperícia e imprudência por parte do motorista e do proprietário do caminhão. Ele (o dono) tinha responsabilidade de verificar se o veículo tinha condições de trafegar, se estava com a documentação em dia, o velocímetro aferido pelo Inmetro, ver todas as condições necessárias para que o veículo tinha condições de trafegar, se estava com a documentação em dia”, afirmou Daré.

Outro lado

A empresa dona da carreta, Jamarle Transportes Ltda EPP, se pronunciou, em nota, dizendo que lamenta o acidente. “Neste momento, apesar da grande repercussão do acidente, não podemos nos precipitar em apontar as causas ou culpados do evento, sendo prudente aguardar o resultado das investigações”, diz a Jamarle.

Compartilhar no
Fonte: G1

É permitida a reprodução deste conteúdo (matéria) desde que um link seja apontado para a fonte!


Deixe seu comentário