• TV O DIA - fullbanner w3b
  • TV O Dia - fullbanner

Notícias Brasil

31 de dezembro de 2018

Veja dicas de hospedagem e transporte para economizar nas férias

As passagens aéreas estão entre os itens mais caros, mesmo com as mudanças no setor.

A crise econômica mudou os hábitos dos brasileiros na hora de viajar. Destinos internacionais que estavam ao alcance já não são mais acessíveis. Até mesmo as rotas nacionais podem pesar no bolso.

As passagens aéreas estão entre os itens mais caros, mesmo com as mudanças no setor, que passou a cobrar pelas bagagens alegando venda de bilhetes a preços populares, o que não ocorreu.

Para alguns destinos, houve alta de 50% no valor em relação ao verão passado, segundo pesquisa do Agora.

"O câmbio é o que mais influencia nas viagens de avião, seja no preço das passagens ou nos de pacotes internacionais", explica Larissa Resende, professora do curso de Turismo da Universidade Anhembi Morumbi, lembrando a disparada do dólar neste ano.

Com o aumento, as opções de viagens mudaram. Quem ia para fora está optando por ficar no país. Estimativa do Ministério do Turismo mostra que haverá alta de 2% nas viagens no Brasil, chegando a 75,5 milhões entre dezembro de 2018 e fevereiro de 2019.

Já a Abav (Associação Brasileira de Agências de Viagens) projeta crescimento entre 18% e 20% nas vendas.

Quem deixou para a última hora tende a pagar mais caro, mas há como economizar.

"Viajar no estado, usando o carro e escolhendo cidades do interior com boa infraestrutura, são opções", diz Larissa Resende.

Outra dica da especialista é optar por hospedagem alternativa, utilizando a plataforma Airbnb, por exemplo.

Os responsáveis pela ferramenta de busca Kayak afirmam que, sem planejamento, o melhor mesmo é escolher um destino nacional. Em relação à hotelaria, a dica é ficar atento ao perfil do hotel. Os corporativos são mais caros durante a semana, enquanto os de lazer têm preço maior no fim de semana.

Larissa Rsende diz ainda que buscar uma agência de viagens pode ser um caminho para conseguir ofertas de última hora.

"Às vezes há desistências e o viajante consegue um bom desconto em um pacote."

30 de dezembro de 2018

Suspensão de habilitação por dirigir embriagado dispara no estado de SP

Segundo os dados do Detran, o crescimento no número de processos de suspensão foi mais acentuado na capital.

O número de processos de suspensão de CNH (Carteira Nacional de Habilitação) por embriaguez ao volante explodiu entre janeiro e novembro deste ano no estado de São Paulo, na comparação com igual período dos dois últimos anos. Segundo dados do Detran, obtidos por meio da Lei de Acesso à Informação, foram 79.995 casos no estado nos primeiros 11 meses deste ano, o que dá uma média de 240 processos por dia. Na comparação com o mesmo período do ano passado (61.532 suspensões), o aumento foi de 30%.

A abertura do processo acontece por meio da publicação da portaria de suspensão da carteira de habilitação. Ela é o primeiro passo para que o motorista que bebeu e assumiu o volante perca o direito de dirigir por um ano após ter sido flagrado. O autuado pode recorrer, mas na maioria dos casos acaba tendo a CNH suspensa.  Segundo os dados do Detran, o crescimento no número de processos de suspensão foi mais acentuado na capital. Em 2017, de janeiro a novembro, o Detran suspendeu 15.260 carteiras de habilitação por alcoolemia. Já neste ano foram 21.279 suspensões, alta de 39,4%.

Segundo a Polícia Militar, foram submetidos ao bafômetro neste ano, entre janeiro e novembro, 235.910 motoristas só em operações do CPTran (Comando de Policiamento de Trânsito), fora aquelas dos batalhões de área. Desses, 18.870 foram autuados por embriaguez ao volante (1 em cada 12).


Foto: Reprodução

O analista de departamento pessoal Fernando Luís de Siqueira Gazola, 40 anos, passou ontem de madrugada por uma blitz realizada pela PM e foi aprovado. "Nunca bebi. Quando saía com os amigos, sempre fui o motorista e acho que salvei muita gente. O pessoal voltava acabado e eu estava atento", disse.

Desde abril, aumentou a punição para o motorista alcoolizado que provoca acidente com morte ou lesão corporal. Anteriormente, a pena ia de 2 a 4 anos de prisão. Agora, é de 5 a 8 anos, sem direito a fiança. Casos de lesões graves ou gravíssimas, antes punidos com 6 meses a 2 anos de detenção passaram a ter pena de 2 a 5 anos. O Detran diz que dados mostram que 94% dos acidentes fatais são causados por falha humana, entre elas consumo de álcool.

Em relação aos dados, o Detran informa que o aumento no total de processos abertos contra condutores se deve à ampliação constante da fiscalização da Lei Seca em todo o estado. De 2013 a 2018, o total de veículos fiscalizados apenas pelo Programa Direção Segura, coordenado pelo Detran, passou de 12.746 para 89.725, avanço de 604%. O total de condutores autuados passou de 1.226 para 4.664 (280%).

Ainda segundo o órgão, a autuação de condutores embriagados no estado caiu para o menor nível desde 2013, quando o programa foi criado, se comparado com o total de veículos fiscalizados. Em 2018 (até 22 de dezembro) foi registrada 1 autuação a cada 19,2 veículos fiscalizados. Em 2013, essa proporção era de 1 para 10,3 fiscalizações.

Apostas para Mega da Virada podem ser feitas até segunda-feira

O prêmio estimado é de R$280 milhões e os apostadores podem tentar a sorte até às 16 horas de amanhã

Faltando um dia para o fim do prazo de apostas, já foram registrados mais de 90 milhões de jogos na 10ª edição da Mega da Virada. O volume representa uma arrecadação superior a R$ 548 milhões.

Para concorrer ao prêmio estimado em R$ 280 milhões, apostadores ainda podem tentar a sorte até às 16h da segunda-feira (31) em qualquer lotérica do país ou no Portal Loterias Online.

Pela internet, o valor mínimo exigido para apostas por dia é de R$ 30,00 e o máximo de R$ 500,00. Titulares de conta corrente na Caixa podem fazer jogos pelo computador, tablet ou smartphone utilizando o Internet Banking.

A aposta simples custa R$ 3,50, mas há outras modalidades que podem ampliar as chances para quem sonha em receber o dinheiro. Uma das maneiras é reunir grupo de apostadores e escolher os números da aposta e marcar a quantidade de cotas. São gerados recibos de cota para cada participante e, em caso de premiação, cada apostador poderá resgatar a sua parte do prêmio individualmente.

Um bolão com dez pessoas para um jogo de 10 números, por exemplo, tem custo individual de R$ 73,50. Se o jogo for contemplado, cada apostador do grupo receberá R$ 28 milhões.

De acordo com a Caixa, responsável pela loteria, a probabilidade de acerto da aposta simples de seis números é de uma em 50 milhões. Já no caso da aposta de 10 números, aumenta para uma em 238 mil. O apostador também pode adquirir cotas de bolões organizados pelas lotéricas.

Às vésperas da posse, 90% da rede hoteleira do DF está ocupada

Em Brasília são cerca de 16 mil vagas em hotéis e pousadas

Às vésperas da cerimônia de posse do presidente eleito, Jair Bolsonaro, em 1º de janeiro, quem vier a Brasília pode ter dificuldades de hospedagem. É que a ocupação hoteleira já passa dos 90%, segundo o Sindicato de Bares e Restaurantes do Distrito Federal (Sindhobar). No DF, são cerca de 16 mil vagas em hotéis e pousadas.

Em meio à expectativa para a cerimônia, os hotéis, bares e restaurantes da cidade se organizaram para ampliar as possibilidades para o réveillon. O presidente do Sindhobar, Jael da Silva, afirmou que os empresários decidiram não fechar as portas no dia 1º como normalmente ocorre.

“Este ano uma boa parte dos restaurantes resolveu abrir. Assim, quem vier para posse terá mais opções”, disse Jael Silva, acrescentando que os responsáveis pelo setor se organizaram para evitar a falta de hospedagem.

Alternativas

Responsável por uma caravana de 50 pessoas que vem do Recife, em Pernambuco, o jornalista Wilker Cavalcante sairá neste sábado (29) em direção a Brasília. De acordo com ele, a escolha para hospedagem foi deixada livre para que cada um decidisse onde ficar.

Wilker Cavalcante contou que a maioria optou por pousadas e hoteis mais modestos para reduzir os gastos. “Justamente para buscar reduzir o valor a gente buscou alternativas tipo hostel e acampamento”, afirmou.

Também integrando uma caravana, o advogado Renato Araújo virá de São Gonçalo, na região metropolitana do Rio de Janeiro, para a Brasília em um ônibus fretado para sua família e amigos. Eles decidiram ficar em Taguatinga, a 24 quilômetros da Esplanada dos Ministérios onde ocorrerá a cerimônia. O local costuma ser mais barato do que o Plano Piloto. 

Com chegada do Réveillon, alerta é festejar sem abusar do álcool

Nesta época, aumenta flagrantes de motoristas dirigindo alcoolizados

Na festa da virada do ano, o lema deve ser comemorar, mas sem abusar do consumo de álcool, principalmente para quem for dirigir. Dirigir alcoolizado é a segunda maior causa de acidentes no trânsito. No feriado do Natal deste ano, a Polícia Rodoviária Federal (PRF) registrou 1.907 autos de infração de motoristas, nas estradas do país, que estavam dirigindo após ingerir bebida alcoólica, o que corresponde a um flagrante a cada 21 testes.

Para inibir essa prática, o Código de Trânsito Brasileiro ampliou a pena de detenção para quem provocar mortes conduzindo alcoolizado - de 2 a 4 anos para 5 a 8 anos de reclusão. De acordo com o coordenador da Operação Lei Seca no estado do Rio de Janeiro, Marco Andrade, o final do ano e o carnaval são os períodos com mais acidentes com morte no trânsito. “A bebida traz grande contribuição para o aumento do número de mortes no trânsito neste período", disse Andrade.

Até a próxima terça-feira (1º), serão 56 ações de fiscalização no estado e preventivas. "É importante comemorar as festas de fim de ano, se divertir, mas se organizar na forma de voltar para casa de uma maneira mais segura”, ressaltou.

Bebida em excesso

O psiquiatra Jorge Jaber, membro da Associação Brasileira de Psiquiatria (ABP) e especializado em dependência química, acredita que o abuso do álcool nas festas de fim de ano têm ligação com problemas de relacionamento social. Segundo o especialista, há quem esteja passando por momento complicado e utilize a bebida alcóolica para esquecer o incômodo.

"O álcool leva à possibilidade de descontrole e isso se manifesta nas festas, atingindo o objetivo contrário ao que o evento se propõe”, disse.

Para se divertir no Réveillon, os cuidados apontados pelo psiquiatra são: não dirigir embriagado, manter-se bem hidratado, procurar se alimentar com comidas leves, evitando as gordurosas; e diminuir o tempo de exposição ao sol.

29 de dezembro de 2018

Aeroporto de Brasília pede reforço na segurança por causa da posse

A Inframerica - que administra o terminal - pediu o reforço de autoridades de segurança ao longo desse período. As polícias Federal, Militar e Civil aumentaram o efetivo no local.

A posse do presidente eleito Jair Bolsonaro, em 1º de janeiro, intensificou o movimento de turistas em Brasília. Desde a última quinta-feira (27) até o dia 2 de janeiro, a expectativa é que, apenas no Aeroporto Internacional de Brasília, sejam registrados mais de 2,3 mil pousos e decolagens.

A Inframerica - que administra o terminal - pediu o reforço de autoridades de segurança ao longo desse período. As polícias Federal, Militar e Civil aumentaram o efetivo no local. O terminal e arredores também estão sendo monitorados por equipes do Batalhão de Policiamento com Cães (BPCães) e agentes do Batalhão de Trânsito (BPTrans).

O aeroporto, que já tem uma base fixa militar e mais de 1.300 câmeras de monitoramento, ainda intensificou a segurança com funcionários da vigilância privada da concessionária. “As equipes acabaram de passar por treinamento de técnica antiterrorismo com o exército brasileiro”, destacou a concessionária em nota.

O maior movimento deve ocorrer 1º de janeiro com a chegada de autoridades, convidados e pessoas interessadas em acompanhar a cerimônia, mas a Inframerica também espera um maior fluxo por conta do retorno de passageiros que comemoraram as festas de final de ano em outras cidades e retornam para Brasília.

Para evitar transtornos, a orientação é para que passageiros cheguem para seus voos com duas horas de antecedência para embarques domésticos e três horas para os internacionais.

Família que passaria o fim de ano no Piauí morre em grave acidente

Segundo a PRF, o carro de passeio colidiu frontalmente com um ônibus intermunicipal na BR-020, próximo próximo a Formosa em Goiás.

Um grave acidente entre um carro e um ônibus resultou na morte de cinco pessoas. Segundo informações, as vítimas fatais estavam dentro de um carro de passeio, em direção ao Piauí, quando colidiram frontalmente com um ônibus neste sábado (29), na BR-020, próximo a Formosa em Goiás. 

De acordo com a Polícia Rodoviária Federal (PRF), três homens e duas crianças estavam dentro do veículo. Até o momento, quatro das cinco vítimas foram identificadas, são elas: Dionísio Cleidiomar Sousa, 27 anos, e o seu filho, de apenas quatro anos, e Edmilson de Castro Silva, 45 anos, e sua filha Ana Karine, de apenas 10 anos. 

Por conta do impacto do acidente, o carro ficou todo amassado. No ônibus, que ia de São Raimundo Nonato com direção a São Paulo, apenas o motorista ficou levemente ferido. 


Situação do carro após o acidente. Foto: Reprodução/CGNotícias

Segundo a PRF, a suspeita é de que o condutor do veículo de passeio teria realizado uma ultrapassagem indevida quando colidiu frontalmente com o ônibus, que o levou a sair da pista. A dinâmica do acidente ainda está sendo investigada pela polícia. 

Na tarde de ontem (28), antes de sair de casa, uma das vítimas do acidente publicou em uma sua rede social, um registro de dentro do veículo com os demais passageiros dizendo que estavam em direção ao Piauí para passar as festas de fim de ano. 


Foto: Reprodução


"Mais Médicos vive uma crise de improvisações", diz futuro ministro

Com dificuldade de preencher as vagas deixadas pelos cubanos, o Ministério da Saúde prorrogou o prazo para escolha de vagas por médicos formados fora do país .

O ministro da Saúde do próximo governo, Luiz Henrique Mandetta, disse hoje (28) que o Programa Mais Médicos será completamente revisto na próxima gestão. Ele garantiu que vai aguardar o processo de reposição das vagas iniciado pelo atual governo após a saída de 8,5 mil médicos cubanos, mas criticou o programa pelo que chamou de "improvisações" adotadas desde a sua criação.   

"Vamos aguardar o que esse governo vai concluir [de reposição das vagas], porque a gente já fez reuniões. O entendimento deles começa de um jeito e [depois] muda. A característica desse Programa Mais Médicos é de improvisações, uma atrás da outra, desde o dia que ele foi instalado até o dia de hoje. O programa está vivendo uma crise das improvisações", disse. Ele criticou, por exemplo, o fato de o convênio para atuação dos médicos cubanos não ter previsto um processo de rescisão com saída gradual dos profissionais.

"Como você faz um convênio com o país, no caso Cuba, através da Opas [Organização Panamericana de Saúde], em que não se prevê nem o distrato? Quando você faz o aluguel da sua casa, quando você vai devolver [o imóvel], você tem as condições pelas quais você termina. Quando você está trabalhando, você tem até aviso prévio. Então é um programa tão no improviso que nem as condições de como termina o programa foram pensadas", criticou. 

Vagas disponíveis

Foto: Reprodução

Com dificuldade de preencher as vagas deixadas pelos cubanos, o Ministério da Saúde prorrogou o prazo para escolha de vagas por médicos formados fora do país e que já enviaram documentação para participar do programa. Agora, brasileiros graduados no exterior têm até os dias 23 e 24 de janeiro para selecionarem os municípios de alocação. 

Nessa etapa, foram disponibilizadas 842 vagas em 287 municípios e 26 Distritos Sanitários Especiais Indígenas (DSEI). Os postos abertos são referentes às localidades não ocupadas na segunda seleção aberta para médicos que possuem registro no Brasil. Dados do ministério apontam que 1.707 profissionais escolheram localidades. Eles devem se apresentar entre os dias 7 e 10 de janeiro. Para Mandetta, outro problema do Mais Médicos é não dar prioridade para o preenchimento de vagas nas áreas de difícil provimento, fazendo com que regiões com maior grau de desenvolvimento acabem recebendo os profissionais antes das que mais precisam.

"Tem cidades com IDH [Índice de Desenvolvimento Humano] muito alto, em que, em tese, não precisaria de médicos estrangeiros, mas onde você teve a substituição completa [dos médicos cubanos], e cidades do chamado Brasil profundo, onde tem populações ribeirinhas, distritos sanitários indígenas, onde vocês tem difícil provimento, então por que não começar pelas áreas de difícil provimento?", disse. 

Ainda segundo Mandetta, por causa dessa distorção, a primeira cidade com preenchimento de vagas no programa foi Brasília, que seria uma inversão de prioridade, na sua visão. "Não me parece que Brasília seja uma cidade hipossuficiente, uma cidade com IDH elevadíssimo, capital da República, tem um poder aquisitivo muito alto. O programa como um todo vai ter que ser rediscutido", disse. 

Apostas para Mega da Virada podem ser feitas até segunda-feira

Para concorrer ao prêmio estimado em R$ 280 milhões, apostadores ainda podem tentar a sorte até as 16h da próxima segunda-feira (31).

Faltando menos de três dias para o fim do prazo de apostas, já foram registrados mais de 90 milhões de jogos na 10ª edição da Mega da Virada. O volume representa uma arrecadação superior a R$ 548 milhões.

Para concorrer ao prêmio estimado em R$ 280 milhões, apostadores ainda podem tentar a sorte até as 16h da próxima segunda-feira (31) em qualquer lotérica do país ou no Portal Loterias Online.

Pela internet, o valor mínimo exigido para apostas por dia é de R$ 30,00 e o máximo de R$ 500,00. Titulares de conta corrente na Caixa podem fazer jogos pelo computador, tablet ou smartphone utilizando o Internet Banking.

A aposta simples custa R$ 3,50, mas há outras modalidades que podem ampliar as chances para quem sonha em receber o dinheiro. Uma das maneiras é reunir grupo de apostadores e escolher os números da aposta e marcar a quantidade de cotas. São gerados recibos de cota para cada participante e, em caso de premiação, cada apostador poderá resgatar a sua parte do prêmio individualmente.

Um bolão com dez pessoas para um jogo de 10 números, por exemplo, tem custo individual de R$ 73,50. Se o jogo for contemplado, cada apostador do grupo receberá R$ 28 milhões.

De acordo com a Caixa, responsável pela loteria, a probabilidade de acerto da aposta simples de seis números é de uma em 50 milhões. Já no caso da aposta de 10 números, aumenta para uma em 238 mil. O apostador também pode adquirir cotas de bolões organizados pelas lotéricas.

28 de dezembro de 2018

Polícia Rodoviária Federal iniciou hoje Operação Ano Novo

Polícia Rodoviária Federal iniciou hoje Operação Ano Novo

Nos próximos cinco dias, a corporação vai intensificar ações na tentativa de coibir condutas que resultam em acidentes de maior gravidade.

A Polícia Rodoviária Federal (PRF) iniciou hoje (28) a Operação Ano Novo. O objetivo é prevenir e reduzir a ocorrência de acidentes graves, aumentar a segurança e intensificar as ações de combate ao crime durante o período de maior movimentação nas rodovias, que segue até as 23h59 da próxima terça-feira (1º).

Nos próximos cinco dias, a corporação vai intensificar ações na tentativa de coibir condutas que resultam em acidentes de maior gravidade, como o excesso de velocidade, as ultrapassagens indevidas, a embriaguez ao volante, o não uso do cinto de segurança e do sistema de retenção para crianças, além do trânsito irregular de motocicletas e ciclomotores.

“Atividades de educação para o trânsito também serão reforçadas a fim de sensibilizar os cidadãos da importância de condutas defensivas para a prevenção e redução da violência no trânsito”, informou a PRF.


Foto: Marcello Casal jr/Agência Brasil

Haverá ainda reforço no policiamento e as equipes de plantão serão posicionadas em horários e locais de maior incidência de acidentes para garantir a segurança e a fluidez no trânsito. Seguem as dicas divulgadas pela PRF para uma viagem segura:

- Planeje sua viagem. Conheça as distâncias, os pontos de parada, se informe sobre os postos de combustíveis e restaurantes à beira da estrada.
- Viaje descansado.
- Faça revisão no seu veículo. O check-up do automóvel é fundamental, mesmo quando as distâncias percorridas são pequenas. Mantenha os faróis acesos para ver e ser visto; pneus calibrados e em bom estado; verifique as condições do limpador de para-brisas.
- Observe as placas que indicam o limite de velocidade e as condições de ultrapassagem. Respeite a sinalização e as normas do Código de Trânsito Brasileiro.
- Informe-se sobre a previsão do tempo nos lugares por onde vai passar.
- Se surgir algum problema durante a viagem, ligue para a PRF por meio do 191.

Justiça de Goiás recebe denúncia contra João de Deus

Justiça de Goiás recebe denúncia contra João de Deus

A denúncia, segundo a promotora Gabriella de Queiroz, foi feita com base em quatro crimes, dois delitos de violação sexual mediante fraude e dois crimes de estupro de vulnerável.

O Ministério Público de Goiás (MP-GO) enviou ao Tribunal de Justiça do estado (TJ-GO), hoje (28), denúncia contra o médium goiano João Teixeira de Faria, o João de Deus. Segundo o tribunal a denúncia foi feita por violação sexual e estupro de vulnerável. O TJ-GO confirmou o recebimento da denúncia e disse que “está em mesa para análise”. O caso corre em segredo de Justiça.  

João de Deus é acusado de ter cometido crimes de abusos sexuais contra mulheres que frequentaram a casa onde oferece atendimento espiritual. O Ministério Público apura mais de 250 casos. Ele nega as acusações.

A denúncia, segundo a promotora Gabriella de Queiroz, foi feita com base em quatro crimes, dois delitos de violação sexual mediante fraude e dois crimes de estupro de vulnerável. Todos ocorreram em 2018 com brasileiras.

As duas investigações consideradas na denúncia envolviam o universo total de 19 vítimas. Cinco delas precisam ainda de diligências complementares, por isso foram instaurados novos procedimentos para a conclusão das mesmas. Os demais dez casos estão ou decaídos ou prescritos.

O caso mais antigo é de 1975 e o mais recente, de maio de 2018. “Falando em linguagem leiga, o direito penal não alcança mais a punição desses fatos, não podemos mais buscar uma punição pelo direito penal”, explica a promotora. Apesar disso, os casos foram relatados também na denúncia.


Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil

Segundo a promotora, os relatos e as provas depõem contra o médium: "É uma infinidade de elementos que trazem essa certeza para o MP que a negativa do acusado não é verossímil". 

"São depoimentos críveis, depoimentos muito homogêneos, grande parte das vítimas consegue provar que estiveram no local, que passaram por atendimento feito pelo investigado. Existem pessoas que acompanhavam [as vítimas] no dia ou que logo após os fatos ocorrerem foram pessoas que ouviram desabafos que foram velados. Existem psicólogos e psiquiatras que fizeram o acompanhamento quando os fatos aconteceram e que emitiram laudos de que esse relato é fidedigno. Existem presentes que foram entregues a essas vítimas, que foram apresentados às autoridades policiais e MP", acrescenta. 

Essa é uma primeira denúncia, de acordo com Gabriella. Há ainda mais de mais de 100 investigações ativas somente no MP. Vítimas estão agendadas até janeiro para prestar depoimentos. Alguns casos "muito maduros", com muitas informações, poderão dispensar inquérito policial e poderão já serem transformados em denúncias. 

Investigações

O médium está preso em caráter preventivo desde o dia 16 de dezembro, quando se entregou às autoridades policiais. Ele está em uma cela de 16 metros quadrados do Complexo Prisional de Aparecida de Goiânia (GO).

A denúncia foi concluída após o MP-GO ouvir testemunhas. Nessa quarta-feira (26), o próprio médium prestou depoimento aos promotores da força-tarefa do MP-GO que investiga as acusações de crimes sexuais apresentadas por centenas de mulheres do Brasil e do exterior. Ele voltou a afirmar que nunca cometeu nenhum abuso contra frequentadores do centro espírita Casa Dom Inácio de Loyola, em Abadiânia (GO).

A esposa do médium, Ana Keyla Teixeira, também poderá ser indiciada. Ela prestou depoimento também na quarta na Delegacia de Proteção à Criança e ao Adolescente, em Goiânia. Segundo a delegada Paula Meotti, que integra a força-tarefa que investiga o caso na Polícia Civil, há indícios de que ela sabia do que ocorria dentro de casa.

“Ela pode ser indiciada, não temos como antecipar. Existe possibilidade real. Um dos pontos é a questão das armas no quarto do casal, que era muito facilmente identificável. Não tem como negar que tivesse ciência e há indício que inclusive seja propriedade dela”, disse Paula à Agência Brasil, nessa quinta-feira (27).

No depoimento à polícia, Ana Keyla negou qualquer envolvimento e disse que não sabia sobre armas, munições ou dinheiro. Disse ainda que nunca tinha ouvido falar sobre nenhum abuso sexual que possa ter sido cometido pelo marido. Segundo a delegada, ela pode ser indiciada como coautora ou partícipe, o que pode levar a, caso condenada, a cumprir uma pena de 3 a 6 anos de prisão.

Nesta semana, a polícia segue as investigações. Segundo Paula, são quatro os inquéritos abertos na polícia civil que investigam os crimes praticados por João de Deus.

Bolsonaro diz que Brasil e Israel devem aprofundar parcerias no futuro

Bolsonaro diz que Brasil e Israel devem aprofundar parcerias no futuro

Netanyahu e Bolsonaro almoçaram no Forte de Copacabana, no Rio de Janeiro. O primeiro-ministro veio ao Brasil para a posse do presidente eleito, na próxima terça-feira (1º).

O presidente eleito, Jair Bolsonaro, disse hoje (28) que Brasil e Israel devem ser “irmãos no futuro”, com parcerias em diversas áreas. “Aprofundamos mais um pouco as nossas intenções. Mais do que parcerias, sermos irmãos no futuro, na economia, em tecnologia, em tudo aquilo que possa trazer benefícios para os dois países”

Netanyahu e Bolsonaro almoçaram no Forte de Copacabana, no Rio de Janeiro. O primeiro-ministro veio ao Brasil para a posse do presidente eleito, na próxima terça-feira (1º).

"Começamos um governo difícil a partir de janeiro, mas o Brasil tem potencialidade, tem massa humana, como a formada em nosso ministério, para que possamos vencer esses obstáculos. Em parte, precisamos sim de bons aliados, bons amigos, bons irmãos, como Netanyahu", completou Bolsonaro.

Netanyahu disse que a cooperação mútua entre os dois países pode trazer benefícios para as duas nações. "Israel é a terra prometida e Brasil é a terra da promessa. E o senhor se encabeça a boa gestão desse país para concretizar essa promessa. Israel quer ser parceiro do Brasil nessa empreitada. Entendemos que a nossa cooperação mútua pode render enormes benefícios aos nossos povos, na economia, na segurança, na agricultura, em recursos hídricos, indústria, em todos as esferas da atividade humana", disse.


Foto: Fernando Frazão/Agência Brasil

O primeiro ministro anunciou que convidou Bolsonaro para visitar Israel para "avançarmos na cooperação e parceria". Bolsonaro aceitou o convite e disse que em março visitará o país junto com um comitiva para tratar de tecnologia, agricultura, piscicultura, segurança, forças armadas.

Visita

Netanyahu desembarcou no final da manhã de hoje na Base Aérea do Galeão, no Rio de Janeiro, para uma visita de cinco dias ao Brasil. No final da tarde, Netanyahu irá à sinagoga Beit Yaakov para a cerimônia religiosa do shabat. Bolsonaro deverá acompanhar a visita. 

No domingo (30), o primeiro-ministro se reúne com jornalistas, líderes da comunidade judaica e Amigos Cristãos de Israel. Na segunda-feira (31), segue para Brasília, onde acompanhará a posse de Bolsonarono dia 1º de janeiro. Ele retorna para Israel na noite do dia 1º.

A três dias da posse, Onyx intensifica reuniões políticas

A três dias da posse, Onyx intensifica reuniões políticas

Paralelamente, os parlamentares que disputam cargos de comando na Câmara e no Senado visitam o gabinete de transição.

Às vésperas de assumir oficialmente a articulação do Executivo com o Congresso, o futuro ministro da Casa Civil, Onyx Lorenzoni, intensifica as conversas com os líderes partidários alinhados com o governo do presidente eleito, Jair Bolsonaro. O esforço é para consolidar um bloco suprapartidário capaz de aprovar as propostas encaminhadas pela futura gestão, como um eventual texto de reforma da Previdência.

Paralelamente, os parlamentares que disputam cargos de comando na Câmara e no Senado visitam o gabinete de transição. A disputa para a presidência da Câmara será definida no dia 1º de fevereiro, por voto aberto. Na corrida pela cadeira estão, entre outros, o atual presidente, Rodrigo Maia (DEM-RJ), e João Campos (PRB-GO), ambos aliados de Bolsonaro.

No começo do mês, o presidente do Democratas, Antonio Carlos Magalhães Neto (BA), ao se reunir com Onyx, pediu apoio do futuro governo à candidatura de Rodrigo Maia. Porém, o ministro informou que a gestão Bolsonaro não pretende participar da corrida pelo comando da Câmara.


Onyx Lorenzoni - Foto: Antonio Cruz/ Agência Brasil

Definição

O líder do partido de Bolsonaro na Câmara, Delegado Waldir (PSL-GO), reiterou a pauta da articulação política e disse que ainda não há um candidato do governo na disputa pela presidência da Casa. Segundo ele, o PSL não indicará um nome, mas votará conjuntamente no parlamentar que tiver o melhor alinhamento com o Planalto.

“Vamos escolher um candidato que defenda a pauta do governo. Se o PSL votar desunido, é falho. Queremos o PSL uno. Como governo, temos que mostrar nossa força e lealdade ao presidente que elegemos”, disse. O partido, que tem 53 votos na Casa, vai esperar o avanço da disputa para analisar os nomes que estarão mais fortalecidos próximo a fevereiro.

Base

João Campos esteve hoje (28), acompanhado pelo presidente do seu partido, Marcos Pereira, com o ministro da Transição, Onyx Lorenzoni. Porém, não mencionaram se houve algum tipo de sinalização em favor da candidatura do PRB. Segundo ele, o foco está em construir uma base sólida de sustentação no Congresso.

“Onyx nos comunicou que está buscando um bloco que garanta governabilidade, já que o governo terá muitas matérias importantes a serem encaminhadas para o Congresso que precisa de base de sustentação. Não estabeleceu nenhuma condição [sobre apoio à eleição para a presidência]. Pode ser até consequência [um possível alinhamento do candidato com o futuro governo], mas não foi uma condição”, afirmou.

PT e PSOL anunciam que boicotarão posse de Bolsonaro

PT e PSOL anunciam que boicotarão posse de Bolsonaro

Pelo Twitter, Juliano Medeiros, presidente do PSOL, disse que a bancada de seu partido vai se ausentar do evento.

O Partido dos Trabalhadores (PT) anunciou na manhã desta sexta-feira (28) que seus deputados e senadores não participarão da cerimônia de posse de Jair Bolsonaro (PSL). Pelo Twitter, Juliano Medeiros, presidente do PSOL, também disse que a bancada do seu partido vai se ausentar-se do evento.
Segundo nota do PT, o resultado das urnas é legítimo, entretanto "isso não impede [o PT] de denunciar que a lisura do processo eleitoral de 2018 foi descaracterizada pelo golpe do impeachment, pela proibição ilegal da candidatura do ex-presidente Lula e pela manipulação criminosa das redes sociais para difundir mentiras contra o candidato Fernando Haddad".
O partido também diz que a ausência na cerimônia é um ato de resistência, em protesto a "discursos e ações que estimulam o ódio, a intolerância e a discriminação. Não aceitamos que tais práticas sejam naturalizadas como instrumento da disputa política".


Juliano Medeiros, presidente do PSOL - Foto: PSOL/RJ

O comunicado é assinado por Gleisi Hoffmann, presidente do PT e deputada federal eleita, Lindbergh Farias, líder do PT no Senado, e Paulo Pimenta, líder do PT na Câmara.
Em seu perfil pessoal no Twitter, Juliano Medeiros, presidente do PSOL, disse: "Como é de praxe, o TSE convidou toda a bancada do PSOL para a posse do novo presidente. Mas como prestigiar alguém que despreza os direitos humanos, promete colocar o Brasil de joelhos diante dos EUA e destruir os direitos sociais? Não vamos à posse. Nossa resistência já começou".
No dia 1º, data da posse de Bolsonaro, apoiadores do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva planejam fazer um ato em frente à sede da Superintendência da Polícia Federal em Curitiba, onde Lula cumpre pena.
A assessoria do PT não confirmou se haverá a participação de parlamentares nas manifestações no dia 1º em Curitiba.
O PT possui a maior bancada na Câmara dos Deputados: são 56 deputados federais; no Senado, elegeu quatro representantes. A atual bancada do PSOL tem seis deputados e crescerá para dez na próxima legislatura.

'Israel é a Terra Prometida, e o Brasil é a terra da promessa', diz Netanyahu

'Israel é a Terra Prometida, e o Brasil é a terra da promessa', diz Netanyahu

O primeiro-ministro de Israel se encontrou com o presidente eleito Jair Bolsonaro em Copacabana.

O premiê israelense, Binyamin Netanyahu, chamou o presidente eleito, Jair Bolsonaro, de amigo durante encontro nesta sexta-feira (28) no Rio de Janeiro.
"Israel é a Terra Prometida, e o Brasil é a terra da promessa, do futuro", disse Netanyahu, o primeiro premiê de Israel em exercício a visitar o Brasil desde a fundação do Estado judaico, em 1948.
Bolsonaro afirmou que o Brasil sob seu governo pretende ser, mais do que um parceiro, um irmão de Israel.
No domingo (30), Netanyahu tem encontros com lideranças da comunidade judaica e de cristãos no Rio.
Netanyahu deixou a base aérea do Galeão, na zona norte do Rio por volta de 12h. A comitiva foi escoltada por veículos da Polícia Federal.
No hotel onde ele ficará hospedado até a próxima terça (1º), grades foram colocadas para controlar o acesso. Na terça, Netanyahu vai a Brasília para a posse de Bolsonaro.


O presidente eleito Jair Bolsonaro recebe a visita do primeiro-ministro de Israel, Benjamin Netanyahu, em Copacabana.Foto Fernando Frazão/Agência Brasil

"É uma grande mudança que Bolsonaro lidera, e estou feliz por podermos abrir uma nova era entre Israel e essa superpotência chamada Brasil", disse o primeiro-ministro antes de embarcar, nesta quinta (27).
Bolsonaro tem feito acenos a Israel desde a campanha e prometeu transferir a embaixada brasileira naquele país de Tel Aviv para Jerusalém, seguindo o exemplo dos Estados Unidos.
A visita ocorre em meio a um conturbado momento político em Israel, que culminou com a dissolução do Parlamento daquele país e a antecipação das eleições gerais de novembro para abril de 2019. Com a medida, Netanyahu se mantém no poder, mas não pode tomar decisões que precisem de aprovação parlamentar.
No cargo há uma década, o premiê é alvo de quatro investigações sobre corrupção. A procuradoria-geral precisará aguardar as eleições antes de se pronunciar sobre as investigações.

TSE recebeu 47.144 denúncias na eleição, de propaganda irregular a assédio

Denúncias de crimes eleitorais representam 23% do total, enquanto compra de votos apenas 3% -embora chegue a 13,7% em Alagoas e 12,3% em Roraima.

 O aplicativo Pardal, da Justiça Eleitoral, acumulou 47.144 denúncias de eleitores segundo o último balanço do TSE (Tribunal Superior Eleitoral), de 26 de novembro. A maior parte das irregularidades, 24.304 (52%), diz respeito a propaganda eleitoral. 

O Pardal, usado pela primeira vez em 2016, é uma ferramenta que permite que qualquer pessoa denuncie infrações eleitorais, não só relativas à propaganda, mas a compra de votos, uso da máquina pública, crimes eleitorais e doações e gastos eleitorais.  Denúncias de crimes eleitorais representam 23% do total, enquanto compra de votos apenas 3% -embora chegue a 13,7% em Alagoas e 12,3% em Roraima. 

O Pardal, no entanto, não recebe irregularidades sobre propaganda eleitoral veiculada na TV, no rádio e na internet. Também não processa alertas de infrações relacionadas a candidatos a presidente da República e a vice.  O número de denúncias caiu em relação a 2016, quando a seis dias do segundo turno o aplicativo já registrava 61.961 irregularidades. Quase metade também foi referente a propaganda eleitoral. Crimes eleitorais representaram 17% e compra de votos, 11%. 

Para comprovar os indícios de crime, o usuário pode enviar fotos, vídeos e áudios pelo aplicativo. O TSE disponibilizou parte desses arquivos, todos enviados ao aplicativo no dia 28 de outubro, data do segundo turno. As irregularidades relatadas são sobre problemas no momento da votação e nas urnas.  Entre as 216 denúncias já disponíveis para consulta, há casos de eleitores que não conseguiram votar porque alguém havia votado em seu lugar. Isso ocorreu em ao menos 13 cidades. 


Foto: Reprodução/Tse

A grande maioria dos casos enviados ao Pardal no segundo turno, porém, são denúncias de fotos ou vídeos feitos por eleitores na cabine de votação e depois postados em suas redes sociais. A legislação eleitoral proíbe portar celular e câmeras na cabine de votação e também proíbe a violação do sigilo do voto, infrações que podem gerar multa e prisão. 

Houve ainda denúncias de fake news, tanto de pessoas alertando sobre fraudes nas urnas com base em notícias falsas como de pessoas que denunciaram as próprias notícias falsas em circulação. Problemas na biometria também foram contemplados pelo aplicativo. 

Em São Paulo, houve um caso de um mesário que buscou uma eleitora de sua seção nas redes sociais após ela ter votado e lhe mandou mensagens.  "Você me procurou pelo meu nome que você pegou no livro [lista de eleitores da seção], né?", questiona a eleitora ao mesário após receber a mensagem pelo Instagram. "Desculpa, fiz mal?", responde o mesário.  "Sabia que eu posso te denunciar, né?", responde a eleitora, que de fato levou o caso ao Pardal. 

No Rio de Janeiro, um cadeirante recorreu ao aplicativo para denunciar que sua seção ficava no segundo andar e o elevador de acesso estava quebrado. "Ninguém aceitou meu pedido para ser carregado até lá", escreveu.  Algumas denúncias constam como não lidas no Pardal. Outras já estão em análise pela Justiça Eleitoral para providências.

Cores transmitem sensações e emoções, diz analista em coloração

Gilvana Lima explica que existem tons e subtons, e as cores transmitem mensagens, e podem gerar sentimento para quem as observa.

As cores podem transmitir sensações e emoções. Nas festas de final de ano, é comum que algumas pessoas se preocupem com o tom que vestirá durante a virada de um ano para o outro, visando iniciar com boas vibrações. Gilvana Alves Lima Carvalho é designer de Moda, consultora de imagem e analista em coloração, e explica que as cores transmitem mensagens, tanto de aproximar, afastar e gerar sentimento.

“Essas tradições ainda são muito comuns, mas não afirmo que usando a pessoa irá ‘conseguir realizar algum desejo’, prefiro falar em comunicar mensagens, transmitir um sentimento que se quer validar. As cores tem o poder de fazer uma afirmação, afastar e influenciar pessoas. Nesse sentido, sim, a pessoa pode apostar para conquistar o que deseja”, fala.

Gilvana Lima diz que cada cor possui uma mensagem e é importante saber domina-las. Foto: Arquivo Pessoal 

A especialista explica que existe uma infinidade de tons e subtons e que cada uma possui uma cartela de cores individual, que fazem parte da sua essência e são como a cereja do bolo. “Todas as cores têm beleza e encantamento. Cada cor possui uma mensagem e se a pessoa souber dominar essa arte, ela se torna uma super ferramenta de comunicação”, conta Gilvana Alves.

Também é possível misturar cores, mas é preciso fazer um estudo de coloração para casa pessoa, para que se verifique a cartela ideal de acordo com o tom de pele de cada individuo. As cores podem ser aplicadas, além do vestuário, em maquiagens, acessórios, tons de cabelo, na decoração da casa, nos logotipos de produtos e marcas.

“Pense agora nas oportunidades que a pessoa pode perder, tanto na vida pessoal ou profissional, se não apostar em cores que valorizam, que destacam, que refletem algo bom e que verdadeiramente impactam nossa vida positivamente”, lembra.

A cor do ano de 2019 já foi escolhida e será a Living Coral. Essa tonalidade, que tende para o coral vivo, remete à energia e positividade. É uma cor quente e sofisticada e vem para nos inspirar otimismo. “Eu acredito que é atualmente o sentimento que as pessoas mais querem e precisam para o ano de 2019”, pontua Gilvana Alves.

27 de dezembro de 2018

Miúcha, cantora e irmã de Chico Buarque, morre aos 81 anos

Miúcha, cantora e irmã de Chico Buarque, morre aos 81 anos

Em mais de 40 anos de carreira, ela lançou 14 álbuns e fez interpretações célebres como a canção "Pela Luz dos Olhos Teus".

A cantora e compositora Miúcha morreu nesta quinta-feira (27), no Rio de Janeiro.
Ela tinha 81 anos e teve uma parada respiratória em meio a um tratamento de um câncer.
A informação foi confirmada à reportagem por amigos da artista, conhecida por ter interpretado a personagem Galinha no disco "Os Saltimbancos" e famosa pelas interpretações de músicas como "Pela Luz dos Olhos Teus", "Maninha" e "Minha Namorada".
O velório e o enterro devem acontecer nesta sexta-feira (28), no cemitério de São João Batista, em Botafogo, no Rio de Janeiro.
Nos últimos anos, a cantora fez quimioterapia para tratar um câncer no pulmão, do qual sinalizou ter se recuperado há seis meses.
Há dois meses, contudo, a doença voltou, e a cantora teria escolhido interromper os tratamentos em hospitais.
Filha do historiador Sérgio Buarque de Holanda e da pintora e pianista Maria Amélia Cesário Alvim, Miúcha era mãe da também cantora Bebel Gilberto, fruto de seu casamento com João Gilberto, e irmã de Chico Buarque e das também cantoras Ana de Hollanda e Cristina Buarque.


Miúcha lançou 14 álbuns em mais de 40 anos de carreira (Foto: Reprodução)

A artista lançou 14 álbuns em mais de 40 anos de carreira.
"Miúcha tinha uma qualidade rara em cantoras: sabia exatamente o que estava cantando. Isso a fazia ir mais longe do que outras que podiam ter mais dotes vocais, mas não lhe chegavam nem perto como intérpretes", disse o escritor Ruy Castro.
Segundo ele, "Só havia algo tão delicioso quanto escutar Miúcha cantando -conversar com ela".
Nascida Heloisa Maria Buarque de Hollanda, no Rio de Janeiro, em 30 de novembro de 1937, Miúcha mudou-se com a família para São Paulo ainda na infância, mesmo período em que começou a cantar.
Nos anos 1960, viveu em Paris, onde estudou história da arte. Durante uma viagem de férias à Itália, conheceu a cantora chilena Violeta Parra, que a apresentou ao compositor João Gilberto.
Com ele, Miúcha foi casada durante oito anos e teve uma filha, a cantora Bebel Gilberto.
Em 1975, a artista fez sua primeira gravação profissional no disco "The Best of Two Worlds", uma parceria entre João Gilberto e Stan Getz.
No mesmo ano, ela se apresentou no Newport Jazz Festival, fez espetáculos com Stan Getz e participou de uma faixa no disco "Urubu", de Tom Jobim.
Após este lançamento, Miúcha tornou-se parceira de Tom Jobim e fez apresentações com Vinicius de Moraes, Jobim e Toquinho.

Prefeitura espera público de 2,7 milhões para Réveillon de Copacabana

Prefeitura espera público de 2,7 milhões para Réveillon de Copacabana

Queima de fogos anunciando a chegada de 2019 terá 14 minutos de duração no réveillon mais famoso do país.

Com público esperado de 2,7 milhões de pessoas, o esquema operacional para o Réveillon de Copacabana terá reforço em todos os setores da prefeitura, como segurança, engenharia de tráfego, transporte coletivo, saúde e assistência social. O esquema operacional foi apresentado hoje (27) no Centro de Operações.

Como nos anos anteriores, o bairro será fechado para o tráfego de carros com antecedência. Este ano, o horário para circulação, inclusive de carros de moradores de Copacabana, foi prorrogado em meia hora, até as 19h30. Ônibus e táxis poderão desembarcar passageiros até as 22h.

A recomendação para quem for curtir o show pirotécnico ou as atrações dos nove palcos é utilizar o metrô, que venderá os cartões exclusivos para o dia 31 até amanhã (28). Após as 22h, os ônibus que saírem do centro ou da zona norte deixarão os passageiros na Enseada de Botafogo e os que seguem da zona oeste e da Barra da Tijuca param em Ipanema, mesmo local de embarque para o retorno após a meia-noite.

O coordenador de operações da Companhia de Engenharia de Tráfego (CET-Rio), Joaquim Diniz, diz que a área de lazer em Copacabana, Ipanema e Leblon vai funcionar durante todo o dia 31 de dezembro e 1º de janeiro, com o fechamento de uma pista das avenidas Atlântica e Vieira Souto para os carros.

“A pista junto aos prédios funciona normalmente. Em Copacabana a gente inverte a pista, em Ipanema e Leblon a gente não inverte. Vai funcionar até as 19h30 no sentido em direção à Avenida Niemeyer. Às 19h30 a gente faz a inversão, porque é quando começam a chegar os ônibus do terminal. Às 5h volta ao normal”.


Foto: Nielmar de Oliveira/Repórter da Agência Brasil

Limpeza

O responsável pelo Controle Urbano na Secretaria de Ordem Pública, Eduardo Furtado, explicou que a operação para a virada do ano já começou, com rotinas mais intensas na orla da zona sul, e que vão aumentar a partir de domingo.

“Na noite do dia 30 começamos com a Operação Tatuí, para retirar mercadorias enterradas na areia da praia, e iremos até as 19h do dia primeiro. Atuaremos com três equipes no dia 30, cinco no dia 31 e uma base de triagem, com esforço para a entrega da cidade em seu estado de normalidade já no dia 1º”.

A Companhia de Limpeza Urbana (Comlurb) disse que é esperado aumento de 15% na produção de resíduos este ano. No ano passado, foram retirados de Copacabana 285 toneladas de resíduo, sendo 41 toneladas recicláveis. Este ano, serão colocados 60 contêineres chamados de “laranjão” na orla. Segundo a Comlurb, os 40 utilizados no ano passado facilitaram a limpeza, pois muitas pessoas depositaram seu lixo neles. A expectativa é que a orla seja entregue limpa às 10h do dia primeiro, com equipes atuando no local a partir das 20h do dia 31.
Segurança e saúde

A Guarda Municipal vai trabalhar com efetivo 67% maior do que no ano passado, com um total de 1.774 guardas. A comandante da Guarda Municipal, inspetora Tatiana Mendes, disse que, após cinco anos de proibição pelo Ministério Público, os guardas utilizarão pistolas de eletrochoque durante o réveillon. Duas mil armas foram adquiridas em outubro e estão em uso pela corporação.

“É importante porque mantém a integridade do guarda municipal e também daquele que cometeu a ilicitude, porque, por segundos, ele imobiliza a pessoa, então tira ele do cenário e dá continuidade normal.”.

A Secretaria Municipal de Saúde montará quatro postos médicos na orla de Copacabana, com um total de 44 leitos e 44 poltronas de hidratação, além de 40 ambulâncias. Estarão de plantão com 40 médicos, 20 enfermeiros e 40 técnicos de enfermagem nos postos e 32 médicos, 32 enfermeiros e 8 técnicos de enfermagem nas ambulâncias. No ano passado, foram feitos 657 atendimentos e 58 remoções durante a festa.


Tradicional queima de fogos na virada do ano em Copacabana (Gabriel Monteiro/Riotur)

Turismo

A ocupação nos hotéis está em 85% em Copacabana e 91% no Flamengo. O diretor de Atendimento ao Turista da Riotur, Maurício Werner, disse que o posto de atendimento da Rua Hilário de Gouveia vai fechar às 20h, mas pode ser procurado pelos turistas para comprar passeios e, como novidade, foi montada no local uma loja de produtos licenciados.

A queima de fogos vai ter dez balsas, com um total de 16,9 toneladas de fogos e trilha sonora de João Brasil. A prefeitura promete uma apresentação mais potente, com disparos de bombas de alto, médio e baixo calibre e artefatos inéditos, como uma cascata de bombas douradas e brancas que acendem lentamente e formam imagens em 3D no céu. A vistoria das balsas de onde são disparados os fogos será feita amanhã.

A partir das 19h do dia 31 haverá shows com Banda de Ipanema, Marco Vivan, Djs Cat Dealers, Baby do Brasil e Gilberto Gil. Depois da queima de fogos sobem ao palco a cantora Ludmilla, o DJ Dakid, a Beija-Flor de Nilópolis e um Dj animam o público até as 4h.

Também haverá shows no Flamengo, em Guaratiba, na Ilha do Governador, na Ilha de Paquetá, em Madureira, na Penha, em Ramos e em Sepetiba, com queima de fogos à meia-noite também no Flamengo.

Coaf investigou 370 mil pessoas físicas e empresas em 2018

Coaf investigou 370 mil pessoas físicas e empresas em 2018

Volume representa alta de 10% em relação a ano passado

Órgão responsável por analisar transações financeiras suspeitas, o Conselho de Controle de Atividades Financeiras (Coaf) investigou 370 mil pessoas físicas e empresas em 2018. O volume representa alta de 10% em relação ao ano passado. Em parceria com o Ministério Público e autoridades policiais, o Coaf conseguiu bloquear judicialmente cerca de R$ 36 milhões no Brasil e no exterior, relacionados a investigações sobre lavagem de dinheiro e outros crimes.

Os números constam de balanço divulgado hoje (27) pelo Coaf. Segundo os dados, o total de pessoas investigadas baseia-se em 7.279 relatórios de inteligência financeira (RIF), que geraram 330 mil comunicações de operações suspeitas e em espécie. O órgão também informou ter recebido 6.915 pedidos de informações de autoridades nacionais e ter feito 297 operações de troca de informações com unidades de inteligência financeira no exterior.


Foto: Marcos Santos/USP Imagens

Lava Jato

Entre os destaques do balanço, o Coaf cita cerca de 400 relatórios de inteligência financeira que auxiliaram a força tarefa da Operação Lava Jato no Paraná e no Rio de Janeiro e outras operações da Polícia Federal e da Receita Federal. O órgão citou a colaboração nas Operações Cui Bono, que investigou fraudes na liberação de créditos pela Caixa Econômica; Greenfield, que investigou irregularidades em fundos de pensão, e Cadeia Velha, que investigou esquemas de corrupção de lideranças da Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro (Alerj) com a construtora Odebrecht e empresas de ônibus urbanos.

O Coaf também informou que os cerca de 400 relatórios também ajudaram a desbaratar esquemas de pagamentos de organizações criminosas que atuam dentro e fora de presídios. O balanço também ressaltou o acordo de capacitação de pessoas e de compartilhamento de base de dados com o Tribunal de Contas da União e a Secretaria Nacional de Segurança Pública.

No texto do balanço, o Coaf defendeu o projeto de lei que pretende acelerar o congelamento de bens de pessoas ligadas a terroristas em cumprimento às resoluções do Conselho de Segurança das Nações Unidas. Com o requerimento de urgência aprovado, o projeto está pronto para votação no Plenário da Câmara dos Deputados.

Reintegração de posse em área indígena gera revolta no Maranhão

Ação contou com aparato policial de 150 homens, segundo a comunidade, incluindo tropa de choque, Polícia Rodoviária e Guarda Municipal

Uma reintegração de posse determinada pela Justiça do Maranhão em área ocupada há cerca de 70 anos por uma comunidade indígena gerou protestos de entidades ligadas à reforma agrária e de proteção aos índios.

No último dia 19, a comunidade Tremembé de Engenho, que fica em São José de Ribamar (MA) e era composta por 160 famílias, foi retirada do local por decisão da Justiça.

A ação contou com aparato policial de 150 homens, segundo a comunidade, incluindo tropa de choque, Polícia Rodoviária e Guarda Municipal da cidade maranhense.

Vídeos postados em redes sociais mostram tratores passando sobre plantações e destruindo construções de alvenaria e policiais atirando bombas de gás lacrimogêneo para que os invasores deixassem a área.

Máquina destrói construção no Tremembé do Engenho, no município de São José de Ribamar (MA), após reintegração de posse determinada pela Justiça (Foto: Ana Mendes / Cimi)

Segundo os autodeclarados indígenas, as lavouras eram cuidadas sem agrotóxicos, assim como as árvores frutíferas, e a área estava em processo de demarcação. Os peixes criados no local eram destinados a abastecer feiras no próprio município e em Paço do Lumiar.

De acordo com o Cimi (Conselho Indigenista Missionário), a ação é do ex-deputado Alberto Franco e o povo indígena tentou em primeira e segunda instâncias medidas de urgência para evitar a reintegração de posse, sem sucesso.

A decisão de reintegração data de fevereiro deste ano. Houve recurso ao TJ-MA (Tribunal de Justiça do Maranhão) e, em novembro, a decisão foi ratificada.

O Cimi alega que o caso não deveria ter sido analisado pela Justiça estadual e que, por isso, as decisões são nulas. "O povo Tremembé reivindica o seu direito de defesa, contraditório, participação processual e denuncia a nulidade das decisões do TJ-MA, uma vez que a competência para o caso é da Justiça Federal. Os indígenas requerem o retorno ao seu território tradicional, uma vez que já foi dado início a primeira etapa de regularização e demarcação do território", diz a entidade.

Os indígenas estão hospedados nas casas de familiares e amigos, segundo Gilderlan Rodrigues da Silva, coordenador do Cimi no Maranhão, e enfrentando dificuldades financeiras.

"Ficaram sem ter como obter renda, pois perderam tudo, e têm dívidas com bancos devido aos empréstimos que fizeram para investir nas propriedades."

Queixas

Outras associações, como a regional maranhense da CPT (Comissão Pastoral da Terra) e a ANA  (Articulação Nacional de Agroecologia), também questionaram a decisão judicial.

"O braço armado do Estado desrespeitou os diretos humanos de dezenas de famílias pobres, deixando-as sem terra para trabalhar, lançando-as na miséria e na fome e destruindo dezenas de hectares de produção agroecológica, sem agrotóxicos, que abasteciam as feiras locais, comprometendo o direito humano à alimentação adequada e saudável, previsto na Constituição Federal. Causa-nos indignação presenciar esta ação truculenta, que destrói roças quase no momento de serem colhidas, quando o Brasil corre o risco de retornar ao Mapa da Fome das Nações Unidas", diz trecho do comunicado da ANA.

Já o MIQCB (Movimento Interestadual das Quebradeiras de Coco Babaçu) enviou comissão ao local para prestar solidariedade às famílias e alega que os Tremembé já foram alvo de sete tentativas de expulsão sem autorização judicial.

Receio antigo

O temor de terem de deixar a área já existia há tempos. No fim de 2017, ainda antes da decisão judicial, no sétimo encontro da teia de povos e comunidades tradicionais do Maranhão, uma carta aberta expunha esse receio.

"Em São Luís, assim como nos demais municípios do Estado, as grilagens cartoriais, as fraudes escandalosas, continuam sendo feitas para servir a interesses criminosos. Um exemplo citado em nosso encontro foi o caso da Comunidade do Engenho [em São José de Ribamar], território indígena, objeto das ações ardilosas do ex-deputado Alberto Franco, figura que também manobra por dentro do Judiciário", diz trecho do documento.

O caso era acompanhado desde 2016 pela Sedihpop (Secretaria de Estado dos Direitos Humanos e Participação Popular) do Maranhão, que informou que, então, identificou a produção agrícola de 60 famílias.

"Em que pese as tentativas de suspensão da reintegração por parte da Defensoria Pública, do parecer do Ministério Público e do andamento do processo de autodeclaração como comunidade indígena, o [...] magistrado optou pela manutenção da decisão, culminando com a retirada dos ocupantes e da sua produção agrícola da área", diz nota da Sedihpop.

A reportagem não obteve contato com o ex-deputado Alberto Franco ou com seu advogado nesta quarta-feira (26) para comentar o assunto.

Conselho Nacional de Justiça finaliza 804 julgamentos em 2018

O CNJ esclarece, em nota, que no relatório não foram incluídos os processos julgados na 51ª Sessão Extraordinária, ocorrida no dia 18 de dezembro, no plenário do órgão.

O Conselho Nacional de Justiça (CNJ), que tem como missão aprimorar o trabalho do Poder Judiciário, julgou, ao longo deste ano, 804 processos em 36 sessões. Segundo relatório divulgado hoje (27) pelo órgão, 447 processos (55,5%) passaram por apreciação em sessões ordinárias. Outros 106 casos compuseram a pauta de sessões extraordinárias e 251 de sessões virtuais.

Os conselheiros reservam as sessões presenciais para os casos de maior complexidade, que exigem, em geral, mais debate. Esse tipo de reunião permite, inclusive, que os advogados das partes interessadas façam sustentação oral para defender seu ponto de vista. De outro lado, as demandas que tenham menor possibilidade de produzir controvérsia entre os 15 conselheiros são decididas nas sessões virtuais, nas quais o grupo vota por meio de uma plataforma online.

Segundo o levantamento, no primeiro trimestre de gestão do ministro Dias Toffoli, que assumiu o comando da instituição em 13 de setembro, foram examinados 223 processos (27,7%).


Foto: Reprodução/Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil

Entre setembro e dezembro, os conselheiros analisaram 66 processos em sessões presenciais, que acontecem quinzenalmente, e 157 casos em sessões virtuais. Ao todo, entraram em pauta de julgamento 316 casos. No período, houve 12 sessões de julgamento, das quais seis foram plenárias e seis virtuais.

De acordo com o balanço, houve 28 pedidos de vista regimental e 64 processos adiados ou retirados de pauta. O pedido de vista é um direito conferido aos conselheiros, que pode ser evocado quando desejam estudar mais a fundo o conteúdo do processo. Apesar de dispor de mais tempo para explorá-lo, o conselheiro que apresentar a solicitação deve comunicar seu voto na primeira sessão ordinária seguinte, conforme regras do Regime Interno do Conselho.

O CNJ esclarece, em nota, que no relatório não foram incluídos os processos julgados na 51ª Sessão Extraordinária, ocorrida no dia 18 de dezembro, no plenário do órgão. O órgão informa também que encerrou 2017 com um total de 24 sessões presenciais e 11 sessões virtuais. Naquele ano, foram julgados 372 processos, sendo 146 nas sessões presenciais e 226 nas virtuais.

Reforma não tira direito de quem já pode se aposentar, dizem especialistas

A criação da idade mínima de aposentadoria, principal ponto das discussões envolvendo a reforma, é também o maior motivo de apreensão entre os segurados que esperam se aposentar logo.

O presidente eleito, Jair Bolsonaro (PSL), assumirá o país no próximo dia 1º de janeiro com a missão de retomar as discussões sobre a reforma da Previdência. O debate tende a aumentar os pedidos de aposentadorias. Mas essa atitude é considerada precipitada por especialistas.

Trabalhadores que já completaram os requisitos para pedir os benefícios são justamente aqueles com mais chances de escapar de eventuais mudanças nas regras. Apesar de não estarem aposentados, os que tiverem as condições exigidas para receber a aposentadoria pela regra atual não devem perder esse direito em caso de mudança na legislação previdenciária.

Essa garantia existe porque os efeitos de uma nova lei não podem voltar no tempo para prejudicar direitos já conquistados, conforme explica o advogado Roberto de Carvalho Santos, presidente do Ieprev (Instituto de Estudos Previdenciários). "O direito adquirido sempre precisará ser respeitado, do contrário, haveria enorme insegurança jurídica", diz. 

A criação da idade mínima de aposentadoria, principal ponto das discussões envolvendo a reforma, é também o maior motivo de apreensão entre os segurados que esperam se aposentar logo. Hoje, os brasileiros podem se aposentar ao completar o tempo de contribuição de 30 anos (mulher) ou 35 anos (homem). As propostas para o novo sistema previdenciário, porém, tendem a combinar um período obrigatório de recolhimentos com uma idade mínima.

Em vários dos países que possuem essa regra, a idade de aposentadoria gira em torno dos 65 anos. Mas a tendência é que a idade mínima inicialmente proposta no Brasil seja mais baixa.

Benefício antecipado traz prejuízo,  trabalhador que antecipa o pedido de aposentadoria por medo de possíveis mudanças nas regras pode ter prejuízo na renda, alerta a advogada Elenice Hass de Oliveira Pedroza, do IBDP (Instituto Brasileiro de Direito Previdenciário).

O risco é aceitar um alto desconto no salário, devido à aplicação do fator previdenciário. "Um tempo a mais trabalhando pode melhorar a renda", orienta.

Brilho é aposta para os looks durante a virada de ano, afirma stylist

Especialista Sara de Paula dá dicas de looks para as festas de fim de ano

As comemorações de fim de ano se aproximam e com elas muita festa e brilho. Seja Natal ou Réveillon, nesse período a produção mais elaborada é a pedida para celebrar com a família e amigos. “Você tira o brilho do armário, é como se fosse permitido um pouco mais de glamour”, é o que afirma a stylist Sara de Paula.

Segundo ela, “tem coisas que saem de moda e outras que são tendência, mas uma coisa que sempre vai estar em alta: o brilho”. Para ela, o fim do ano é aquela época que “a gente aproveita para brilhar”. Com isso em mente, ela dá dicas para montar os looks para as festas, seja em casa, na praia ou em um local mais formal.

A aposta, segundo ela, são os tons dourados e prateados. “Hoje em dia não tem mais isso de usar só dourado ou prateado, você pode misturar. (...) Hoje em dia tudo é mais permitido. Você pode usar brilho de dia, por exemplo”, destaca. De acordo com a stylist, os bordados também vieram muito fortes esse ano, além de vários tipos de malhas, como é o caso do lurex e a malha lam, que são mais carregados quando o assunto é brilho.


A aposta, segundo Sara, são os tons dourados e prateados. Foto: Elias Fontinelle/ODIA

Sara explica ainda que é necessário adequar as escolhas ao tipo de ambiente onde será realizada a comemoração. Para quem vai viajar pra praia, ela aconselha o uso de roupas mais confortáveis, porque a praia tem a areia e vento. “O que você sentir confortável está valendo. Tem mulher que sustenta o brilho e o vestido mais pesado na praia. Por outro lado, há mulheres que preferem uma coisa mais fluida [e leve]”, complementa.

Para quem não quer usar o metalizado ou não deseja usar brilho demais, Sara dá a dica: apostar em peças como o macacão. “É uma peça super elegante, como no caso das peças com fendas, que deixa a mulher mais bonitas. Existem outros modelos também, como os conjuntos, que podem ser usados em uma cor só. A pessoa pode apostar na cor da superstição, como o amarelo para atrair dinheiro. Quem não gosta do amarelo, pode optar pelo dourado”, explica.

De acordo com a stylist, na praia também é possível ficar elegante em looks mais informais, como é o caso do short ou uma blusa mais cavada. Nesse caso, a pessoa pode apostar nos acessórios. “Para quem não quer usar vestido ou macacão e deseja ficar mais diferente, pode apostar em um terninho feminino, bem acinturado, que fica bem bacana também”, afirma.

Escolha de maquiagem deve ser feita de acordo com o tipo de evento


A maquiadora Marina Freitas deu algumas dicas para os leitores. Foto: Elias Fontinelle/ODIA

A maquiagem é outras preocupação quando se pensa no look de Réveillon, mas a maquiadora Marina Freitas dá algumas dicas. Segundo ela, antes da maquiagem é preciso preparar a pele com produtos específicos, como água termal, hidratante e primer. Já para a sombra, a dica é fazer uma base com um tom de marrom ou café.

“Depois, eu vou criando uns tons de sombra degradê, para poder dar um acabamento bem legal. Pode ser usado também um glitter. Coloco uma cola antes do produto, que é aplicada diretamente na pálpebra, em cima da sombra”, explica.

Para maquiagem de praia, a grande aposta é algo mais leve, com tons mais clarinhos. O rosê, segundo Marina, está em alta. “Para a pele morena, eu usei tons dourados que combinam mais com esse tipo de pele. Para o tom de pele mais claro, eu usei o tom metalizado, que está sendo bastante usado”, pontua. Para um ambiente mais formal, ela indica algo mais elaborado e ao mesmo tempo discreto, a depender do tipo de evento.

Looks masculinos podem ser ousados


Uma blusa de cor clara pode ser a opção ideal para a virada. Foto: Reprodução

A stylist Sara de Paula defende que “os homens estão bem vaidosos” e tem se preocupado bastante com o que vestir nas festas de fim de ano. “Tem alguns homens que não querem ousar tanto nas cores e aproveitam o Réveillon para se vestir de branco. Minha sugestão é combinar com um azul mais clarinho, rosa mais discreto, porque tem alguns homens que não gostam de cores fortes. Você pode combinar com a calça azul clara. Leve na sua bagagem também um blazer, que pode vir em um tom mais forte. Alguns homens são muito despretensiosos mesmo, gostam de ousar mais. Pode usar uma calça colorida, mais clarinha”, pontua.

Para Sara, “a grande sacada” é combinar o branco com cores mais claras. Esse ajuste, segundo ela, deixa o processo mais fácil e torna as possibilidades de acerto maiores.

Outra opção para os homens é a escolha de modelagens slim, que podem vir em blazers e calças mais ajustadas, “deixam o look bem interessante, marcam bem a silhueta”. Os rapazes que são mais descontraídos podem usar estampas mais divertidas e quem gosta de camisaria floral pode usar também, sugere a stylist.

26 de dezembro de 2018

Bolsonaro se reúne com o primeiro ministro de Israel

Bolsonaro se reúne com o primeiro ministro de Israel

A conversa ocorre no momento em que Bolsonaro avisou que pretende transferir a Embaixada do Brasil de TelAviv para Jerusalém.

Quatro dias antes de tomar posse, o presidente eleito Jair Bolsonaro vai se reunir com o primeiro-ministro de Israel, Benjamin Netanyahu, em um almoço no Forte de Copacabana, zona sul do Rio de Janeiro. O encontro será na próxima sexta-feira (28), um dia antes da mudança de Bolsonaro e da família para Brasília.

A conversa ocorre no momento em que Bolsonaro avisou que pretende transferir a Embaixada do Brasil de TelAviv para Jerusalém.

De acordo com a Embaixada de Israel no Rio de Janeiro, Netanyahu não vai participar da posse do presidente eleito no próximo dia 1º de janeiro, em Brasília. O primeiro-ministro israelense antecipou seu retorno a Israel, após a decisão do Parlamento do país de antecipar as eleições gerais para 9 de abril de 2019.


Foto: José Cruz/Agência Brasil

Depois do almoço com Bolsonaro, Netanyahu participa da cerimônia religiosa conhecida como Shabat, na sinagoga Kehilat Yaacov, em Copacabana. No domingo (30), ele concede entrevista coletiva no Rio de Janeiro.

Embaixada

Bolsonaro pretende transferir a Embaixada do Brasil em Israel de TelAviv, capital administrativa, para Jerusalém. A decisão gera polêmicas, mas o presidente eleito demonstra estar determinado a concretizar a medida. “Quem decide a capital do Estado é o respectivo Estado”, afirmou Bolsonaro em postagem no Twitter.

A cidade de Jerusalém está no centro de controvérsias e disputas entre palestinos e israelenses, já que ambos os povos reivindicam o local como sagrado. No esforço de evitar o agravamento da situação, os países consideram TelAviv como a capital administrativa de Israel e é lá que ficam as representações diplomáticas internacionais.

Ex-assessor confessa assassinato de Gerson Camata, diz secretário

Ex-assessor confessa assassinato de Gerson Camata, diz secretário

Ex-governador tinha movido ação judicial contra ex-auxiliar.

O secretário de Segurança Pública do Espírito Santo, Nylton Rodrigues, afirmou que Marcos Venício Moreira Andrade, de 66 anos, confessou ser o autor do disparo que matou o ex-governador do estado, Gerson Camata, na tarde desta quarta-feira (26), em Vitória. Ele já está preso. O crime ocorreu em uma rua do bairro Praia do Canto. A arma utilizada no crime, sem registro, também foi apreendida pela Polícia Civil.

Segundo o secretário, Marcos Venício foi assessor de Gerson Camata por cerca de 20 anos e, atualmente, o ex-governador movia uma ação judicial contra o ex-auxiliar, na qual a Justiça já havia determinado o bloqueio de R$ 60 mil da conta bancária do autor do crime.


Ex-governador do Espírito Santo Gerson Camata foi morto com tiro no pescoço por ex-assessor - Arquivo/Agência Senado/Geraldo 

"Hoje, na Praia do Canto, o autor do crime, o ex-assessor Marcos Venício, foi tirar satisfação, ao encontrar Gerson Camata, na rua, na calçada, próximo a uma padaria e a uma banca de revistas. Neste encontro, iniciou-se uma discussão verbal, momento em que o Marcos Venício sacou uma arma e efetuou o disparo que vitimou o nosso ex-governador. É isso o que nós podemos adiantar agora", informou.

Ainda de acordo com Rodrigues, que não detalhou o tipo de ação judicial que era movida por Camata contra Marcos, o ex-governador foi morto com um único disparo, que atingiu o pescoço.

Marcos Venício foi preso minutos depois, em flagrante, por policiais que estavam de folga. O assassino confesso continua a ser ouvido no Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) de Vitória. 

Retomada à caça de baleias no Japão é retrocesso, diz Brasil

Retomada à caça de baleias no Japão é retrocesso, diz Brasil

Ministro do Meio Ambiente, Edson Duarte, divulgou nota com críticas.

O ministro do Meio Ambiente, Edson Duarte, chamou hoje (26) de “grande retrocesso no cenário global” a decisão anunciada pelo governo do Japão de retomar a caça das baleias e deixar Comissão Internacional da Baleia (CIB). Em nota, o Ministério do Meio Ambiente informa que tal iniciativa “ ignora a posição majoritária dos países”. Ressalta ainda que o Brasil é um defensor de todas as formas de vida.

“O Brasil historicamente postula pela defesa de todas as formas de vida nos mares do planeta, principalmente dos cetáceos [animais marinhos que pertencem à classe dos mamíferos], que têm muitas espécies ameaçadas de extinção”, diz o comunicado. “Temos muito a avançar e somente por meio da atuação integrada dos países-membros da CIB poderemos ter êxito na proteção dessas espécies e em outras agendas relacionadas, como o combate ao lixo no mar e ao aquecimento global.”


Ministro do Meio Ambiente, Edson Duarte - Foto: José Cruz/Agência Brasil

O texto destaca também que há no Brasil um esforço para garantir a preservação de várias espécies. “Em nossa zona exclusiva, protegemos as baleias jubarte e franca, os golfinhos, as tartarugas e manejamos a pesca de espécies comerciais para garantir a sobrevivência das espécies mais exploradas. Além disso, ampliamos as unidades de conservação costeiras marinhas de 1,5% para 26%, para preservar os hábitats da fauna marinha.”

O comunicado lembra que, na Declaração de Florianópolis, foi reafirmada a importância da manutenção da moratória à caça comercial de baleias e da obrigação da CIB de garantir financiamento adequado para atividades de conservação e uso não letal e não extrativo de cetáceos, como o turismo de avistamento.

O governo da Austrália também lamentou a decisão das autoridades japonesas e apelou para que revisem a medida e abandonem a iniciativa de retomar a caça comercial de baleias a partir de julho de 2019.

'Poderia ter sido vítima', diz Cláudia Abreu ao lembrar visita a João de Deus

'Poderia ter sido vítima', diz Cláudia Abreu ao lembrar visita a João de Deus

A atriz afirmou em sua conta no Instagram que já esteve duas vezes na Casa Dom Inácio de Loyola, em Abadiânia (GO), onde o médium faz os atendimentos

A atriz Cláudia Abreu, 48, aumentou o coro de celebridades que usaram as redes sociais para refletir e protestar contra o médium João de Deus, acusado de abuso sexual por centenas de mulheres nas últimas semanas. "Sempre fui arredia às redes sociais, mas não posso deixar de falar sobre assédio", afirmou ela. 
Abreu afirmou em sua conta no Instagram que já esteve duas vezes na Casa Dom Inácio de Loyola, em Abadiânia (GO), onde o médium faz os atendimentos, e afirma que sempre foi bem tratada, tendo sido convidada para segurar os instrumentos das cirurgias diante de uma multidão, o que acabou fazendo a contragosto. 
"Lá ficávamos todos vulneráveis. Ao mesmo tempo, isso me obrigava a legitimar alguém que eu mal conhecia", afirma atriz, que continua: "Refletindo sobre esse meu desconforto, pensei nas inúmeras mulheres fragilizadas que foram convidadas a ir pra uma sala fechada e também foram obrigadas a fazer algo que não queriam."
A atriz avalia que poderia ter recebido outro tratamento se não fosse conhecida. "Levei minha filha, então com treze anos, e não me canso de pensar que poderíamos ter sido vítimas também, caso eu não fosse conhecida. Isso me estarreceu. Porque isso toca num lugar muito mais profundo, que é a descrença no ser humano, na bondade, na caridade."


A atriz postou esta imagem e fez um desabafo na rede social (Foto: Reprodução/Instagram)

As denúncias contra João de Deus ganharam força no dia 7 de dezembro, quando o programa Conversa com Bial (Globo) mostrou entrevistas com mulheres que afirmam terem sido abusadas durante consulta com o médium. Depois da exibição, outras mulheres se apresentaram, o que levou a prisão dele no último dia 16. 
O médium nega todas as acusações. Antes de se entregar à polícia, ele afirmou, durante uma de suas poucas aparições após as denúncias que "quer cumprir a lei brasileira". "Ainda sou irmão de Deus. Quero cumprir a lei brasileira. Estou nas mãos da lei. João de Deus ainda está vivo", afirmou a fiéis.
Outras manifestações
A atriz Bruna Lombardi, 66, também já falou sobre sua visita a Abadiânia e sobre o impacto das denúncias que vieram depois: "Dói pensar que foi preciso quinhentas mulheres pra calar a voz de um homem. Dói pensar num sistema conivente que fragiliza a tal ponto a posição da mulher, que ela se recolhe, com dor e vergonha". 
Também já se manifestaram sobre o caso as apresentadoras Oprah Winfrey, 64, e Xuxa, 55. "Infelizmente eu me enganei, e me enganei feio. Então estou vindo aqui para pedir desculpas a você, porque já divulguei o documentário dele, falei que ele era uma pessoa legal. Estou até um pouco envergonhada", disse a brasileira. 
A atriz Camila Pitanga, 41, era frequentadora do centro de João de Deus e afirmou, pelo Instagram, estar indignada e perplexa. "Ainda estou digerindo os depoimentos contundentes. Nos últimos anos frequentei a Casa e, mesmo não tendo nada de negativo a relatar, o caso me choca com o crescente número de acusações", afirmou. 
"Como mulher, desejo que as investigações não cessem e contribuam para o fim de casos como este", continuou a mensagem da atriz. "Queria deixar minha solidariedade às mulheres que, corajosas, trouxeram à luz esses acontecimentos inadmissíveis. Vocês não estão sozinhas. Com todo o meu amor."
A jornalista Maria Cândida, 47, também frequentadora da Casa Dom Inácio de Loyola, afirmou estar "horrorizada". "É muito mais do que covardia. Eu já estive lá, o conheci pessoalmente num momento em que eu buscava transformação e me ajudou muito ter estado lá. Mas esse abuso não pode existir", afirmou nas redes sociais.

Mega da Virada pagará prêmio estimado em R$ 280 milhões

Mega da Virada pagará prêmio estimado em R$ 280 milhões

A probabilidade de se ganhar o prêmio é uma em 50 milhões, mas a expectativa do brasileiro quando ao sorteio continua alta.

O Natal ficou para trás. A hora agora é de voltar ao trabalho e, se for o caso, tentar trocar aquele presente que não caiu lá muito bem. Mas também é a hora de sonhar em não precisar fazer mais nenhuma dessas duas coisas.
A probabilidade é pequena, mas existe: uma em 50 milhões.
Com prêmio estimado em R$ 280 milhões, a Mega-Sena da Virada é a expectativa de um Ano Novo mais próspero para milhões de brasileiros.
O sorteio será no dia 31 de dezembro. Um diferencial da edição de 2018 é a possibilidade de realizar as apostas pela internet.
Além das casas lotéricas, os interessados podem indicar seu jogo pelo computador, tablet ou smartphone. Para isso é preciso ser maior de 18 anos, ter CPF e cartão de crédito.


Foto: Rafael Neddermeyer/ Fotos Públicas

Diferentemente dos demais concursos, o prêmio principal não acumula caso ninguém acerte as seis dezenas.
De acordo com a Caixa, quando não há ganhadores pela sena o prêmio é dividido entre os acertadores da quina. O valor mínimo para concorrer ao prêmio é R$ 3,50.
O valor de R$ 280 milhões estimado por enquanto para o prêmio principal deste ano ainda pode crescer. No ano passado, a estimativa inicial era de R$ 220 milhões, mas, diante do volume de apostas, ele bateu recorde, passando de R$ 306 milhões.
No ano passado, 17 apostadores de BA, MG, PA, PR, RJ, SC e SP acertaram os seis números na véspera de Ano-Novo e dividiram o prêmio de R$ 306.718.743,71, o maior já pago na história das loterias do país. Cada bilhete recebeu R$ 18.042.279,04.
O estado de São Paulo registrou o maior número de sortudos: seis, sendo quatro na capital e outros dois em Guarulhos, na região metropolitana.

PRÊMIOS DA MEGA DA VIRADA
1.140, em 2009; duas apostas vencedoras - premiação total: R$ 144.901.494,92
1.245, em 2010; quatro apostas vencedoras - premiação total: R$ 194.395.200,04
1.350, em 2011; cinco apostas vencedoras - premiação total: R$ 177.617.487,60
1.455, em 2012; três apostas vencedoras - premiação total: R$ 244.784.099,16
1.560, em 2013; quatro apostas vencedoras - premiação total: R$ 224.677.860,08
1.665, em 2014; quatro apostas vencedoras - premiação total: R$ 263.295.552,64
1.775, em 2015; seis apostas vencedoras - premiação total: R$ 246.533.514,30
1.890, em 2016; seis apostas vencedoras - premiação total: R$ 220.948.549,30
2.000, em 2017; 17 apostas vencedoras - premiação total: R$ 306.718.743,70

Especiais

Gerson Camata, ex-governador do ES, é assassinado a tiros em Vitória

Gerson Camata, ex-governador do ES, é assassinado a tiros em Vitória

Polícia Civil procura suspeito. Motivação do crime é desconhecida.

O ex-governador do Espírito Santo Gerson Camata (MDB), de 77 anos, foi assassinado a tiros na tarde desta quarta-feira (26), na Praia do Canto, em Vitória. A Secretaria de Segurança Pública do Espírito Santo informou que ele foi alvo de vários disparos e não resistiu aos ferimentos. O suspeito do crime já foi preso e presta esclarecimentos no Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa, informou a Secretaria de Segurança Pública. 

Formado em economia, Gerson Camata se destacou a partir de um programa de televisão, no Espírito Santo, nos anos de 1960. A partir daí, foi para a política, sendo eleito governador, senador e deputado federal. 


Gerson Camata - Arquivo/Agência Senado/Geraldo Magela

Na Constituinte, Camata defendeu a limitação do direito de propriedade privada, o mandado de segurança coletivo, a jornada semanal de 40 horas, o aviso prévio proporcional, a unicidade sindical, o voto aos 16 anos, o presidencialismo, a limitação dos juros reais em 12% ao ano, o mandato de cinco anos para presidente e a criação de um fundo de apoio à reforma agrária.

Como parlamentar da Constituinte, ele se absteve das votações relativas ao turno ininterrupto de seis horas e à anistia aos micro e pequenos empresários.

Era casado com Rita Camata, ex-deputada federal por cinco mandatos, que foi relatora do Estatuto da Criança e do Adolescente e da Lei de Responsabilidade Fiscal. O ex-governador deixa dois filhos.

Formados no exterior têm novo prazo para escolher vaga no Mais Médicos

Formados no exterior têm novo prazo para escolher vaga no Mais Médicos

De acordo com a pasta, 10.205 profissionais brasileiros e estrangeiros com habilitação para exercício da medicina no exterior (sem registro no Brasil) completaram a inscrição no programa.

O Ministério da Saúde prorrogou o prazo para escolha de vagas por médicos formados fora do país e que já enviaram documentação para participar do Programa Mais Médicos. Brasileiros graduados no exterior têm até os dias 23 e 24 de janeiro para selecionarem os municípios de alocação. Já nos dias 30 e 31 de janeiro, médicos estrangeiros terão acesso ao sistema para optarem pelas localidades em aberto.

De acordo com a pasta, 10.205 profissionais brasileiros e estrangeiros com habilitação para exercício da medicina no exterior (sem registro no Brasil) completaram a inscrição no programa. As documentações ainda estão em análise. A publicação da validação dos médicos brasileiros aptos à escolha de municípios está prevista para 22 de janeiro e a dos estrangeiros, para 29 de janeiro, conforme o novo cronograma.


Mais de 10.205 médicos formados no exterior já completaram a inscrição no programa - Divulgação prefeitura de Suzano SP

Inicialmente, foram disponibilizadas 842 vagas em 287 municípios e 26 Distritos Sanitários Especiais Indígenas (DSEI). Os postos abertos são referentes às localidades não ocupadas na segunda seleção aberta para médicos que possuem registro no Brasil. Dados do ministério apontam que 1.707 profissionais escolheram localidades. Eles devem se apresentar entre os dias 7 e 10 de janeiro.

“Os profissionais que decidirem não comparecer mais às atividades devem informar ao município alocado, que comunicará a desistência ao Ministério da Saúde. Os candidatos que desistirem dos postos terão as vagas colocadas de volta ao edital do Mais Médicos e o sistema será atualizado com as vagas disponíveis para os profissionais formados no exterior”, informou a pasta.

Confira o cronograma das próximas etapas:

De 07/01 a 10/01 – apresentação nos municípios dos médicos com registro no Brasil.

De 23/01 a 24/01 – médicos brasileiros formados no exterior escolhem vagas disponíveis.

De 30/01 a 31/01 – médicos estrangeiros formados no exterior escolhem vagas disponíveis.

Marco Aurélio: penitenciárias são panela de pressão e indulto é tradição

A declaração foi dada um dia após o Palácio do Planalto divulgar oficialmente que o presidente Michel Temer não editaria o indulto natalino.

O ministro Marco Aurélio Mello, do STF (Supremo Tribuju Federal), disse nesta quarta-feira (26) que o indulto de Natal é uma tradição e comparou as penitenciárias brasileiras a panelas de pressão.
Um dia depois de o Palácio do Planalto divulgar oficialmente que o presidente Michel Temer não editaria indulto de Natal este ano, assessores confirmam na noite desta terça-feira (25) que ele estuda publicar um texto nos próximos dias.


Ministro Marco Aurélio durante sessão de encerramento do ano forense do STF. Foto: Nelson Jr./SCO/STF

"O indulto é uma tradição no Brasil e não sei porque não concluímos o julgamento da Adin [ação direta de inconstitucionalidade] que impugnou o anterior, de 2017. Agora, precisamos pensar nas verdadeiras panelas de pressão que são as penitenciárias brasileiras", disse Marco Aurélio ao ser abordado por jornalistas na saída do velório do advogado e ex-deputado Sigmaringa Seixas, em Brasília.
De acordo com informações colhidas pela Folha, o recuo de Temer teria ocorrido após pedido encaminhado ao presidente pela DPU (Defensoria Pública da União).
Segundo assessores palacianos, a proposta é que o texto não beneficie os condenados por crimes de corrupção, como ocorreu no texto de 2017, que gerou questionamentos na Justiça.
"A hipótese está sob exame", limitou-se a dizer o ministro da Justiça Torquato Jardim.

Aposentadoria por tempo de serviço rende 102% mais do que benefício por idade

Aposentadoria por tempo de serviço rende 102% mais do que benefício por idade

O trabalhador que pede a aposentadoria após ter contribuído por ao menos 30 anos (mulher) ou 35 anos (homem) recebe, em média, R$ 2.174,96.

Condenada à extinção nas discussões sobre reforma da Previdência, a aposentadoria por tempo de contribuição -que não requer idade mínima para ser concedida- eleva o salário médio dos beneficiários em 102% em relação à renda dos aposentados por idade, de acordo com dados do INSS. O trabalhador que pede a aposentadoria após ter contribuído por ao menos 30 anos (mulher) ou 35 anos (homem) recebe, em média, R$ 2.174,96. 
Com esses períodos de recolhimentos atingidos, o benefício pode ser requisitado independentemente da idade do segurado.
Já quem se aposenta por idade, aos 60 anos (mulher) ou 65 anos (homem), tem uma renda média de R$ 1.076,42.
A diferença salarial pode ser explicada pela maneira como esses dois tipos de aposentados fizeram suas contribuições previdenciárias ao longo da vida.
Na maioria dos casos, o aposentado por tempo de contribuição conseguiu se manter empregado no mercado formal de trabalho durante a maior parte da vida. O número maior de recolhimentos pode ajudar a elevar o benefício, pois são considerados no cálculo apenas os 80% maiores salários recebidos desde 1994. Além disso, o profissional que se manteve empregado por cerca de três décadas teve mais chances de contribuir sobre salários mais altos.
A situação do aposentado por idade costuma ser diferente. Grande parte desses segurados recebem o benefício tendo completado apenas a carência de 15 anos de contribuição. A maioria também recolheu sobre salários mais baixos, próximos ao valor do salário mínimo.
A regra 85/95 também contribuiu para ampliar a vantagem salarial de quem se aposenta por tempo de contribuição, pois ela ajuda trabalhadores que se aposentam ainda na casa dos 50 anos de idade a não terem suas rendas reduzidas pelo fator previdenciário.


Foto: Agência Brasil

Mais pedidos
As discussões que envolvem a reforma da Previdência tendem a se concentrar em um ponto principal: evitar que os brasileiros continuem se aposentando sem a necessidade de completar uma idade mínima.
A justificativa apresentada por aqueles que defendem a idade mínima de aposentadoria é o aumento das despesas com aposentadorias e o risco que isso traz para a economia do país em um futuro relativamente próximo.
Atualmente, a idade média dos que se aposentam por tempo de contribuição é de 53 anos (mulheres) e de 55 anos (homens), conforme dados divulgados pela Secretaria de Previdência.
Isso significa que esses segurados receberão aposentadorias por muito tempo, considerando a crescente expectativa de vida da população do país, que hoje está em 76 anos, segundo o IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística).
O número de pessoas com 65 anos ou mais avançará de 16,1 milhões, em 2015, para 58,4 milhões, em 2060. O aumento é de 263%, apontam as projeções também do IBGE, divulgadas pelo Ministério da Fazenda.
Mas, por enquanto, os debates sobre a reforma têm apenas motivado mais trabalhadores a anteciparem suas aposentadorias.
No primeiro semestre de 2018, 775,6 mil segurados pediram aposentadorias por tempo de contribuição. O número é 40% maior do que as 554,2 mil solicitações do mesmo período de 2016, antes do Congresso começar a discutir a reforma.

Prazo para justificar ausência no 2° turno termina nesta quinta-feira

Não precisam justificar a ausência os eleitores cujo voto é facultativo (analfabetos, os com 16 anos a 18 anos e os maiores de 70 anos), além dos portadores de deficiência física ou mental.

O prazo para justificar a ausência no segundo turno das eleições gerais de 2018, dia 28 de outubro, termina nesta quinta-feira (27). Os eleitores que não votaram no segundo turno precisam regularizar a situação, sob pena de impedimento de fazer matrícula em universidades, tirar o passaporte, tomar posse em cargo público e receber o salário, no caso dos servidores.

Segundo o Tribunal Superior Eleieotral (TSE), o não comparecimento injustificado no dia da eleição é irregularidade punível com multa. Pela Constituição, os brasileiros com idade entre 18 anos e 70 anos são obrigados a votar. Após três ausências consecutivas não justificadas, o título de eleitor é cancelado.

Não precisam justificar a ausência os eleitores cujo voto é facultativo (analfabetos, os com 16 anos a 18 anos e os maiores de 70 anos), além dos portadores de deficiência física ou mental que torne impossível ou demasiadamente oneroso o cumprimento das obrigações eleitorais. A justificativa pode ser feita diretamente nos cartórios eleitorais ou pela internet.


Foto: Reprodução

Formulário

No primeiro caso, é necessário preencher o formulário disponível no cartórios eleitorais, nos postos de atendimento ao eleitor e nas páginas da Justiça Eleitoral na internet. O documento deverá ser entregue no cartório eleitoral ou enviado por via postal ao juiz da zona eleitoral na qual o eleitor é inscrito. É preciso anexar comprovante do motivo da ausência.

Pela internet, a justificativa é feita no Sistema Justifica. O eleitor deverá preencher o formulário online, informando seus dados pessoais e o motivo da ausência, bem como anexar o comprovante do impedimento para votar. Se a justificativa for aceita, o eleitor será avisado da decisão.

O brasileiro residente no exterior que não votou também precisa justificar o não comparecimento às urnas. Ao requerimento de justificativa eleitoral devem ser juntadas cópias do documento oficial brasileiro de identidade e do comprovante dos motivos alegados para justificar a ausência. A documentação deve ser enviada ao juiz da Zona Eleitoral do Exterior ou entregue nas missões diplomáticas ou encaminhada pelo Sistema Justifica.

25 de dezembro de 2018

Plataforma da ONU reúne orientações e serviços para refugiados

O site esclarece quais são os direitos assegurados a refugiados e solicitantes de refúgio

Ao chegar a um país novo, refugiados e imigrantes acabam, muitas vezes, tendo dúvidas sobre quais são seus direitos e como se resguardar contra eventuais violações dessas prerrogativas. Pensando nisso, o Acnur (Alto Comissariado das Nações Unidas para os Refugiados) agora disponibiliza, através da plataforma Help, uma série de informações que pode facilitar a ambientação de estrangeiros que vêm ao Brasil nessas condições.

Pela versão brasileira da plataforma, lançada em cinco idiomas (português, inglês, espanhol, francês e árabe), é possível obter orientações sobre como abrir uma conta bancária, emitir documentos básicos de identificação, como Carteira de Registro Nacional Migratório (antigo Registro Nacional de Estrangeiro - RNE), CTPS (Carteira de Trabalho e Previdência Social) e CPF, e quais autoridades procurar, caso precise de assistência jurídica, assistência social ou, ainda, auxílio na formalização de uma denúncia de racismo, LGBTIfobia ou xenofobia.

Também são indicadas na página vagas abertas em universidades públicas e o contato de organizações da sociedade civil, parceiras do Acnur, que oferecem, gratuitamente, orientações sobre procedimentos de refúgio, moradia, saúde, educação, documentação, cursos de português e trabalho. As informações são da Agência Brasil.

O site esclarece quais são os direitos assegurados a refugiados e solicitantes de refúgio. O Acnur destaca, por exemplo, que nenhuma pessoa nessas circunstâncias pode ser expulsa ou devolvida para um país ou território onde a sua vida ou integridade física estejam ameaçadas e, em nenhuma circunstância, pode ser devolvida ao seu país de origem. O reconhecimento do status de refugiado também interrompe qualquer processo de extradição e impede a expulsão do refugiado, exceto por razões de segurança nacional ou de ordem pública.

Outra instrução trazida pela plataforma é relativa ao serviço do Centro de Referência Especializado de Assistência Social, que fica à disposição de refugiados que chegam ao Brasil sem ter lugar para ficar. A estada nas unidades é gratuita.

Com informações constantemente atualizadas, a versão brasileira da plataforma pode ser acessada pelo endereço help.unhcr.org/brazil.

Presidente da Funai pede "ações importantes" para proteger índios

Para ele ações são necessárias para a proteção e promoção dos direitos dos mais de 300 povos indígenas brasileiros.

O presidente da Fundação Nacional do Índio (Funai), Wallace Bastos, afirmou, no balanço de trabalho deste ano, que 2018 foi "difícil" e que, apesar dos resultados obtidos, ainda será necessário articular "ações importantes" para a proteção e promoção dos direitos dos mais de 300 povos indígenas brasileiros.

"Para continuar realizando nosso trabalho em 2019, já conseguimos, junto ao governo federal, que o nosso orçamento passasse de R$ 109 milhões [em 2018] para R$ 175 milhões, o que nos permitirá avançar ainda mais no que diz respeito às demandas das comunidades. Além disso, junto ao Congresso Nacional, já conseguimos emendas parlamentares no valor de R$ 170 milhões, que serão empenhadas no ano que vem em todas as regiões do país. Sabemos que essas ações não são suficientes. Por isso, contamos com o apoio de todos os servidores do Brasil e de cada povo indígena para, juntos, realizarmos muito mais em 2019", disse em uma mensagem veiculada nessa segunda-feira (24).

Segundo Bastos, uma das principais lacunas da Funai, atualmente, é a insuficiência de pessoal. "Conseguimos também trazer para a fundação mais 203 servidores concursados, que já estão atuando em todas as regiões do país. E continuamos lutando, até o último dia de validade do concurso, junto aos ministérios da Justiça e do Planejamento, Desenvolvimento e Gestão, para nomear os 50% excedentes. Essa é uma grande carência que precisamos sanar, para que possamos atender cada vez melhor as principais demandas das populações indígenas."

Se todos contribuintes pagassem, pagaríamos menos impostos, diz Rachid

Se todos contribuintes pagassem, pagaríamos menos impostos, diz Rachid

Secretário da Receita defendeu enfrentamento à sonegação e fraudes.

Em vídeo de balanço publicado ontem (24) pelo Ministério da Fazenda, o secretário da Receita Federal, Jorge Rachid, disse que o órgão tem atuado não apenas para coibir infrações tributárias, mas para combater a concorrência desleal. Ele defendeu o enfrentamento à sonegação e à prática de fraudes na arrecadação de impostos.  

"Existe um trabalho muito forte para coibir a concorrência desleal. Se todos os contribuintes pagassem, todos pagariam menos, é isso que nós queremos", disse. 

Para Rachid, o trabalho da Receita está na origem de investigações de casos de corrupção. "Muitas dessas operações [contra a corrupção] foram iniciadas pelo trabalho das equipes da Receita Federal, das equipes de inteligência ou mesmo de fiscalização", disse.

No vídeo, o secretário da Receita Federal faz um balanço da gestão do governo no setor e cita os avanços nos atendimentos virtuais personalizados, que chegam a 90% dos casos, e no tempo de abertura de empresas, que foi reduzido no país. "Chegamos agora a 48% das aberturas de empresas de até 3 dias. No conjunto total, 81% em até uma semana, então foi muito expressiva a redução de tempo". 

Rachid também ressaltou a conclusão parcial do portal único de comércio exterior, que já está em funcionamento para exportação, faltando ainda a etapa da importação. Segundo ele, a ferramenta vai permitir a redução, no caso da burocracia exigida para a exportação, de 14 dias para 6,4 dias, aproximadamente. "Fora a redução de 90% em termos de documento, 60% em termos de preenchimento de formulários".  


Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil

Reforma tributária 

Segundo Jorge Rachid, a Receita Federal deve seguir investindo nesse processo de simplificação tributária como forma de melhorar o ambiente de negócios. Ele defendeu que as mudanças no setor devem ser contínuas e não precisam estar vinculadas a um único projeto e citou o caso do Programa de Integração Social (PIS) e da Contribuição para o Financiamento da Seguridade Social (Cofins).  

"No âmbito federal, nós temos o PIS/Cofins, que corresponde a aproximadamente a 4% do PIB [soma dos bens e serviços produzidos no país], em termos de carga tributária. Hoje ele é um tributo muito complexo, que gera litígio, gera dúvidas por parte do contribuinte, até para os agentes do Fisco. Essa mudança é feita de forma infraconstitucional. Então, como já dito, reforma tributária não é um grande evento, é um processo. E dentro desse processo, podemos e devemos avançar muito para melhorar o ambiente de negócios no Brasil", disse. 

PIS e Cofins são contribuições federais que incidem sobre a receita bruta auferida pela pessoa jurídica. Incidem tanto sobre o faturamento ou o auferimento de receitas para pessoas jurídicas de direito privado; sobre o pagamento da folha de salários para entidades de relevância social determinadas em lei e sobre a arrecadação mensal de receitas correntes e o recebimento mensal de recursos para entidades de direito público.

Eleitos com discurso de renovação querem levar mudanças a gabinetes

Eleitos com discurso de renovação querem levar mudanças a gabinetes

O que eles pretendem em pôr um fim na ideia de "sala do deputado" e instalar um clima de "coworking", de modo a tornar o ambiente parlamentar acessível.

Fim da "sala do deputado", clima de "coworking" no gabinete e adaptações para tornar o ambiente acessível a pessoas com deficiência visual são algumas das mudanças que os novos parlamentares levarão ao Congresso e a Assembleias Legislativas.
Eleitos que chegaram aos cargos com discurso de renovação e de adeus a velhos hábitos também vão provocar alterações no dia a dia das Casas. Dizem querer revolucionar espaços engessados e pouco afeitos a inovações.
"Não quero saber de 'sala da deputada' no gabinete", diz Marina Helou (Rede), 31, eleita para a Alesp (Assembleia de São Paulo). A futura deputada planeja criar dois ambientes: uma sala grande onde ficará sentada junto dos assessores e outra para reuniões.
"Quero ter uma integração com a equipe. Vivi isso muito no mundo corporativo", diz a ex-coordenadora na área de sustentabilidade da Natura.
"Não ter a sala do presidente é um símbolo cultural importante. No meu caso, de um mandato com proximidade, demolindo essa ideia do 'deputado vossa excelência'."
Marina deverá ser responsável também por outra novidade. Ciclista e entusiasta dos transportes alternativos, em alguns dias ela deseja pedalar de sua casa, em Pinheiros (zona oeste), até o prédio da Alesp, na região do Ibirapuera (zona sul). Frequentará o bicicletário, hoje mais usado por servidores.


Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil

No caso de Felipe Rigoni (PSB-ES), 27, a mudança que provocará ao chegar ao Congresso também tem a ver com mobilidade, mas da porta para dentro. Primeiro deputado federal cego, ele precisará de adaptações no edifício, em Brasília, para poder andar e trabalhar.
A eleição do engenheiro foi celebrada como uma vitória da inclusão. "Estão preparando a adaptação para toda a Câmara, desde a oferta de software até a aplicação de piso tátil", diz. Ele já usa no celular e no computador um programa que transforma palavras em texto falado.
Com o recurso no sistema eletrônico, Rigoni crê que terá autonomia total nas votações, mas poderá também contar com o auxílio de assessores.
A Coordenação de Acessibilidade da Câmara procurou o capixaba após a eleição para saber suas necessidades. Segundo a Casa, cerca de 20 profissionais de várias áreas participaram de reunião com ele.
A Câmara afirma que está providenciando a instalação de sistema de leitura em braile nos botões de votação do deputado no plenário. Também haverá aviso sonoro para confirmação do voto dele.
Outra medida, segundo o órgão, foi a reserva de um gabinete com banheiro próprio e vaga de garagem próxima, em andar baixo, para facilitar a movimentação de Rigoni.
Ainda na Câmara, o deputado estreante Tiago Mitraud (Novo-MG) faz planos de materializar a transparência que pregou para o mandato durante a campanha. Quer abolir as divisórias no gabinete e, se elas forem mesmo necessárias, dar preferência às de vidro.
"A ideia é busca um formato 'open space', sem sala específica para ninguém, nem para mim", diz o novato. Será "cada um em sua estação de trabalho", como em um 'coworking', para estimular troca de ideias e trabalho em colaboração.
Futuro senador por Sergipe, Alessandro Vieira (eleito pela Rede, mas agora no PPS) se prepara para abrigar uma estrutura inédita no Congresso Nacional: um grupo de assessores que servirá ao mesmo tempo a ele e a dois deputados. Hoje, cada parlamentar tem sua própria equipe.
O chamado gabinete compartilhado vai funcionar na área física reservada para o senador, mas o time de sete assessores auxiliará também Rigoni e a deputada Tabata Amaral (PDT-SP) -os três integram o Acredito, movimento de renovação política.
Segundo eles, a iniciativa faz parte do esforço de profissionalizar a gestão pública. Os servidores estão sendo recrutados via processo seletivo, com inscrições abertas a qualquer interessado.
"Eles vão trabalhar juntos, como uma startup política. Outro ganho é a economia de recursos", diz o consultor José Frederico Lyra Netto, um dos fundadores do Acredito, que vai coordenar a equipe.

"Saio com a alma leve e a consciência do dever cumprido”, diz Temer

Presidente fez seu último pronunciamento de Natal nesta segunda-feira.

Em seu último pronunciamento de Natal, o presidente Michel Temer agradeceu hoje (24) a todos os brasileiros, inclusive os que não o apoiaram. Também disse que não poupou esforços nem energia, destacou os avanços obtidos na sua gestão e as reformas negociadas. Ele desejou a todos um Feliz Natal e disse que deixa o governo “com a alma leve e a consciência do dever cumprido”.

“Saio com a alma leve e a consciência do dever cumprido. De coração, de coração mesmo, o meu muito obrigado a todos vocês e uma feliz noite de Natal. Fiquem com Deus, fiquem em paz”, afirmou Temer, que no dia 1º de janeiro de 2019, ele entrega a faixa presidencial para Jair Bolsonaro, eleito em outubro deste ano.

Temer disse ainda que “cabe ao tempo demonstrar” o que fez durante os dois anos e meio que esteve à frente do governo. O pronunciamento foi ao ar em cadeia nacional de rádio e televisão às 20h30 e durou aproximadamente três minutos.

“[Quero] agradecer a todos os brasileiros. Indistintamente. Aos que me apoiaram e também aos que não me apoiaram. Porque democracia é isso. É poder pensar e provar que é possível fazer mais pelo Brasil e pela vida de todos, independentemente das dificuldades, das barreiras impostas”, disse.

Segundo Temer, cada dificuldade enfrentada foi válida. “Valeu cada obstáculo vencido, cada momento vivido, cada conquista feita”, afirmou. “Podem estar certos de que não poupei esforços, nem energia e sei que entrego um Brasil muito melhor do que aquele que recebi. Ficam as reformas e os avanços, que já colocaram o nosso país em um novo tempo.”


Michel Temer durante encontro com servidores da Presidência da República, no Palácio do Planalto - Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil

O presidente ressaltou que é desejo de todos ter um Brasil “cada vez mais próspero e cada vez mais fraterno, cada vez mais igual”. De acordo com ele, em meio a tantos desejos, é necessário agradecer a Deus.

“[Quero] agradecer a Deus por ter me dado oportunidade, a honra de servir ao meu país. Agradecer por ele ter me dado serenidade para cumprir a missão que me foi designada. Agradecer por ele ter me permitido fazer valer a Ordem e Progresso estampado na nossa bandeira e que se tornou a marca da nossa gestão.”

Temer também agradeceu à família e aos ministros. “Toda a minha equipe, homens e mulheres de valor, que estiveram em todos os momentos ao meu lado e sempre me ajudaram a dar a volta por cima.“

Veja a íntegra do pronunciamento:

Boa noite a todos!

Dentro de mais alguns dias, encerro o meu mandato como presidente do Brasil. Mas hoje não estou aqui para falar do que foi feito no meu Governo e de como foi feito. Isto cabe ao tempo demonstrar. Também não estou aqui para falar do que vivi e como vivi. E, sim, do que desejo para a vida de todos nós. Que é o de termos um Brasil cada vez mais próspero e cada vez mais fraterno, cada vez mais igual. E nesta noite tão especial, em que ao lado da família e dos amigos, renovamos a fé e a esperança em dias melhores, dias que, com certeza, virão, eu quero, acima de tudo, agradecer.

Agradecer a Deus, por ter me dado oportunidade, a honra de servir ao meu país. Agradecer por ele ter me dado serenidade para cumprir a missão que me foi designada. Agradecer por ele ter me permitido fazer valer a Ordem e Progresso estampado na nossa bandeira e que se tornou a marca da nossa gestão. Agradecer a minha família, por ter me ajudado a vencer os desafios que se apresentaram pelo caminho. Agradecer aos meus ministros, a toda a minha equipe, homens e mulheres de valor, que estiveram em todos os momentos ao meu lado e sempre me ajudaram a dar a volta por cima. 

E, é claro, agradecer a todos os brasileiros. Indistintamente. Aos que me apoiaram e também aos que não me apoiaram. Porque democracia é isso. É poder pensar e provar que é possível fazer mais pelo Brasil e pela vida de todos, independentemente das dificuldades, das barreiras impostas. Aliás, foi o que me deu ainda mais força para seguir em frente. Valeu cada obstáculo vencido, cada momento vivido, cada conquista feita. E tenham certeza, gostaria de ter dado um Brasil ainda melhor a todos vocês. Mas, também podem estar certos de que não poupei esforços, nem energia e sei que entrego um Brasil muito melhor do que aquele que recebi. Ficam as reformas e os avanços, que já colocaram o nosso país em um novo tempo. 

Saio com a alma leve e a consciência do dever cumprido. De coração, de coração mesmo, o meu muito obrigado a todos vocês e uma feliz noite de Natal. Fiquem com Deus, fiquem em paz.

Latam diz que avião que apresentou falha não chegou a decolar

Latam diz que avião que apresentou falha não chegou a decolar

O voo deveria sair de Garulhos em direção a Paris no início da madrugada de ontem (24). Na semana, aeronave precisou fazer pouso de emergência.

A Latam soltou uma nota no início da noite de hoje (24) em que muda a informação divulgada anteriormente pela própria empresa de que o voo que deveria sair do Aeroporto Internacional de Guarulhos para Paris no início da madrugada de ontem (24) e apresentou problemas teria decolado. Inicialmente, a companhia havia informado que o avião teve de retornar ao terminal após a decolagem devido a problemas técnicos. A companhia informou, agora, que a aeronave não chegou a sair da pista porque um dos sensores localizados na asa do Airbus A350  indicou uma falha. Segundo a empresa, o avião passou por uma “manutenção corretiva”.

A Latam afirmou, por meio de nota, que está prestando a “assistência necessária aos passageiros”. Segundo o comunicado, o voo foi remarcado para as 18h45 desta segunda-feira. A empresa disse ainda que considera “a segurança é um valor imprescindível” e que “todas as suas decisões visam garantir uma operação segura”.


Foto: Divulgação/Latam

Belo Horizonte

Um outro problema envolvendo um voo da Latam está sendo investigado pelo Centro de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos (Cenipa). Na madrugada da última quinta-feira (20), um avião que havia decolado do Aeroporto Internacional de Cumbica, em Guarulhos, pouco depois da meia-noite, teve que fazer um pouso de emergência no Aeroporto Internacional de Belo Horizonte-Confins.

O Boeing 777 que levava 339 passageiros em um voo para Londres, capital inglesa, sofreu uma pane. Durante a aterrizagem, os pneus da aeronave acabaram sendo danificados. Segundo a BH Airport, concessionária que administra o terminal, a pista foi interditada às 1h43 e liberada totalmente para pousos e decolagens somente às 22h48. A concessionária informou que o reparo da aeronave, que teve vários pneus danificados, foi concluído às 21h58.

A Latam informou, por meio de sua assessoria de imprensa, que todos os passageiros do voo foram transportados para o Aeroporto de Guarulhos, onde embarcaram em outro avião da empresa para Londres.

Na sexta-feira (21), uma equipe de investigadores esteve no local para uma ação inicial da ocorrência envolvendo a aeronave que, além dos passageiros, estava também com16 tripulantes a bordo.

Raquel Dodge emite pareceres em série contra a reforma trabalhista

Raquel Dodge emite pareceres em série contra a reforma trabalhista

Parte das ações do processo aguardavam opinião da PGR para prosseguimento por parte do STF.

A procuradora-geral da República, Raquel Dodge, emitiu pareceres em série contra a reforma trabalhista. As manifestações foram apresentadas ao STF (Supremo Tribunal Federal) dias antes do início do recesso do Judiciário.
Parte das ações aguardava pela opinião da PGR para a corte dar prosseguimento à análise dos casos. Na quarta-feira (19), quatro posicionamentos de Dodge entraram no sistema do STF.
Todos eles são contrários total ou parcialmente a novas regras da CLT (Consolidação das Leis Trabalhistas), em vigor desde 11 de novembro de 2017. As mudanças foram aprovadas pelo Congresso e implementadas pelo governo Michel Temer.
As manifestações de Dodge se dão às vésperas do início do mandato do presidente eleito, Jair Bolsonaro (PSL). Ele propõe maior flexibilização das leis trabalhistas.
Em todas as ações, a Câmara dos Deputados diz que seguiu a tramitação legal. Senado Federal, AGU (Advocacia-Geral da União) e Presidência da República defendem a constitucionalidade da lei.
Dodge, porém, rejeita a correção de dívidas trabalhistas pela TR (taxa referencial) e a de depósitos judiciais pela poupança.
São dois pareceres. O tema é discutido em uma ADI (ação direta de inconstitucionalidade) e uma ADC (ação declaratória de constitucionalidade).
Para Dodge, a correção pela TR é uma violação do direito de propriedade.
"A inovação trazida pela lei 13.467 [reforma trabalhista], com adoção do índice da caderneta de poupança para a atualização monetária, foi positivada com ofensa aos esteios constitucionais, sendo imperiosa a utilização de outro índice", diz a procuradora-geral.


Raquel Dodge, Procuradora-Geral da República - Foto Marcelo Camargo/Agência Brasil

Ela ainda lembra que decisões do STF sobre correção monetária em condenações impostas ao poder público exigem a reposição da inflação.
Dodge sugere que a Justiça do Trabalho adote o IPCA-E (Índice de Preços ao Consumidor Amplo-Especial), do IBGE.
Hoje, parte dos juízes já usa esse índice, cuja divulgação, ao contrário do IPCA, a inflação oficial do país, é trimestral. O IPCA é mensal.
A procuradora-geral também é contra a fixação de indenização por dano moral atrelada ao salário.
A nova CLT prevê uma escala de ofensas. Elas vão de natureza leve a gravíssima. O juiz pode conceder uma indenização que varia de três vezes o salário do empregado a 50 vezes a sua remuneração.
Antes da reforma, cabia ao juiz estabelecer o valor.
Para Dodge, as novas regras são discriminatórias e afetam o direito da personalidade.
"Ao utilizar esse parâmetro, a norma valora a reparação do dano moral sofrido pelo trabalhador conforme a posição salarial por ele alcançada no mercado de trabalho, submetendo a dignidade humana, objeto da tutela, à estratificação monetária por status profissional", afirma.
Outro ponto atacado é o trabalho de gestante ou lactante em local insalubre. Pela reforma, o afastamento se dará após apresentação de atestado médico com essa recomendação.
"A (suposta) proteção -ou melhor, desproteção- que encerra não atende à urgência reclamada pela situação de vulnerabilidade da trabalhadora gestante ou lactante, nem condiz com a relevância dos bens jurídicos em questão (vida, saúde, maternidade, infância e trabalho digno e seguro)", afirma Dodge.
Para ela, a regra significa "retrocesso social".
Em outra ação, no fim de outubro, Dodge se manifesta sobre um dispositivo da nova lei que obriga a definição do valor da causa (quanto o trabalhador quer receber) já na petição inicial. Ela propõe uma interpretação à lei que tire seu caráter compulsório.
Para o advogado Jorge Pinheiro Castelo, do escritório Palermo e Castelo, os pareceres adequam regras da reforma justamente para que possam ter aplicação e trazer segurança jurídica. "A reforma em alguns pontos saiu da curva", afirma Castelo.
O presidente da Anamatra (associação de juízes trabalhistas), Guilherme Feliciano, destaca os aspectos jurídicos das manifestações da PGR.
"A crítica [da Anamatra, autora de ADIs] era técnica, e isso agora se revela pela caneta da PGR, que, a partir de uma análise equidistante e ponderada, aponta vários dos vícios de inconstitucionalidade da reforma", diz Feliciano.
De sete pontos polêmicos, a PGR defendeu a constitucionalidade de dois.
Dodge apoiou o fim do imposto sindical obrigatório. Ela deu aval ao trabalho intermitente -sem carga horária predefinida-, cujo julgamento foi suspenso e será retomado no dia 12 de junho de 2019.
Não há previsão para a análise dos outros casos.
Projeto de lei sobre gestante e lactante é aprovado no Senado
O Senado aprovou na terça-feira (18) o projeto de lei que altera regras sobre o afastamento de gestantes e lactantes em trabalho insalubre. O texto seguirá para a Câmara.
Segundo o projeto do senador Ataídes Oliveira (PSDB-TO), apenas poderá trabalhar em local de insalubridade mínima ou média a gestante que apresentar laudo de médico de confiança atestando sua capacidade de continuar no serviço.
O assunto foi tratado em medida provisória que caducou em abril, porque não foi votada pelo Congresso.
O texto da MP era parte de acordo do governo Michel Temer para que se aprovasse a reforma no Senado sem alterações, ou o texto teria de voltar para a Câmara.
A proposta aprovada na reforma de 2017 estabelecia o contrário: para ser afastada de local insalubre mínimo ou médio, a mulher deveria apresentar atestado comprovando a necessidade de afastamento.
Estoque de ações à espera de julgamento cai a patamar de 2012
Com a reforma trabalhista, o número de processos pendentes de julgamento caiu ao menor volume em seis anos.
Segundo o TST (Tribunal Superior do Trabalho), em outubro deste ano, últimos dados disponíveis, a Justiça do Trabalho tinha 1,2 milhão de ações à espera de julgamento.
O número é igual ao registrado no fim de 2012.
Desde o começo do ano, a redução é de 33%, e o estoque não para de baixar. Em dezembro de 2017, a Justiça do Trabalho acumulava um estoque de processos pendentes de 1,8 milhão.
As mudanças introduzidas pela reforma trabalhista impactaram diretamente o dia a dia das varas de todo o país.
Além de desafogar os estoques de processos e agilizar os julgamentos, a nova lei também fez cair o número de novas ações ajuizadas.
Neste ano, houve uma queda de 37% nos novos casos.

24 de dezembro de 2018

Funai pede reforço após ataque a base de proteção a índios isolados

Ao menos 17 diferentes grupos de índios isolados já foram registrados no interior da terra indígena.

A Fundação Nacional do Índio (Funai) pediu reforço da Polícia Militar do Amazonas e do Exército depois que homens armados atacaram uma base de proteção a índios isolados da Terra Indígena Vale do Javari, no oeste do estado do Amazonas, próximo à fronteira com o Peru.

Em nota divulgada hoje (24), a Funai confirmou que na madrugada do último sábado (22) homens não identificados alvejaram um flutuante da fundação e trocaram tiros com policiais militares que participavam de uma operação de rotina para coibir a ação ilegal de caçadores, pescadores.

A reportagem não conseguiu contato com representantes da PM e do Exército. A Funai destacou que o ataque “colocou em risco indígenas, servidores e policiais”.

Foto: Divulgação

A base instalada na confluência dos rios Ituí e Itacoai é uma das três existentes na Terra Indígena Vale do Javari. Localizada em uma região acessível apenas por via fluvial ou aérea, a reserva indígena de mais de 8,5 milhões de hectares (cada hectare corresponde, aproximadamente, às medidas de um campo de futebol oficial) abrigava a cerca de 7 mil índios, em 2010.

De acordo com a Funai, a terra indígena concentra o maior número de povos indígenas isolados da região. Ou seja, de grupos que, por vontade própria, evitam o contato ou tem pouca interação com as comunidades não-indígenas circundantes. Embora devam garantir o direito destes índios a seus territórios e protegê-lo da ação de invasores, a Funai e o Estado brasileiro procuram só estabelecer contato quando a sobrevivências destes grupos estejam severamente ameaçada.

Ao menos 17 diferentes grupos de índios isolados já foram registrados no interior da terra indígena – o que, se confirmado, corresponderia à maior concentração de grupos isolados em uma mesma reserva. Além destes, vivem na área, indivíduos das etnias Marubo, Kulina, Kanamari, Mayrouna e dos grupos Korubos e Tsohom Dyapá, ambos de recente contato.

Em seu site, a Funai explica que o isolamento pode ser uma opção coletiva adotada por alguns grupos indígenas que, no passado, sofreram com os impactos negativos decorrentes do contato com não-índios, como doenças típicas de populações urbanas, violência física e a espoliação de recursos naturais.

Em junho deste ano, representantes de 27 povos indígenas e de organizações indigenistas do Brasil, Bolívia, Colômbia, Equador, Paraguai, Peru e Venezuela participaram, em Brasília, do II Encontro Internacional Olhares sobre as Políticas de Proteção aos Povos Indígenas Isolados e de Recente Contato. Ao final do evento, aprovaram um documento no qual reafirmaram os “retrocessos” no tocante à promoção e garantia dos direitos dos povos indígenas em todos os países, “com efeitos particularmente graves para os povos em isolamento e contato inicial”, em particular na Bacia Amazônica.

Jair Bolsonaro brinca de dar facada em oficial da Marinha

Bolsonaro foi vítima de uma facada durante ato de campanha em Juiz de Fora (MG) em 6 de setembro, na véspera do feriado da Independência.

Em churrasco na Ilha de Marambaia (RJ), onde passará o Natal com a família, o presidente eleito, Jair Bolsonaro, brincou com o fato de ter sofrido uma facada em setembro, sugerindo que isso o ajudou a ser eleito no mês seguinte.

Em tom de brincadeira, apontou uma faca em direção à barriga de um oficial da Marinha, dizendo que ele poderia virar "presidente" da ONU (Organização das Nações Unidas) se também fosse atingido. O cargo correto é, na verdade, de secretário-geral da ONU. "Olha o tamanho da faca do cara", indagou, segurando o objeto. Depois de pessoas dizerem "esconde, esconde" e "cuidado", Bolsonaro brincou: "Ó, se eu botar isso aqui em você, você vai ser presidente [sic] da ONU, porra."

Foto: Reprodução/Agência Brasil

A cena consta em vídeo divulgado por um de seus assessores, que o acompanha no passeio na Ilha de Marambaia, área controlada por militares e escolhida pelo eleito para descanso antes da posse, em 1º de janeiro. Bolsonaro foi vítima de uma facada durante ato de campanha em Juiz de Fora (MG) em 6 de setembro, na véspera do feriado da Independência. O ato foi de autoria de Adelio Bispo de Oliveira, que foi preso em flagrante e confessou o crime em seguida.

O fato deu novo rumo à corrida presidencial, o que levou seus concorrentes a cancelarem compromissos nos dias que se seguiram ao atentado. Ele também foi impedido de fazer atos públicos até o primeiro turno, em 7 de outubro.

Bolsonaro passou 23 dias internado no hospital Albert Einstein e passou por duas cirurgias. Como ainda carrega uma bolsa de colostomia (que substitui parte do intestino), terá de ser submetido a uma terceira em janeiro, para a retirada do dispositivo.

O presidente eleito deixou de participar de debates durante a campanha argumentando dificuldades físicas pelo quadro de saúde, o que rendeu crítica de seus opositores, já que ele participou ao mesmo tempo de atos fora de casa. 

O episódio da facada foi explorado também em mensagem de Natal publicada nas redes sociais de Bolsonaro nesta segunda-feira (24). "Milagres existem. Juntos mudaremos o destino do Brasil. Feliz Natal", diz texto publicado junto à imagem em que Bolsonaro aparece com cara de dor, ao ser atingido pela facada em Juiz de Fora.

Voo da Latam tem problemas e retorna a Guarulhos após decolagem

Segundo a companhia aérea, Airbus precisou de manutenção corretiva; novo voo foi programado para esta segunda-feira (24).

Um voo da Latam, que partiu no início da madrugada de hoje (24) com destino a Paris, teve que retornar ao Aeroporto Internacional de Guarulhos devido a problemas técnicos. A companhia não detalhou quais foram os problemas enfrentados pela aeronave, apenas que o avião precisou voltar para uma “manutenção corretiva”.

A Latam informou, por meio de nota, que está prestando a “assistência necessária aos passageiros”. Segundo o comunicado, o voo foi remarcado para as 18h45 de hoje. A empresa disse ainda que considera que “a segurança é um valor imprescindível” e que “todas as suas decisões visam garantir uma operação segura”.

Foto: Reprodução/Latam

Belo Horizonte

Um outro problema envolvendo um voo da Latam está sendo investigado pelo Centro de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos (Cenipa). Na madrugada da última quinta-feira (20), um avião que havia decolado do Aeroporto Internacional de Cumbica, em Guarulhos, pouco depois da meia-noite, teve que fazer um pouso de emergência no Aeroporto Internacional de Belo Horizonte-Confins.

O Boeing 777 que levava 339 passageiros em um voo para Londres, capital inglesa, sofreu uma pane. Durante a aterrizagem, os pneus da aeronave foram danificados. Segundo a BH Airport, concessionária que administra o terminal, a pista foi interditada às 1h43 e liberada totalmente para pousos e decolagens somente às 22h48. A concessionária informou que o reparo da aeronave, que teve vários pneus danificados, foi concluído às 21h58.

A Latam informou, por meio de sua assessoria de imprensa, que todos os passageiros do voo foram transportados para o Aeroporto de Guarulhos, onde embarcaram em outro avião da empresa para Londres.

Na sexta-feira (21), uma equipe de investigadores esteve no local para uma ação inicial da ocorrência envolvendo a aeronave que, além dos passageiros, estava também com16 tripulantes a bordo.

Investigações contra João de Deus não param durante feriado

Força-tarefa já recebeu 596 relatos de mulheres que se dizem vítimas

A força-tarefa do Ministério Público (MP) de Goiás, que investiga as denúncias de crimes sexuais envolvendo o médium João Teixeira de Farias, o João de Deus, de 76 anos, não vai parar neste feriado de Natal nem de Ano Novo. O grupo recebeu 596 relatos de mulheres que se dizem vítimas, das quais 75 já foram ouvidas em Goiás e em outros estados.


Até o momento, 596 mulheres já relataram abusos praticados por João de Deus (Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil)

Das 255 pessoas identificadas, 23 tinham entre 9 e 14 anos na ocasião dos fatos,  28 entre 15 e 18 anos, e 70 com idade de 19 a 67 anos, segundo os promotores que atuam na força tarefa. Eles citam pelo menos três casos, cujos crimes envolvem estupro, violência sexual mediante fraude e estupro de vulnerável.

Para os promotores, o médium se valia da fé dos frequentadores, do respeito que tinham por ele e da fragilidade das pessoas, muitas vezes, com graves doenças, para tirar proveito da situação.

João de Deus está preso preventivamente desde o dia 16, no Núcleo de Custódia de Aparecida de Goiânia, a 18 quilômetros da capital. A defesa já recorreu ao Superior Tribunal de Justiça (STJ) e ao Supremo Tribunal Federal (STF), na tentativa de reverter a detenção para prisão domiciliar com tornozeleira.

INTERDIÇÃO
A Superintendência de Saúde em Vigilância de Goiás (Suvisa) fechou o laboratório que funcionava na farmácia da Casa Dom Inácio de Loyola, em Abadiânia. Segundo os técnicos, no local eram fabricados medicamentos em escala industrial, sem autorização.

De acordo com informações da força-tarefa, a interdição também menciona questões de manipulação contrárias às normas sanitárias e más condições de acondicionamento de instrumento cirúrgico. Houve autuação administrativa, cujo teor será analisado pelos promotores para as devidas responsabilizações.

A imprensa de Goiás informa sobre a existência de nove inquéritos já instaurados contra João de Deus, dos 16 casos denunciados à Polícia Civil até momento. Em um deles, já concluído, o médium foi indiciado por violação sexual mediante fraude.

O delegado-geral que acompanha o caso, André Fernandes, destacou que um grupo trabalha especificamente para analisar as armas localizadas em uma das residências do médium. Também há avaliação das pedras preciosas e do dinheiro encontrado, inclusive em moeda estrangeira.

BUSCA E APREENSÃO
Há três dias, houve nova busca na casa de atendimento do médium, em Abadiânia, para complementação do levantamento estrutural do empreendimento, em operação que envolveu a Polícia Civil e a Superintendência de Vigilância Sanitária.

A promotora de Justiça Gabriella de Queiroz disse que  foram apreendidos novos materiais, cuja especificação será detalhada pela Polícia Civil ao término dos trabalhos.

A força-tarefa do MP foi instituída pelo procurador-geral de Justiça no dia 10 de dezembro e ampliada, tendo agora como integrantes os coordenadores dos centros de Apoio Operacional Criminal e de Direitos Humanos, Luciano Meireles e Patrícia Otoni; o coordenador do Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco), Thiago Galindo; e os promotores de Justiça Cristiane Marques, Gabriella de Queiroz (membro do Gaeco), Paulo Penna Prado (subcoordenador do Centro de Apoio Operacional - CAO Criminal) e Augusto César Borges. 

23 de dezembro de 2018

Lista de convidados de Bolsonaro vai de parentes a amigos de pescaria

Lista de convidados de Bolsonaro vai de parentes a amigos de pescaria

Cerca de 140 nomes foram escolhidos pelo presidente eleito

Aproximadamente 140 nomes estão na lista de convidados pessoais do presidente eleito, Jair Bolsonaro, para a cerimônia de posse, em 1º de janeiro. AAgência Brasil apurou que entre os esperados em Brasília estão antigos parceiros de pescaria e líderes religiosos.

A família de Bolsonaro comparecerá em peso. A mãe, Olinda Bolsonaro, de 89 anos, Renato, único irmão do presidente eleito, filhos, noras, cunhados, netos e sobrinhos.

Também estão na lista os pastores evangélicos Silas Malafaia, Valdemiro Santiago, fundador da Igreja Mundial do Poder de Deus e presidente da Igreja Batista Atitude Central da Barra, pastor Josué Valandro, frequentada pela futura primeira-dama, Michelle Bolsonaro.

O fundador da Igreja Universal do Reino de Deus e proprietário da TV Record, bispo Edir Macedo, também está na lista.


Bolsonaro subirá a rampa do Palácio do Planalto no dia 1º de janeiro (Foto: Divulgação)

Convites

A distribuição de convites começou no último dia 10 e ainda não foi concluída, alguns são entregues via Sedex, outros em mãos. No total, somente para a cerimônia de posse no Congresso Nacional, serão distribuídos 2 mil convites.

Para a recepção no Itamaraty, são previstos outros mil convidados. Na lista protocolar estão autoridades de primeiro escalão do governo, militares de alta patente, chefes de Estado, diplomatas, parlamentares e governadores eleitos ou reeleitos de estados.

Estrangeiros

A expectativa é de que 60 delegações estrangeiras prestigiem a posse. As presenças já confirmadas são de presidentes de países vizinhos, como Maurício Macri (Argentina), Sebastián Piñera (Chile), Mario Abdo Benítez (Paraguai), Tabaré Vázquez (Uruguai), Iván Duque Márquez (Colômbia) e Marín Vizcarra (Peru).

Também vão desembarcar em Brasília, o primeiro-ministro de Israel, Benjamin Netanyahu, o secretário de Estado dos Estados Unidos, Mike Pompeu, além do presidente de Portugal, Marcelo Rebelo de Sousa.

MP abre inquérito para apurar ato de nepotismo do prefeito do Rio

MP abre inquérito para apurar ato de nepotismo do prefeito do Rio

Segundo a portaria, foi noticiado em mídias diversas que filho de Crivella estava auxiliando o pai na escolha do novo secretário de Cultura do município.

O Ministério Público do Estado do Rio de Janeiro (MPRJ), instaurou inquérito civil para apurar possíveis atos de improbidade administrativa cometidos pelo prefeito do Rio de Janeiro, Marcelo Crivella ao viabilizar que seu filho, Marcelo Hodge Crivella, atue como gerente de recursos humanos na prefeitura, além de interferir nas escolhas do Poder Executivo municipal.

Segundo a portaria, foi noticiado em mídias diversas que Marcelo Hodge Crivella estava auxiliando o pai na escolha do novo secretário de Cultura do município, inclusive realizando entrevistas com os candidatos ao cargo, agindo como um gestor de recursos humanos, de forma aparentemente clandestina. A atuação irregular, caso confirmada no contexto da investigação, viola o princípio da moralidade administrativa, regra descrita na Súmula Vinculante nº 13 do Supremo Tribunal Federal (STF).

Nepotismo

Em fevereiro de 2017, o  ato praticado pelo prefeito Marcelo Crivella de nomear seu filho para secretário da Casa Civil do Município do Rio de Janeiro gerou três reclamações no Supremo Tribunal Federal (TF). Uma delas, o pedido de Victor Travancas para afastar Marcelo Hodge Crivella do cargo de secretário Chefe da Casa Civil do município do Rio de Janeiro foi acolhida pelo relator ministro Marco Aurélio Mello.


Marcelo Crivella - Foto: Fernando Frazão/Agência Brasil

Em decisão tomada no dia 9 de fevereiro do ano passado, o ministro do STF, Marco Aurélio, anulou a posse do filho do prefeito do Rio de Janeiro, Marcelo Hodge Crivella, na Casa Civil do município do Rio. Na decisão, o ministro entendeu “que a nomeação afrontou decisão da Corte, que impede o nepotismo na administração pública”. O ministro atendeu a pedido feito por um advogado carioca.

Resposta

O prefeito Marcelo Crivella comentou o inquérito instaurado pelo Ministério Público do Rio de Janeiro (MPRJ) sobre suposta participação do filho dele, Marcelo Hodge Crivella, na prefeitura do Rio.  O prefeito destacou que o MP não pode ter uma atuação baseada em notas de jornal.

“Sei que o Ministério Público quer reconstruir sua imagem, daquele período do Cabral [ex-governador do Rio, preso na Lava Jato], do Eduardo Cunha, em que o povo do Rio de Janeiro cobrava providências e só o Ministério Público Federal tomou medidas. Mas não é assim que vai recuperar sua imagem. Todos queremos um Ministério Público altivo, ousado. Mas não pode ser o Ministério Público das notinhas de jornal” afirmou Crivella.

Bolsonaro diz no Twittter que Anvisa será ocupada por “perfil técnico”

Bolsonaro diz no Twittter que Anvisa será ocupada por “perfil técnico”

Segundo o presidente, o caráter técnico é “ algo que infelizmente é secundário diante da importância da Agência”.

O presidente eleito Jair Bolsonaro disse na manhã de hoje (23) pelo Twitter que a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) será ocupada por alguém com “perfil técnico”, característica destacado por Bolsonaro na rede social ao escrevê-la em caixa-alta.

Segundo o presidente, o caráter técnico é “ algo que infelizmente é secundário diante da importância da Agência”. Bolsonaro definiu a Anvisa como um “órgão que terá o merecido valor para o desenvolvimento da medicina e outras responsabilidade” em seu governo.


Foto: Valter Campanato/Agência Brasil

A Anvisa é uma agência reguladora  vinculada ao Ministério da Saúde que exerce o controle sanitário e aprovação de todos os produtos e serviços (nacionais ou importados) submetidos à vigilância sanitária, tais como medicamentos, alimentos, cosméticos, saneantes, derivados do tabaco, produtos médicos, sangue, hemoderivados e serviços de saúde. Ela também atua no monitoramento e fiscalização de ambientes, processos, insumos e tecnologias relacionados à saúde.

O presidente eleito Jair Bolsonaro está na Base da Marinha na Ilha de Marambaia, no litoral sul do estado do Rio de Janeiro, onde passará o Natal. O local tradicionalmente recebe presidentes da República e autoridades estrangeiras. No carnaval deste ano, recebeu o presidente Michel Temer e família.

Quina acumula e pode pagar R$ 8,5 milhões no próximo sorteio

As dezenas sorteadas foram: 04, 05, 15, 23 e 39.

O concurso 4858 da Quina acumulou e deve pagar R$ 8,5 milhões em seu próximo sorteio. As dezenas sorteadas foram: 04, 05, 15, 23 e 39. Veja o rateio:
  • Quina - 5 números acertados - Não houve acertador
  • Quadra - 4 números acertados - 135 apostas ganhadoras, R$ 4.536,44
  • Terno - 3 números acertados - 13.628 apostas ganhadoras, R$ 67,57
  • Duque - 2 números acertados - 271.679 apostas ganhadoras, R$ 1,86

Timemania
Também não houve ganhador no concurso 1273 da Timemania. Os números sorteados foram: 01, 03, 48, 58, 61, 63 e 67. O "time do coração" foi o FIGUEIRENSE/SC.
O próximo sorteio, dia 27, vai pagar o prêmio de R$ 6,8 milhões.
Confira o rateio:
  • 7 números acertados - Não houve acertador
  • 6 números acertados - 2 apostas ganhadoras, R$ 58.940,59
  • 5 números acertados - 152 apostas ganhadoras, R$ 1.107,90
  • 4 números acertados - 2985 apostas ganhadoras, R$ 6,00
  • 3 números acertados - 32166 apostas ganhadoras, R$ 2,00
  • Time do Coração - Figueirense/SC. - 7981 apostas ganhadoras, R$ 5,00


Foto: Paulo Pinto/ Fotos Públicas

Dupla
O 2º sorteio do concurso 1881 da Dupla-Sena teve uma aposta ganhadora, que leva o prêmio de R$ 92.852,28. Veja as dezenas sorteadas e o rateio:
1º sorteio - 04, 34, 37, 38, 39 e 47.
  • Sena - 6 números acertados - Não houve ganhadores
  • Quina - 5 números acertados - 26 apostas ganhadoras R$ 3.246,58
  • Quadra - 4 números acertados - 1.203 apostas ganhadoras R$ 80,19
  • Terno - 3 números acertados - 21.059 apostas ganhadoras R$ 2,29
2º sorteio - 22, 23, 27, 41, 44 e 45.
  • Sena - 6 números acertados - 1 aposta ganhadora R$ 92.852,28
  • Quina - 5 números acertados - 25 apostas ganhadoras R$ 3.038,80
  • Quadra - 4 números acertados - 1.204 apostas ganhadoras R$ 80,12
  • Terno - 3 números acertados - 23.801 apostas ganhadoras R$ 2,02

Federal
A Caixa sorteou ainda os bilhetes do concurso 5343 3 da Loteria Federal. Veja os principais prêmios:
Destino - Bilhete - Valor do Prêmio (R$)
  • 1º - 58354 - 2.700.000,00
  • 2º - 83606 - 36.000,00
  • 3º - 31589 - 35.000,00
  • 4º - 42705 - 32.200,00
  • 5º - 60140 - 30.998,00