‘Variante Ômicron ainda é rodeada de incertezas’, explica infectologista

A única certeza até o momento é do seu alto risco de contágio

03/12/2021 16:51h

Compartilhar no

Com pouco mais de uma semana desde que foi descoberta, a variante Ômicron, do novo coronavírus, já está presente em todos os continentes e cinco casos já foram confirmados em território brasileiro. Para o infectologista Nayro Ferreira, a única certeza até o momento é do seu alto risco de contágio e, consequente, rápido avanço pelo mundo. 

“Tem um poder de contágio muito grande. É tanto que ela foi descoberta na semana passada nos países da África e nessa semana já temos cinco casos aqui no Brasil. Não podemos dizer nesse momento que essa variante causa uma doença mais grave ou uma doença mais leve. O fato é que ela tem um poder mutagênico muito mais que a variante Delta”, disse em entrevista ao programa O Dia News, da O Dia Tv.

Foto: Jailson Soares / O Dia

Nayro explicou que a nova variante é rodeada de incertezas, como sua letalidade e o público mais propício a contraí-la. O especialista comenta que a eficácia das vacinas contra a Ômicron ainda são estudadas pelos laboratórios que desenvolveram imunizantes contra a Covid-19. 

“Existe uma população vacinada e desenvolveu a doença. Assim como estão desenvolvendo aqueles indivíduos que não têm o esquema vacinal completo. Essa população está adoecendo. Se essa vai ser a população mais atingida pela variante Ômicron ainda não temos essa certeza”, disse.

O surgimento da variante, segundo Nayro Ferreira, reforça a importância da manutenção da obrigatoriedade do uso da máscara e dos protocolos de distanciamento social. “O vírus se alimenta do nosso mau comportamento. Não é hora de baixar a máscara, de parar com as medidas sanitárias que estão desde o início da pandemia. Esse não é o momento correto”, finalizou. 

É permitida a reprodução deste conteúdo (matéria) desde que um link seja apontado para a fonte!

Compartilhar no

Deixe seu comentário