• Marcas Inesquecíveis 2018 02/02
  • assinatura jornal 2018

Notícias Art/Gente

18 de novembro de 2017

'Dia mais importante da carreira', diz Laís Ribeiro após sutiã milionário

Angel da Victoria's Secret, a top model piauiense foi escolhida para usar o luxuoso Fantasy Bra - sutiã avaliado em US$ 2 milhões - no desfile deste ano

Uma das integrantes do time de angels da Victoria's Secret, a piauiense Lais Ribeiro teve uma grande surpresa este ano: foi escolhida para vestir o Fantasy Bra - sutiã milionário que já foi usado por Gisele Bündchen, Candice Swanepoel, Alessandra Ambrosio e Adriana Lima. Batizada de Champagne Nights, a peça tem pedras preciosas como diamantes, safiras, topázio azul e ouro 18k e está avaliada em US$ 2 milhões (cerca de R$ 6,4 milhões).

Às vésperas do show, que este ano acontece em Xangai, na China, na madrugada deste domingo para segunda-feira, a modelo falou à Marie Claire sobre sua reação quando soube que vestiria a lingerie. "Não imaginava. Fui pega de surpresa e fiquei muito emocionada! Chorei bastante quando recebi a notícia porque era um sonho. Esse é o momento mais importante da minha carreira".


Lais Ribeiro com o Fantasy Bra, ' o sutiã milionário'. Foto: Reprodução/Instagram

Apesar de estar no auge aos 27 anos, Lais acredita que tem um longo caminho a seguir. "Estou em um momento muito feliz e importante da minha carreira, mas não deixo isso me acomodar. Continuo trabalhando e batalhando para evoluir a cada dia. Procuro dar o melhor de mim, sempre."

Lais faz parte do casting fixo da marca por ser angel, mas confessa que mesmo assim sente uma tensão antes do show. "Ainda fico nervosa, claro! É um trabalho muito importante e a emoção faz parte de qualquer ser humano. O frio na barriga é um impulso que me move em frente."

Cuidados com o corpo

Muitas modelos turbinam a malhação antes do desfile. Lais, porém, disse que não é adepta de intensivos porque prefrere manter uma rotina de exercícios físicos regular. "Não existe receita milagrosa ou resultado do dia para a noite. Nesta profissão, você precisa estar pronta a todo instante para os trabalhos que acontecem ao longo do ano, então me exercito diariamente". (Abaixo, assista Lais durante um treino)

Em relação à alimentação, a top disse que come de tudo. Ela inclusive já confessou que é fã de baião de dois. "Sigo uma dieta balanceada. Só evito açúcar e frituras. Antes do show, priorizo as proteínas".

16 de novembro de 2017

Cursos de dança estão com inscrições abertas na Escola Lenir Argento

As matriculas seguem até o dia 20 de dezembro

Se você tem afinidade pelo universo da dança, a hora de estreitar esse laço é agora. Estão abertas as inscrições para cursos da área na Escola Estadual de Dança Lenir Argento. São disponibilizadas 250 vagas, para novos alunos, distribuídas em três cursos, em horários que serão definidos em dezembro, após o encerramento do segundo semestre de 2017.

As matriculas seguem até o dia 20 de dezembro. Os cursos são de Balé e Dança Criativa destinado para crianças de 4 a 12 anos de idade, Dança Contemporânea, que tem como público-alvo jovens de 13 a 20 anos e turma de Expressão Corporal para adultos a partir dos 21 anos de idade.

As inscrições podem ser realizadas na sede da Escola Estadual de Dança Lenir Argento, localizada na Central de Artesanato Mestre Dezinho, de 8h às 12h e de 14h às 18h. “Os interessados devem se dirigir até a escola de dança portando uma cópia do RG ou certidão de nascimento e uma taxa de R$20”, explica o coordenador da escola, Datan Izaká.Para ingressar nos cursos, os novos alunos inscritos vão passar por uma avaliação, que acontece em janeiro. Atualmente, a Escola Estadual de Dança Lenir Argento possui cerca de 1.500 alunos. Além das turmas regulares, o local possui turmas especiais com alunos da terceira idade.

Todos os semestres são abertas inscrições para veteranos e novos alunos da escola. Quem já estuda no local costuma se apresentar ao final de cada período letivo. Nos dias 25 e 26 de novembro ocorre a segunda temporada de apresentações com o espetáculo “As Estações”, no Theatro 4 de Setembro, em duas sessões, às 17h e às 19h30.

Inspirado em “As quatro estações” de Antonio Vivaldi, os alunos veteranos e os professores da escola retratam, por meio da dança, uma abordagem que transforma as estações do ano nos quatro elementos da terra sendo: primavera - ar, verão - fogo, outono - terra e inverno – água.

13 de novembro de 2017

Apenas 11% das micro e pequenas empresas regularizaram situação na Receita

De acordo com a Receita, as empresas que não se regularizarem estarão impossibilitadas de transmitir a declaração relativa ao mês de outubro, que deverá ser apresentada até o dia 20 de novembro.

Apenas 11% das micro e pequenas empresas que caíram na malha fina da Receita Federal regularizaram a situação junto ao órgão, de acordo com balanço divulgado hoje (13). No total, a Receita Federal identificou a existência de informações inexatas nas declarações de 100 mil empresas e, consequentemente, a redução indevida dos valores a pagar.

De acordo com a Receita, as  empresas que não se regularizarem estarão impossibilitadas de transmitir a declaração relativa ao mês de outubro, que deverá ser apresentada até o dia 20 de novembro, além de estarem sujeitas a  penalidades, como a imposição de multas que variam de 75 a 225% sobre os débitos omitidos nas declarações anteriores e até mesmo a exclusão do Simples Nacional.

Para se regularizar, a empresa deve retificar as declarações anteriores, gerar e pagar o documento de arrecadação (DAS) complementar. O próprio PGDAS-D, que é um aplicativo disponível no portal do Simples Nacional, aponta as declarações a serem retificadas.

Nos últimos anos, a Receita Federal vem trabalhando no combate a diversos tipos de fraudes detectadas nas informações prestadas pelas empresas por meio das declarações apresentadas ao órgão.

Segundo a Receita, as quase 100 mil empresas, sem amparo legal, assinalaram no PGDAS-D campos como “imunidade”, “isenção/redução-cesta básica” ou ainda “lançamento de ofício”. Essa marcação acaba por reduzir indevidamente o valor dos tributos a serem pagos.

11 de novembro de 2017

Ex-vocalista da banda Faith no More morre após luta contra o vício

A família do cantor divulgou que sua morte foi decorrente de "doença do vício".

Chuck Mosley, o vocalista que antecedeu Mike Patton na banda norte-americana Faith no More, morreu na quinta (9), aos 57 anos.

A família do cantor divulgou que sua morte foi decorrente de "doença do vício". "Após um longo período de sobriedade, Charles Henry Mosley III perdeu sua vida", afirmaram seus parentes em nota .

"Estamos compartilhando a maneira como ele morreu na esperança de que possa servir como um aviso para qualquer um com dificuldades de lutar pela sobriedade", dizia o texto.

Mosley iniciou sua carreira em um cenário do pós-punk californiano. Foi vocalista do Faith No More entre 1985 e 1988 e participou da gravação dos dois primeiros discos da banda, "We care a lot" (1985) e "Introduce yourself" (1987). Mike Patton, que o substituiu, continua à frente do grupo.

No site oficial, a banda prestou homenagem ao músico. "Ele foi uma força de energia sem controle e provocadora, que trabalhava com convicção e nos ajudou a entrar em um caminho de singularidade e originalidade que não teria sido desenvolvido da mesma forma se ele não tivesse sua participação", escreveu a banda também em sua página no Facebook.

Nos anos 1990, Mosley também integrou a banda Bad Brains e ainda formou um grupo próprio, o Cement. Depois, passou a se dedicar a carreira solo e voltou a fazer participações em shows do Faith No More no ano passado.

10 de novembro de 2017

Miss Brasil, Monalysa Alcântara embarca para o confinamento do Miss Universo

A 66ª edição do Miss Universo acontecerá dia 27 de novembro no Axis Theater, em Las Vegas.

A Miss Brasil BE Emotion 2017, Monalysa Alcântara, está de malas prontas para o maior concurso de beleza do mundo. A 66ª edição do Miss Universo acontecerá em 26 de novembro, no Axis Theater, em Las Vegas, nos EUA, e a nossa beldade embarcará para o confinamento em 12 de novembro (próximo domingo), quando se juntará às candidatas de outros países ao redor do mundo para disputar o título de “mulher mais bela do Universo”. Campeão em audiência, o evento será novamente apresentado por Steve Harvey, transmitido para o mundo inteiro e os brasileiros poderão acompanhar a disputa ao vivo, pela tela da BAND, a partir das 22h. A atual Miss Universo é a francesa Iris Mittenaere.

Monalysa é piauiense e vive uma intensa preparação desde o final de agosto, quando foi eleita Miss Brasil BE Emotion 2017. Terceira negra a receber o título – a primeira foi a gaúcha Deise Nunes, em 1986 e, após a quebra de um jejum de 30 anos, Raissa Santana, representante do Paraná, levou o título no ano passado – Monalysa Alcântara protagoniza uma grande campanha digital nas redes sociais. A hashtag oficial #monaMU tem o intuito de engajar e aproximar, ainda mais, a mulher mais bonita do Brasil de seu grande público e impulsionar a torcida pela candidata ao título de Miss Universo.

No vídeo de abertura da campanha, a Miss Brasil BE Emotion 2017 se apresenta e defende sua plataforma de representatividade como uma mulher forte, negra e nordestina. O conteúdo do vídeo pode ser conhecido no canal oficial de Monalysa Alcântara no Youtube. E, durante todo o confinamento, uma sequência de vídeos mostra as diversas fases da intensa preparação da brasileira até o momento de seu embarque para os EUA: rotina de miss, academia, aulas de passarela, making of das fotos oficiais, maquiagem, alimentação, figurino, além de sua trajetória e seu envolvimento em causas sociais. Depoimentos e torcida de personalidades do mercado da moda, beleza, influenciadores e formadores de opinião também integram a ação, que pretende estimular o público a fazer parte dessa grande corrente, por meio das redes sociais do concurso no Facebook, Instagram e Twitter (@missbrasilbeemotion). Danilo Borges assina a sessão de fotos de toda a campanha digital e a beleza é de responsabilidade do maquiador André Veloso.

Três renomados estilistas são responsáveis pelos looks que a candidata brasileira levará na bagagem para brilhar na passarela do Miss Universo. O vestido escolhido para ressaltar a beleza de Monalysa durante o desfile preliminar é um luxuoso longo, de leve transparência, 12 metros de renda italiana bordada com pedras preciosas com fio de seda na cor off White e que leva a assinatura de Lucas Anderi. Com o traje típico denominado “Deusa Protetora da Natureza”, idealizado e produzido pela estilista Michelly X, abrasileira aproveitará a audiência do concurso para chamar atenção do mundo para o crescente problema das queimadas na Amazônia. Trata-se de um traje-performance, que se transforma no palco para revelar um segundo look, cujo principal objetivo é mostrar a crescente degradação da Amazônia. E, pela primeira vez, a estilista Glória Coelho assina o vestido de gala para o Miss Universo: uma peça bem diferente do esperado no mundo Miss, toda feita em tule, cetim de seda e cristais bordados à mão, em tons de Scarlet – cor escolhida especialmente para valorizar toda força e representatividade da mulher mais bela do Brasil.

Natural de Teresina e com apenas 18 anos de idade, a jovem já é reconhecida nacionalmente por defender o direito das mulheres, igualdade de gênero e raça. Emocionada, Monalysa Alcântara fala sobre suas expectativas antes da viagem. “Estou muito confiante, me preparei intensamente, acredito no meu potencial e vou lutar para representar muito bem o meu país, minha raça e o meu povo. Representar as brasileiras - principalmente a mulher negra e nordestina - é uma honra imensurável, será um sonho realizado”, ressalta a Miss Brasil BE Emotion 2017 que, na volta do Miss Universo, segue o seu reinado até o próximo concurso, realizado em maio de 2018.

Livro com entrevistas e relatos de Prem Baba será lançado em evento com guru

Em “O despertar de homens comuns”, o jornalista e escritor Nelson Liano Jr. compartilha os ensinamentos do líder espiritual, com quem peregrinou por vários lugares da Índia.

O autor Nelson Liano Jr. teve oportunidade de participar de duas temporadas de Satsangs (espécie de palestras espirituais) de Sri Prem Baba, em Rishikesh, na Índia, em 2016 e 2017. Ele se encantou com os ensinamentos de Sri Prem Baba e da Linhagem Sachcha. Então resolveu fazer uma investigação sobre a origem desse conhecimento milenar transmitidos pelos Sachchas. Peregrinou por vários lugares sagrados da Índia sob a guia de Sri Prem e de outros mestres yogues indianos para confirmar ser possível a realização espiritual de homens comuns.

O líder espiritual Sri Prem Baba

Sri Prem Baba é brasileiro, psicólogo, nasceu Janderson Fernandes, e percorreu vários caminhos espirituais antes de encontrar com seu mestre Maharaj Ji, em Rishikesh. Passou por uma iniciação intensa e profunda, de ordem filosófica e espiritual, para poder ensinar como Guru. A cada ano, os seus Satsangs atraem milhares de pessoas na Índia, no Brasil e no mundo, como seguidores do “guru do amor”, como é conhecido. Entre os fãs brasileiros há vários artistas, entre os quais Reynaldo Gianecchini, Bruna Lombardi, Márcio Garcia, Guilhermina Guinle, que são admiradores dos seus preceitos de amor e de desapego. Em Rishikesh, no Ashram Sachcha Dham, em Alto Paraíso de Goiás e em Nazaré Paulista (SP), os retiros de silêncio e as temporadas de ensinamentos promovidas por Sri Prem Baba provocam grandes transformações nas pessoas. O que Sri Prem Baba defende é a força do amor nos relacionamentos e a busca da verdade  – o Propósito capaz de trazer bem-estar e realização interior.

No programa “Conversa com Bial” (de 12/09/2017), Sri Prem Baba destaca: “A minha proposta é iluminar a alegria. É transformar o sofrimento em alegria. É possível transformar os nossos desafios em oportunidade de crescimento.” Neste momento de transição do planeta, não podemos permitir que a compaixão e o amor se esvaziem. É preciso cultivar o silêncio e permitir o despertar do autoconhecimento, capaz de trazer plenitude e paz às nossas vidas.

Sri Prem Baba é autor de quatro livros, todos best-sellers: PropósitoTransformando o sofrimento em alegria, Amar e ser livre e Flor do dia.

Nelson Liano Jr. é jornalista, escritor e editor. Passou pelos jornais O Globo, Última Hora, O Dia, Jornal do Brasil, pela agência Reuters, revistas Fatos e Fotos, Ele e Ela, Contigo, Planeta, Superinteressante e TVs Bandeirantes, Globo, SBT. Nos últimos anos foi apresentador de um programa de rádio diário para a Floresta Amazônica, em Cruzeiro do Sul, no Acre, pela Juruá FM. E assina uma coluna sobre política no site AC24horas de Rio Branco (AC). Escreveu os livros Manual prático do vampirismoBruxas: As habitantes do arShiva Jesus: Peregrinando com o vento em busca do ser e Acre: Um Estado florestal. Editou os dois primeiros livros de Paulo Coelho, O diário de um mago e O alquimista, pela extinta editora Eco, e foi criador e editor do selo Nova Era, do Grupo Editorial Record. Sempre teve dois temas recorrentes em seus trabalhos e escritos: a espiritualidade e a política. Para escrever este livro, Nelson realizou várias entrevistas com Sri Prem Baba e nos traz relatos que ajudam a encontrar o Propósito de nossas vidas.

Conhecida pelo humorístico 'Sai de Baixo', Márcia Cabrita morre aos 53

Atriz foi diagnosticada com câncer no ovário em 2010. No mesmo ano, se submeteu a uma cirurgia para a retirada dos ovários e do útero

A atriz e humorista Márcia Cabrita morreu aos 53 anos nesta sexta-feira (10). Em 2010, ela foi diagnosticada com câncer no ovário e se submeteu a uma cirurgia para a retirada dos ovários e do útero. Em seguida, iniciou quimioterapia para tratamento da doença. A informação da morte da atriz foi confirmada pela GloboNews.


A atriz participou recentemente da última novela das seis, 'Novo Mundo'. Foto: Divulgação/Globo

O trabalho mais recente de Márcia foi na novela "Novo Mundo", exibida pela TV Globo na faixa das 18h entre março e setembro deste ano. Ela interpretava a personagem Narcisa. Seu papel mais conhecido foi no humorístico "Sai de baixo", também da Globo. Ela participou do programa entre 1997 e 2000, no papel da empregada Neide Aparecida.

Ela estreou na TV na minissérie "As noivas de Copacabana" (1992). Dentre as novelas nas quais atuou, estão "Desejos de mulher" (2002), "Sete pecados" (2007), "Beleza pura" (2008) e "Morde & Assopra" (2001).

Ela também fez participações na série "Brava gente" (2000), no "Sítio do picapau amarelo" (2003) e nos humorístico "Sob nova direção", "A grande família" e "Pé na cova".

Mais recentemente, Márcia Cabrita esteve nos programas "Vai que cola", "Trai e coçar é só começar" e "Treme Treme", exibidos pelo Multishow. Márcia nasceu em Niterói em 20 de janeiro de 1964. A atriz deixa uma filha, Manuela, de 15 anos. Cacau Protásio, amiga da atriz, fez um post nesta manhã em em seu Instagram. "Amiga Vai com Deus. Eu tive o prazer, à alegria, a sorte de trabalhar, conviver, contracenar com você, eu amo você, o céu está em festa, pois está recebendo o anjo mais lindo, você fará muita falta, nos encontramos no céu".

07 de novembro de 2017

06 de novembro de 2017

Bial sobre cirurgia no coração: 'me deu um dó de ir embora tão cedo'

Em entrevista, apresentador conta que está escrevendo sobre experiência e diz que está tomando providências para o futuro.

Covidado de Bárbara Paz no programa A Arte do Encontro, do Canal Brasil, Pedro Bial contou que está escrevendo um livro sobre a cirurgia no coração que sofreu em setembro do ano passado, quando precisou colocar três pontes de safenas devido a artérias obstruídas e encarou o risco de morte. "Me deu pena, me deu um dó de ir embora tão cedo, a festa está boa, e eu nem aprendi a dançar ainda. Mas desde então eu estou pensando muito nisso, escrevendo sobre isso, fui provocado pelo Drauzio (Varella, médico) que escrevesse sobre a experiência", disse ele na atração, que será exibida no próximo dia 8, às 21h30.


Pedro Bial (Foto: Ramon Vasconcellos/ TV Globo)

O apresentador do Conversa com Bial revelou que "conheceu" a morte ainda criança. "Eu fui apresentado a ela quando meu pai morreu, eu era muito moleque, me senti muito traído, abandonado, enganado", explicou. "Vou falar de algo mais recente, comigo, tive uma coisa no coração, fiz uma cirurgia, e essa dama indesejada da gente apareceu na minha frente, e eu depois de ter muito medo e depois desse medo ser tão grande que se revelou inútil — porque o medo quando ocupa todos os espaços não serve mais para nada", analisou.

Pai de cinco filhos e esperando o sexto, uma menina que se chamará Laura com a jornalista Maria Prata, o jornalista admitiu ainda não ter fé. "Eu não acredito em porra nenhuma, aí não posso dizer que tenho fé. E isso é mal de profissão. Eu não conheço nenhum jornalista que acredita em alguma coisa, pelo menos nenhum bom jornalista, e eu me considero um jornalista razoável", disse ele, que se diz grato por estar vivo. "Eu acho que é o mais próximo da fé, essa coisa de estar grato, porque se eu estou grato por estar vivo, eu deveria estar grato a alguém ou algo, né? É isso que você pode chamar de Deus, mas que eu não chamo", afirmou. 

Aos 59 anos, o apresentador ainda falou sobre a passagem do tempo. "Eu sempre fui muito ansioso, isso está um pouquinho melhor, estou um pouquinho mais calmo, neste sentido está bom, olho pra trás sou uma pessoa melhor de quando era jovem, não está ruim não", explicou, revelando estar se preparando para o futuro. "Queria que demorasse bastante para passar. Minha vida inteira eu tive uma atitude diante das coisas, dos projetos, das coisas que sonhava, 'não, tudo bem, se não for pra agora, depois, mais tarde, o que são 10 anos, 10 anos não são nada?', e realmente 10 anos podem não ser muita coisa, mas 20 já são alguma coisa. Eu estou começando a perceber que certas coisas é melhor não esperar mais 10 anos, não, é tomar providências logo", avisou.

03 de novembro de 2017

Tatá Werneck se declara para Rafael Vitti: 'um homem sem medo de nada'

Atriz e apresentadora fez uma superdeclaração de amor no dia do aniversário do namorado.

Tatá Werneck está mesmo apaixonada. Na manhã de quinta-feira (2), a apresentadora fez um texto lindo para homenagear o namorado, o ator Rafael Vitti, pelo seu aniversário de 22 anos.


Tatá Werneck (Foto: Reprodução/Instagram)

"Tantos homens com medo. Medo de se relacionarem. De estarem ao lado de uma mulher independente. Medo do futuro. Medo do presente. Medos. Eis que chega um homem (que imprime menino, mas não caiam nessa) no auge dos seus 22 anos. Um homem sem medo de nada. Rafa é um velho sábio. Velho sábio com colágeno de menino aprendiz. E me mostrou que eu estava receosa em ver como seria algo que, na verdade, já estava sendo. Parei de acreditar nas relações. Passei a acreditar no Rafa. Quando somos mais novos temos a mania de nos apaixonarmos pela dificuldade. Pela angústia. Amamos sofrer. E talvez, só por ter vivido tudo isso, eu tenha hoje a maturidade de enxergar a beleza da paz. A beleza do silêncio. Da cumplicidade. Da parceria. Uma alma antiga (que encarnou mais tarde por motivos de Deus estava fazendo a mão aquele nariz) e que me ganhou no "não agir". Na mais profunda verdade. Falar a verdade e mostrar fragilidade pra muitos homens parece fraqueza. Num homem realmente seguro de si, é sinal de carácter. Você é algo que ainda não sei definir. Mas aconchega e ilumina qualquer lugar. Não compete. Não julga. É um poeta. Poeta que fica bem pra kct de sunga. Sofremos bastante preconceito quando anunciamos que estávamos juntos. Porque as pessoas nao estão acostumadas com o amor dos outros. E o amor, amigos, nao tem forma. Não tem regra. Como julgar o sentimento mais genuíno que há? E é triste que o amor ainda seja recebido com ódio. Bom, eu te recebo com a minha vontade de aprender com essa sua maneira linda e intensa de viver a vida. Obrigada por me dar tanta força  E me desculpe se eu mesma demorei a vencer meus medos e preconceitos. Pq hoje eu vejo que o único problema em vc ter 12 anos a menos, é ter tido 12 anos a menos ao seu lado. Te amo! Parabéns", escreveu ela.


Polícia britânica investiga acusação de assédio feita contra Kevin Spacey

Segundo informações do jornal "The Guardian", um homem alega ter sido assediado pelo ator em 2008, quando tinha 23 anos.

A polícia britânica está investigando outra acusação de assédio sexual feita contra o ator Kevin Spacey quando este ainda era diretor do Old Vic Theatre, em Londres.

Segundo informações do jornal "The Guardian", um homem alega ter sido assediado pelo ator em 2008, quando tinha 23 anos. A polícia não confirmou a identidade do suspeito como sendo a de Spacey.

O homem, agora com 32 anos, afirma ter sido abusado na casa de Spacey depois de tomar um drinque e perder a consciência. A vítima conta ter acordado com o ator tendo relações sexuais com ele. Depois de pedir para que parasse, foi alertado a não contar nada para ninguém.

Os dois haviam se reunido a pedido da vítima, que queria pedir ajuda em sua carreira como ator.


Kevin Spacey (Foto: Daniel Zuchnik/WireImage)

Denúncias anteriores

Na última semana, oito profissionais da equipe de "House of Cards" relataram à CNN que Spacey transformou as filmagens da série em um ambiente tóxico por causa de assédio sexual.

Entre os denunciantes está um assistente de produção, que diz ter sido atacado durante um deslocamento de carro a um set de gravação.

As acusações vieram pouco menos de uma semana depois de o ator Anthony Rapp relatar ao BuzzFeed news que Spacey o assediou quando tinha 14 anos, em 1985.

O ator pediu desculpas na segunda (30), mas disse não se lembrar do episódio. Após a denúncia, a Netflix suspendeu as gravações da sexta e última temporada de "House of Cards", segundo o site Deadline.

02 de novembro de 2017

Tata Werneck faz declaração emocionante para o namorado Rafa Vitti

A humorista escreveu sobre a diferença de idade de 12 anos que o casal tem e sobre o preconceito que viveram ao anunciar a relação

Tata Werneck começou sua quinta- feira (2) de feriado de forma bem romântica. A apresentadora publicou uma foto de Rafael Vitti, seu namorado, dormindo ao lado de um cachorrinho — uma homenagem ao aniversário de 22 anos do ator. 

Na legenda, a humorista escreveu texto superemocionante, que fala, entre outras coisas, sobre a diferença de idade de 12 anos que o casal tem e sobre o preconceito que viveram ao anunciar a relação ao público. 

Rafa Vitti (Foto: Reprodução/Instagram)

"Tantos homens com medo. Medo de se relacionarem. De estarem ao lado de uma mulher independente. Medo do futuro. Medo do presente. Medos. Eis que chega um homem (que imprime menino, mas não caiam nessa) no auge dos seus 22 anos. Um homem sem medo de nada. Rafa é um velho sábio. Velho sábio com colágeno de menino aprendiz. E me mostrou que eu estava receosa em ver como seria algo que, na verdade, já estava sendo. Parei de acreditar nas relações. Passei a acreditar no Rafa. Quando somos mais novos temos a mania de nos apaixonarmos pela dificuldade. Pela angústia. Amamos sofrer. E talvez, só por ter vivido tudo isso, eu tenha hoje a maturidade de enxergar a beleza da paz. A beleza do silêncio. Da cumplicidade. Da parceria. Uma alma antiga (que encarnou mais tarde por motivos de Deus estava fazendo a mão aquele nariz) e que me ganhou no "não agir". Na mais profunda verdade. Falar a verdade e mostrar fragilidade pra muitos homens parece fraqueza. Num homem realmente seguro de si, é sinal de carácter. Você é algo que ainda não sei definir. Mas aconchega e ilumina qualquer lugar. Não compete. Não julga. É um poeta. Poeta que fica bem pra kct de sunga. Sofremos bastante preconceito quando anunciamos que estávamos juntos. Porque as pessoas nao estão acostumadas com o amor dos outros. E o amor, amigos, nao tem forma. Não tem regra. Como julgar o sentimento mais genuíno que há? E é triste que o amor ainda seja recebido com ódio. Bom, eu te recebo com a minha vontade de aprender com essa sua maneira linda e intensa de viver a vida. Obrigada por me dar tanta força  E me desculpe se eu mesma demorei a vencer meus medos e preconceitos. Pq hoje eu vejo que o único problema em vc ter 12 anos a menos, é ter tido 12 anos a menos ao seu lado. Te amo! Parabéns", escreveu ela.

01 de novembro de 2017

Selena Gomez e The Weeknd não estão mais juntos, diz revista

Rotina pesada de shows distanciou casal, segundo a 'People'. Notícia surge após encontro entre Selena e Bieber, que enlouqueceu fãs de 'Jelena'..

Selena Gomez, 25, e The Weeknd, 27, não formam mais um casal, noticiou a revista "People", citando várias fontes próximas aos cantores. Dois dos nomes mais celebrados do pop, eles estavam juntos desde janeiro.

De acordo com a publicação, a rotina pesada de shows de Weeknd distanciou os dois, que continuam se falando, apesar do rompimento. O site especializado em celebridades TMZ afirma que foi o músico quem decidiu terminar o relacionamento.

Em março deste ano, Selena veio ao Brasil para assistir ao show de Weeknd no Lollapalooza, em São Paulo. A cantora revelou em setembro ter passado por um transplante de rim como parte do tratamento do lúpus.


Selena Gomez e The Weeknd em foto publicada pela cantora no Instagram (Foto: Reprodução/Instagram/Selena Gomez)

'Jelena'

As notícias sobre o término entre Selena e Weeknd surgem após bombarem na internet fotos de um encontro entre a cantora e o ex Justin Bieber. Eles tiveram um namoro ioiô entre 2011 e 2015.

O TMZ publicou as imagens nesta segunda-feira (30). Elas mostram os dois indo juntos a uma igreja e tomando café em Westlake Village, na Califórnia (EUA).

Os registros foram suficientes para enlouquecer os fãs de "Jelena" (apelido do ex-casal na internet), que torcem por um retorno. Segundo a "People" e o TMZ, porém, Selena e Bieber não estão juntos novamente.

Dustin Hoffman é acusado de assediar jovem de 17 anos em set de filmagem

Em coluna do jornal 'Hollywood Reporter', Anna Graham Hunter relatou o ocorrido nos anos 1980.Em nota, ator se desculpou por ter a 'colocado em uma situação desconfortável'.

ustin Hoffman me assediou sexualmente quando eu tinha 17 anos”. Assim, Anna Graham Hunter inicia seu relato acusando o ator em um texto para o jornal Hollywood Reporter. Anna relatou, no papel de colunista convidada da publicação, o que aconteceu no set de filmagem de “A morte de um caixeiro viajante”, em 1985.

“Ele me pediu para fazer uma massagem em seus pés em meu primeiro dia no set, eu fiz. Ele flertava comigo abertamente, apertava minha bunda, falava sobre sexo comigo e na minha frente. Numa manhã, fui até seu camarim para anotar o que ele queria no café da manhã; ele olhou para mim e sorriu, tomando seu tempo. Então, ele disse: 'quero um ovo cozido... e um clitóris macio'. O grupo caiu na risada, escreveu Hunter.

Ela recordou que logo após ouvir a frase, foi direto ao banheiro chorar.

Anna conta na coluna que durante as cinco semanas que trabalhou no set, detalhava sua rotina para irmã, que morava em Londres, enviando cartas pelo correio e guardava cópias para ela. Recentemente, releu todas as mensagens e usou trechos delas para fazer seu relato, alterando os nomes de algumas pessoas do elenco e produção.

Na segunda semana de set, Anna relata que Dustin questionada se ela havia feito sexo o final de semana e, dias depois, ela conta que o ator apertou suas nádegas diversas vezes.

Ela conta que chegou a conversar com a supervisora da produção após novos episódios e ela pediu para que Anna sacrificasse alguns de seus valores pelo bem da produção. “Ela disse que nos devíamos ter senso de humor e dar uma risadinha”.

Apesar dos relatos, a última frase retiradas das cartas de Anna era que: "Ninguém é 100% bom ou ruim. Dustin é um porco, mas eu gosto dele".

Ao final da coluna, Ao Hollywood Reporter incluiu uma nota de Dustin enviada após o contato da publicação. “Tenho o maior respeito pelas mulheres e me sinto terrível por qualquer coisa que posso ter feito que a tenha colocado em uma situação desconfortável. Sinto muito. Isso não é um reflexo de quem sou."

29 de outubro de 2017

Nan Goldin, uma das maiores fotógrafas do mundo, critica politicamente correto

Goldin estará em São Paulo na terça-feira para realizar uma palestra no Instituto Tomie Ohtake.

Da janela de seu ateliê numa ponta do Brooklyn, Nan Goldin vê as torres de Manhattan no horizonte, o prédio metálico da Chrysler brilhando feito uma agulha afiada entre as nuvens escuras.

"Nova York era feita de gente que queria fugir da América suburbana", dizia a artista, com o quarto cigarro da tarde entre os dedos. "E agora ela virou mais uma parte daquela mesma América."

Os inferninhos fervilhantes e as noites de sexo e drogas que ela fotografou ao longo de décadas como testemunho do hedonismo e da violência na maior metrópole americana se perderam para sempre à sombra dos arranha-céus de Donald Trump.

"Tudo parece limpo demais, controlado demais", diz a artista, uma das maiores fotógrafas do século passado. "Foi trágica a noite em que Trump foi eleito. Viver aqui se transformou numa coisa cruel. Ele ainda vai nos levar a uma guerra nuclear."

Esse seu pavor não parece exagerado. É real e casa com a narrativa de declínio pegajoso em toda sua obra plástica. Goldin construiu em imagens a crônica definitiva dos estragos da epidemia da Aids sobre uma geração, um lamento trágico pelo fim de uma era de liberdade desenfreada que deu lugar à atual era de controle e vigilância.

E também censura. Há seis anos, no que parece um estranho prelúdio do atual clima de guerra cultural, uma mostra da artista foi cancelada pelo Oi Futuro, no Rio, depois de o centro cultural sofrer críticas de detratores que viram pedofilia nas obras ""crianças nuas aparecem em algumas de suas fotografias.

Ela então desmarcou sua passagem pelo Brasil e conta que se esforçou para esquecer o assunto, resumindo suas memórias brasileiras às boates paulistanas -todas extintas- que conheceu em outra viagem nos anos 1990 e ao dia em que posou nua para Tunga, artista morto no ano passado, que visitou a sua suíte no Copacabana Palace.

Mas as lembranças da censura que sofreu devem voltar à tona na próxima terça, quando Goldin estiver em São Paulo para realizar uma palestra no Instituto Tomie Ohtake.

"É insano ver pedofilia no meu trabalho. Isso me dá nojo", diz Goldin. "Os grupos que atacam exposições de arte agora devem estar cheios de pedófilos. Eles só querem cultivar o medo. Quanto mais tratarem o sexo como algo secreto, mais assustadoras as coisas se tornarão. Não entendo por que toda a sexualidade humana deve ser mantida fora do alcance das crianças."

Ela fala tanto dos que pressionaram para censurar sua exposição, que acabou deslocada para o Museu de Arte Moderna do Rio, quanto dos protestos recentes no Brasil, que levaram à interdição da mostra "Queermuseu", no Santander Cultural, em Porto Alegre, e à proibição da entrada de menores de idade na mostra "Histórias da Sexualidade", em cartaz no Masp.

"Que ótimo legado eu deixei para o Brasil", ironiza a artista. "Museus estão se curvando para acomodar a vontade dessas pessoas? Eles não reagem? Não querem lutar?"

Suas perguntas, no caso, são retóricas. Goldin entende que o mundo da arte opera seguindo fluxos financeiros distantes de vontades estéticas ou criativas e denuncia um quadro de paralisia em museus e galerias de todo o planeta. Mas as pressões, ao contrário do que ocorre em ditaduras ou regimes totalitários, agora vêm de dentro.

"Não sei se existe ainda censura à arte. O mercado exerce um controle tão enorme sobre tudo, que a censura surge em vários níveis", diz a artista. "As obras nem chegam a ser mostradas para que possa haver censura. Ou são mostradas num contexto diluído. Há exposições sobre sexualidade e gênero, mas elas não vão muito longe."

Ou se perdem em conceitos. Goldin não parece ter muita paciência para o que entende como uma invasão do politicamente correto na esfera da arte, atacando o que classifica como "obras teóricas, que não vêm de dentro".

"Sempre foi uma meta do meu trabalho dar às pessoas um reflexo do que são", diz a artista. "Fotografava pessoas transando quando eu estava transando. Fotografava pessoas injetando heroína quando eu estava injetando. Eu participava de tudo porque as imagens eram sobre mim e as pessoas ao meu redor."

Essas pessoas ao redor, no caso, eram drag queens, gays, artistas e toda classe de drogados que viviam de bar em bar na Bowery, a avenida que corta o Lower East Side, bairro de Manhattan que deixou de ser meca da contracultura para virar território de butiques e galerias de arte –o mítico CBGB, onde tocavam os Ramones e os Misfits, virou uma loja de sapatos de grife.

"Morro de saudades daqueles dias", diz Goldin. "A cidade já era. Outro dia, uma mulher na Bowery veio me perguntar onde é que ficava Manhattan. Isso, para mim, resume toda essa situação."

Enquanto lamenta a passagem do tempo, Goldin também se esforça para que certas coisas fiquem no passado. Desde que perdeu seus amigos para overdoses ou a Aids, ela largou as drogas e também deixou de fotografar a noite, o sexo e a cidade.

"Não quero retratar a cena dos outros, nada que não seja meu", diz Goldin, que passou os últimos meses internada numa clínica de reabilitação para se tratar do vício em opiáceos, epidemia que consome os Estados Unidos.

"Esses tempos foram muito difíceis para mim. Eu apagava de um segundo para o outro", lembra. "Estou sóbria há uns meses, mas por isso estou só pintando e desenhando. Minhas fotografias agora são só de paisagens."

PALESTRA NAN GOLDIN

QUANDO terça (31), às 19h30

ONDE Instituto Tomie Ohtake - av. Faria Lima, 201, Pinheiros, tel. (11) 2245-1900

QUANTO grátis, retirada de senha duas horas antes na portaria

Grávida de gêmeas, Ivete Sangalo diz que faz xixi 18 vezes por noite

De bom humor, a cantora comentou que sempre se sente bonita e que gosta mesmo é de ficar sem maquiagem.

Grávida de duas meninas, Ivete Sangalo, 45, não cansa de se "amostrar", como ela mesma gosta de dizer.

Na tarde desta sexta (27), ela contou sobre a experiência da gestação de aproximadamente cinco meses durante um evento da marca de tintas de cabelo Koleston, em São Paulo.

"A barriga cresce muito mais relativo àquele mês [de gestação], crescem muito rápido, mexem freneticamente, chegam a me acordar".

A cantora Ivete Sangalo exibe a barriga em dia de descanso (Foto: Arquivo pessoa)

Segundo a cantora, em uma noite, chega a urinar cerca de 18 vezes. "De noite elas explodem. Faz xixi, volta, faz outro xixi, volta. Eu falo: 'meu deus, que horas vai parar esse xixi?'"

Marcelo, 9, seu primeiro filho com o marido Daniel Cady, 32, foi quem encomendou as irmãs. "Ele sempre pedia: 'quero um irmão, quero um irmão'. Um dia ele olhou para mim sério e falou: 'óh, tem que fazer aí'", disse.

"A gente ficou muito feliz porque não esperava gêmeos. Foi igual aquele sorvete que vinha com um recado no palito: 'você acaba de ganhar duas meninas'.

Sobre as peculiaridades da gravidez, a cantora brincou: "Elas crescem de dez em dez minutos."

"Eu não sinto cansaço. Eu não me limitei a absolutamente nada. A única coisa que, por instrução médica, [que não faço] é não pular."

De bom humor, a cantora comentou que sempre se sente bonita e que gosta mesmo é de ficar sem maquiagem. "A beleza, não sendo clichê, passeia por vários ambientes da nossa vida. O bem estar, a tranquilidade, o dever cumprido. Eu não sou aquela mulher que só me acho linda maquiada, não."

Mas, embora também tenha seus momentos "gente como a gente", Sangalo não nega um pouquinho de vaidade.

Diz já ter tingido o cabelo no avião, colocado uma touca de plástico e um boné para chegar no hotel e só ter que enxaguar. "Eu só não tomo banho no avião porque não tem chuveiro", brincou sobre sua rotina de beleza, sempre tumultuada entre um show e outro.

"A gente consegue ser mãe, esposa, dona de casa, ir trabalhar e ter sucesso e ser bonita e malhar e num sei o que. Isso é um poder feminino."

28 de outubro de 2017

21 de outubro de 2017

Elisabeth Roudinesco lança dicionário amoroso da psicanálise

Autora trata de sua predileção por dicionários e listas, defende o fim de sessões com menos de 15 minutos ("charlatanismo") e afirma que as famílias não vão acabar.

Elisabeth Roudinesco, 73, é historiadora da psicanálise e professora na École Pratique des Hautes Études em Paris. Lança, em seu país, o "Dictionnaire Amoureux de la Psychanalyse" (dicionário amoroso da psicanálise), edição conjunta da Plon e da Seuil. Não há previsão de lançamento da obra no Brasil.

No seu novo "dicionário amoroso", reflete sobre diferentes temas a fim de mostrar como a psicanálise se nutriu de literatura, cinema, teatro, viagem e mitologia para se tornar uma cultura universal.

Elisabeth Roudinesco, historiadora da psicanálise (Foto: Divulgação)

Em entrevista à Folha de S.Paulo em Paris, trata de sua predileção por dicionários e listas, defende o fim de sessões com menos de 15 minutos ("charlatanismo") e afirma que as famílias não vão acabar.

Ela se debruçou sobre livros e textos (como "A Consciência de Zeno", "O Segundo Sexo"); sobre figuras como Sherlock Holmes e Marilyn Monroe; sobre cidades e a relação com a psicanálise (como Nova York, Buenos Aires, Rio).

Há no dicionário uma extensa lista de palavras e experiências que permitem traçar a história e a geografia da psicanálise, uma aventura do espírito em permanente metamorfose. Optou por abordar temas (amor, angústia) em vez de conceitos (como o inconsciente).

Para Roudinesco, a psicanálise é uma das aventuras mais fortes do século 20, uma revolução da vida íntima fundada na atualização dos grandes mitos da Grécia antiga. Afirma que, apesar de ser determinado por um destino, o homem pode se liberar das suas pulsões graças a uma exploração das suas fantasias e dos seus sonhos.

A historiadora escreveu diversos livros que marcaram época, como "A Família em Desordem" e "Dicionário de Psicanálise" (este com Michel Plon), entre outros títulos traduzidos no Brasil.

PERGUNTA - É seu segundo dicionário. A sra. parece gostar deles.

ELISABETH ROUDINESCO - Gosto muito da forma do dicionário, das listas. Minha primeira leitura foi o dicionário porque meu pai era um devorador de dicionários. Há diferentes tipos de dicionário, os da língua, as enciclopédias. Também gosto muito da internet.

P. - Qual é a particularidade desse "dicionário amoroso"?

ER - O princípio era que fosse escrito na primeira pessoa; a escolha das diferentes entradas é arbitrária, e o desenvolvimento não é exaustivo.

P. - Como escolheu as entradas?

ER - Fiz uma primeira lista e, depois, fui escolhendo à medida que escrevia. Decidi que não haveria conceitos -inconsciente, consciência-, somente temas -angústia, amor, eros, Édipo. Decidi só falar dos protagonistas do movimento psicanalítico ao abordar as cidades. Também falo de filmes, escritores, romances, personagens de um romance que a gente encontra noutro.

P . - Uma diz respeito a Hitler.

ER - Sim, falei de atores da história, que foram objeto de considerações dos psicanalistas. Fiz uma entrada sobre os presidentes americanos por causa da loucura recorrente deles.

P. - Na introdução, a sra. lembra que há um mosaico de grupos de psicanálise e que cada um pretende ser o bom em detrimento dos outros. Acrescenta que a cultura psicanalítica só existe por ser plural e que, para compreendê-la, é necessário tirar da cabeça a ideia de escola superior. O que isso significa?

ER - Quando comecei a escrever sobre psicanálise, em 1982, me dei conta de que a riqueza do movimento psicanalítico francês se devia à multiplicidade de grupos. Depois, verifiquei que era assim em outros países.

P. - Mas todos os pontos de vista são bons quando se trata da cura analítica?

ER - Melanie Klein e Lacan foram os grandes renovadores da sua época, pela contestação. Agora, do ponto de vista da cura, observei que há, no mundo inteiro, diferentes práticas eficazes. Mas há práticas que precisam ser banidas.

P. - Quais delas, por exemplo?

ER - As sessões curtas. Trata-se de um charlatanismo. Chamo de sessão curta toda sessão que tem menos de 15 minutos. Lacan foi um transgressor extraordinário, mas imitá-lo é um desastre. A institucionalização da sessão curta deve ser banida.

A cura analítica pode ser feita de diferentes maneiras. Os lacanianos fazem uma interpretação fundada na linguagem. Os freudianos clássicos focalizam o sexo.

É preciso banir ainda a sessão silenciosa. Não faz sentido o analisando ficar meses no divã sem ouvir a voz do analista. Trata-se de uma tendência desenvolvida na Sociedade Internacional de Psicanálise. Para os analistas dela, o paciente deve se virar sozinho.

P. - A primeira entrada do dicionário é o amor, tema central na experiência analítica. Aborda também a relação de Freud com a mãe dele.

ER - Freud sempre considerou que o primeiro objeto de amor é a mãe -ou o seu substituto. O laço materno é fundamental, e a criança sempre o procura. Minha mãe, que se ocupava de recém-nascidos abandonados, observou que, não havendo um ser humano que substitua a mãe, há carências muito graves. A relação com uma pessoa real é fundamental. É inútil tentar substituí-la por uma coletividade, chupeta, mamadeira ou um computador.

P. - A sra. também menciona o que Freud disse sobre a paixão.

ER - Ele diz que nós não nos apaixonamos o tempo todo porque a paixão é destrutiva. Mas quem não viveu a paixão?

Freud era um romântico. Isso a gente vê na correspondência dele para sua futura mulher.

P. - Na entrada sobre o amor, a sra. fala ainda de Lacan e da comparação que faz entre o amor homossexual e o amor cortês.

Ele sempre disse que havia no amor cortês algo de homossexual. Para Lacan, o amor é narcísico, e o que a gente procura no outro é a própria imagem -nós somos todos mais ou menos homossexuais.

Lacan gostava da dimensão perversa do amor. Para ele, no amor, "a gente dá o que não tem para alguém que não quer o que a gente dá". Trata-se de uma ideia aterradora. Era um cético, libertino; um homem do século 18 e um homem moderno.

P. - Na entrada sobre a família, a sra. diz que o processo de desfamiliarização da sociedade ocidental, efetuada pela invenção da psicanálise, não corresponde à abolição da família, porém a sua perpetuação sob outras formas. Como assim?

ER - Como mulheres passaram a trabalhar e o divórcio se tornou possível, considerou-se que era o fim da família. É verdade que passamos de dez crianças para duas, mas as mulheres continuam a ter filhos.

Por outro lado, vimos que o divórcio não acabou com a família. Quando recomposta, não é pior do que a anterior. A ideia do fim da família é uma fantasia que existe desde sempre. Se os homossexuais também querem fazer uma família, é porque esta é desejável.


* Entrevista feita por BETTY MILAN, escritora e psicanalista, autora de "A Mãe Eterna" (ed. Record)

Sheron Menezes compartilha primeira imagem do filho

Na imagem divulgada no Instagram da atriz, Menezes aparece segurando o bebê instantes depois do parto.

Mãe pela primeira vez, Sheron Menezes, 33, emocionou seus seguidores com a primeira imagem do filho Benjamin. Nascido às 23h23 do dia 19 de outubro, de parto natural, o filho da atriz com Saulo Bernard pesa 3kg e tem 49cm de comprimento. "Lindão mesmo", escreve a mãe.

Na imagem divulgada no Instagram da atriz, Menezes aparece segurando o bebê instantes depois do parto. A foto de "Benji" -como a atriz o apelidou- teve mais de 60 mil curtidas só na primeira hora depois de publicada.

"Um dia pedi pro Papai do Céu um amor pra vida toda. Eu nem sabia o que estava pedindo", escreveu a atriz na legenda da imagem.

"Mas então, quando já nem lembrava mais o que tinha pedido, ele chegou. Chegou chegando, e da maneira que eu não planejei. Veio do jeitinho dele, rápido e já com muitas emoções pra contar", completou. 

Recentemente, aos oito meses de gravidez, a atriz posou nua para a revista "Quem", do grupo Globo. "Acho mulher grávida linda e estou me sentindo linda. Por que não vou dividir isso?", disse. 

Na mesma entrevista, a atriz disse que pretendia fazer parto humanizado. "É a única coisa que planejei, mas também não sei se vai dar certo. Eu quero parto normal, natural, sem anestesia, no hospital, com minha médica e com uma doula."

Sheron também usou as redes sociais para compartilhar as fotos do quarto de Benjamin. O sexo do bebê foi descoberto aos quatro meses de gestação.

20 de outubro de 2017

Mágico Mister M revela ter câncer em estado avançado

Em entrevista ao programa "Balanço Geral", da Record, o mágico revelou que está com câncer na próstata e que conta com a ajuda de um amigo brasileiro.

Lembra do Mister M, o mágico mascarado que fez sucesso com um quadro no "Fantástico", da Globo, no final dos anos 1990?
O mágico Mister M (Foto: Arquivo pessoal)

Nesta quinta-feira (19), o americano Val Valentino, cujo nome verdadeiro é Leonard Montano, voltou aos holofotes.

Em entrevista ao programa "Balanço Geral", da Record, o mágico revelou que está com câncer na próstata e que conta com a ajuda de um amigo brasileiro, Fernando Mauro Tezza, que organizou uma "vaquinha" on-line para levantar fundos para seu tratamento. 

Ao programa, Valentino, que tem 61 anos, contou que estava com a saúde debilitada, mas só conseguiu um diagnóstico preciso há dois. "Fui diagnosticado com algo muito ruim na próstata", disse sem querer mencionar a palavra câncer. 

Sem conseguir trabalhar neste período, o mágico gastou todas suas economias para manter a família. "Nós estamos falando sobre cinco anos não tendo condição de trabalhar porque eu não tinha condição de entrar em um avião porque a próstata inchava e eu tinha outros problemas. Eu não tinha energia e precisava me sustentar", disse.

O ilusionista agradeceu o carinho do público brasileiro e o apoio que seus fãs estão dando para que ele fique bem. Ele também comentou que pretende se tratar e se esforçar para que melhore logo. "Quando isso acontecer eu também gostaria de vir ao Brasil primeiro", acrescentou.

18 de outubro de 2017

Cristiano Ronaldo é a 2ª celebridade europeia mais bem paga, diz Forbes

O atacante do Real Madrid fica atrás somente da autora da série Harry Potter, JK Rowling.

Cristiano Ronaldo é a segunda celebridade da Europa mais bem paga. Na lista publicada pela revista "Forbes", o atacante do Real Madrid está atrás, somente, da autora JK Rowling, da saga Harry Potter.
A fortuna do português do Real Madrid é avaliada em 93 milhões de dólares (R$ 294 milhões segundo a cotação atual). O próximo atleta da lista é o Roger Federer, que é considerado a quinta celebridade europeia mais bem paga com 64 milhões de dólares (R$ 202 milhões).


Foto: ESPN

A lista também conta com Lewis Hamilton, Novak Djokovic, Fernando Alonso, Gareth Bale, Conor McGregor e Zlatan Ibrahimovic.

CONFIRA A LISTA:
1 - JK Rowling (Reino Unido, US $ 95 milhões)
2 - Cristiano Ronaldo (Portugal, 93 milhões de dólares)
3 - Coldplay (UK, US $ 88 milhões)
4 - Adele (Reino Unido, US $ 69 milhões)
5 - Roger Federer (Suíça, 64 milhões de dólares)
6 - Elton John (Reino Unido, US $ 60 milhões)
6 - Gordon Ramsey (Reino Unido, 60 milhões de dólares)
7 - Paul McCartney (Reino Unido, US $ 54 milhões)
8 - Rory McIlroy (Reino Unido, US $ 50 milhões)
9 - Calvin Harris (Reino Unido, US $ 48 milhões)
10 - Lewis Hamilton (Reino Unido, US $ 46 milhões)
11 - Simon Cowell (Reino Unido, US $ 43,5 milhões)
12 - Tiesto (Países Baixos, US $ 39 milhões)
13 - Sebastian Vettel (Alemanha, 38,5 milhões de dólares)
14 - Novak Djokovic (Sérvia, US $ 37,6 milhões)
15 - Ed Sheeran (Reino Unido, US $ 37 milhões)
16 - Fernando Alonso (Espanha, 36 milhões de dólares)
18 - Gareth Bale (Reino Unido, 34 milhões de dólares)
18 - Conor McGregor (Irlanda, US $ 34 milhões)
20. Zlatan Ibrahimovic (Suécia, US $ 32 milhões)