Teresa Britto cobra solução para crise no atendimento aos pacientes renais

Teresa Britto cobra solução para crise no atendimento aos pacientes renais

24/04/2019 14:15h

Compartilhar no

 

Teresa Brito cobra solução
Para pacientes renais
A deputada Teresa Britto (PV) comentou da tribuna o resultado de
audiência pública na comissão de Saúde e Educação e Cultura, que
tratou do quadro crítico dos pacientes renais crônicos. Ela considerou
inaceitável o fato de que o Hospital Getúlio Vargas tenha deixado de
fazer cirurgias por falta de uma reforma no centro cirúrgico, que
custa apenas R$ 228 mil.
 Outra dificuldade para o atendimento aos pacientes renais crônicos é
a falta de medicamentos. Ela lamentou que a Secretaria de Estado da
Saúde do Piauí (Sesapi) fique adquirindo medicamentos por etapas, em
pequenas quantidades, por falta de uma licitação que se arrasta há
mais de um ano. Outro ponto abordado pela deputada foi a falta de
recursos para que os pacientes que fazem tratamento fora possam viajar
de avião. De ônibus eles interrompem ainda mais o tratamento – frisou.
Em aparte, o deputado Evaldo Gomes (Solidariedade) disse que já se
ocupou do mesmo assunto em 2017. Ele sugeriu visita dos deputados à
farmácia do HGV e maior diálogo com os gestores da Saúde. Também em
aparte, o deputado Gustavo Neiva (PSB) citou a Dra. Lurdes, que
afirmou na reunião da comissão de Saúde que desde 2018 não é feita
cirurgia no HGV, por falta de R$ 228 mil. Outro que aparteou foi o
deputado Doutor Hélio (PR), que lembrou a suspensão dos repasses do
SUS para as cirurgias no HGV. Ele defendeu que a Prefeitura de
Teresina contribua para a solução do problema, já que o custo para a
Prefeitura seria de apenas R$ 5 mil.
A deputada Teresa Britto concluiu seu pronunciamento sugerindo que a
Assembleia, a exemplo do que foi feito para ajudar as vítimas das
cheias no Parque Rodoviário, consiga os R$ 228 mil para o HGV. Ela
disse que na condição de ex-vereadora de Teresina conhece o empenho da
gestão municipal na questão da saúde, cujos investimentos são de 35%
de seu orçamento.
Repórter: Raimundo Cazé.

A deputada Teresa Britto (PV) comentou, da tribuna, nesta quarta-feira (24), o resultado da audiência pública na Comissão de Saúde e Educação e Cultura, que tratou do quadro crítico dos pacientes renais crônicos. Ela considerou inaceitável o fato de que o Hospital Getúlio Vargas tenha deixado de fazer cirurgias por falta de uma reforma no centro cirúrgico, que custa apenas R$ 228 mil.

Outra dificuldade para o atendimento aos pacientes renais crônicos é a falta de medicamentos. A deputada lamentou que a Secretaria de Estado da Saúde do Piauí (Sesapi) compre medicamentos por etapas, em pequenas quantidades, por falta de uma licitação que se arrasta há mais de um ano. A falta de recursos para que os pacientes que fazem tratamento fora possam viajar de avião e de ônibus, atrapalham ainda mais o tratamento. Em aparte, o deputado Evaldo Gomes (Solidariedade) disse que já se ocupou do mesmo assunto em 2017. E sugeriu uma visita dos deputados à farmácia do HGV e maior diálogo com os gestores da Saúde.

Também em aparte, o deputado Gustavo Neiva (PSB) citou a Dra. Lurdes, que afirmou na reunião da Comissão de Saúde que desde 2018 não é feita cirurgia no Hospital Getúlio Vargas por falta de R$ 228 mil.

Outro que aparteou foi o deputado Dr. Hélio Oliveira (PR), ao lembrar a suspensão dos repasses do SUS para as cirurgias no HGV. O parlaementar defendeu que a Prefeitura de Teresina contribua para a solução do problema, já que o custo para a PMT seria de apenas R$ 5 mil. A deputada Teresa Britto concluiu o pronunciamento sugerindo que a Assembleia, a exemplo do que foi feito para ajudar as vítimas das cheias no Parque Rodoviário, consiga os R$ 228 mil para o HGV.

A oradora disse que, na condição de ex-vereadora de Teresina, conhece o empenho da gestão municipal na questão da saúde, cujos investimentos são de 35% de seu orçamento.

Raimundo Cazé - Edição: Katya D'Angelles


Fonte: Alepi
Compartilhar no
Fonte: Alepi

É permitida a reprodução deste conteúdo (matéria) desde que um link seja apontado para a fonte!


Deixe seu comentário


Notícias Relacionadas