Francisco Costa propõe lei para o reuso das águas no Piauí

Francisco Costa propõe lei para o reuso das águas no Piauí

22/03/2019 13:15h

Compartilhar no

 

“Ao passo em que buscamos a conscientização da sociedade em relação ao consumo de água, na mesma linha, precisamos também efetivar medidas para o reuso da água um bem tão precioso e necessário para todos”. Foi a partir desta prerrogativa que o deputado estadual Francisco Costa apresentou projeto de lei que visa o reaproveitamento de águas servidas e pluviais, na Assembleia Legislativa do Piauí (Alepi).
O deputado ressaltou ainda que, ao longo dos anos, algumas medidas já vêm sido tomadas como a construção de barragens, adutoras, perfuração de poços tubulares e até a implantação de cisternas para aumentar a oferta hídrica. No entanto, o Piauí convive constantemente com o desafio de aprimorar seus processos de captação e tratamento da água, para proporcionar o uso racional bem como sua devolução às seus mananciais com o mínimo possível de impureza de forma a não agredir o meio ambiente.
O sistema de coleta é uma alternativa racional pouca aproveitada, a exemplo de Teresina que, atualmente, produz uma média de 127 milhões e 500 mil litros de água por dia, que além da perda antes mesmo de chegar às torneiras, temos zero de reaproveitamento de água servida.
Em Curitiba, por exemplo, já conta com uma lei que obriga o sistema de coleta de água pluvial para o reuso em condomínios residenciais. O que resultou uma redução de até 50% na conta de água, conforme divulgado pelo jornal Gazeta do Povo. Estados como o Maranhão, Goiás, Rio de Janeiro e Espírito Santo também dispõem de leis que tratam sobre o reuso de águas.
Entenda o Projeto na prática - Com a implantação do projeto, Francisco Costa frisa que “os novos empreendimentos imobiliários como condomínios, grandes projetos residenciais dentre outros, deverão prever a construção de reservatórios com sistema de tratamento para reuso da água servida, deixando-a em condições para regar jardins, lavar calçadas, carros etc. Essas ações permitirão uma redução de 20% a 50% no consumo de água potável. Já a concessionária  de águas e esgoto deve também cuidar do tratamento e reaproveitamento da água por ela produzida devendo devolver aos mananciais um esgoto com no mínimo 95% de pureza, isso impactará significativamente na preservação ambiental”, avalia.

“Ao passo em que buscamos a conscientização da sociedade em relação ao consumo de água, na mesma linha, precisamos também efetivar medidas para o reuso da água, um bem tão precioso e necessário para todos”, defendeu o deputado estadual Francisco Costa, ao propor na Assembleia Legislativa, o Projeto de Lei sobre o reaproveitamento das águas servidas e pluviais.
 

O deputado ressaltou que, ao longo dos anos, algumas medidas foram adotadas, como a construção de barragens, adutoras, perfuração de poços tubulares e até a implantação de cisternas, para aumentar a oferta hídrica.

No entanto, acrescentou o parlametnar, o Piauí convive constantemente com o desafio de aprimorar os processos de captação e tratamento, para proporcionar o uso racional da água, bem como a devolução dessa água aos mananciais sem impureza, de forma a não agredir o ambiente.

O sistema de coleta é uma alternativa racional pouca aproveitada, a exemplo de Teresina que, atualmente, produz uma média de 127 milhões e 500 mil litros de água por dia, que além da perda antes mesmo de chegar às torneiras, temos zero de reaproveitamento de água servida.

Em Curitiba, uma lei em vigor obriga o sistema de coleta de água pluvial para o reuso em condomínios residenciais. A medida resultou na redução de até 50% na conta de água, conforme divulgado pelo jornal Gazeta do Povo.

Estados como o Maranhão, Goiás, Rio de Janeiro e Espírito Santo também dispõem de leis que tratam do reuso de águas.

“Os novos empreendimentos imobiliários, como condomínios, grandes projetos residenciais, dentre outros, deverão prever a construção de reservatórios com sistema de tratamento para reuso da água servida, deixando-a em condições para regar jardins, lavar calçadas, carros etc. E
ssas ações permitirão uma redução de 20% a 50% no consumo de água potável", prevê o deputado.

Já as empresas concessionárias de águas e esgoto deverão cuidar do tratamento e reaproveitamento da água por ela produzida, que será devolvida aos mananciais com, no mínimo 95% de pureza, isso impactará significativamente na preservação ambiental, 


Assessoria parlamentar - Edição: Paulo Pincel


Fonte: Alepi

É permitida a reprodução deste conteúdo (matéria) desde que um link seja apontado para a fonte!

Compartilhar no
Fonte: Alepi

Deixe seu comentário


Notícias Relacionadas