Dr. Pessoa pede fim do ponto eletrônico para médicos do Estado

Dr. Pessoa pede fim do ponto eletrônico para médicos do Estado

04/07/2017 13:15h

Compartilhar no

 

Dr. Pessoa pede fim do ponto eletrônico para médicos do Estado
O deputado Dr. Pessoa (PSD) pediu, hoje (4), ao governador Wellington Dias e ao secretário de Administração, Franzé Silva, que acabem com o ponto eletrônico para os médicos do serviço público estadual e estabeleçam metas para que sejam cumpridas pelos profissionais. Ele disse que a medida deve ser estendida ainda a outras categorias, como os bombeiros militares.
Dr. Pessoa manifestou apoio ao movimento realizado pelos médicos contra as faltas registradas pelo ponto eletrônico e que têm reduzido os valores de seus contracheques no final do mês. “Sou a favor de que sejam definidas metas e os médicos que não cumprirem aquilo que for determinado para eles devem ser punidos pelos gestores dos órgãos públicos”, declarou ele.
Esclareceu o parlamentar do PSD que os médicos, muitas vezes, ficam de sobreaviso e não são obrigados a estar presentes nos estabelecimentos de saúde, por isso o mais correto, segundo ele, é a definição de metas. Ele declarou que trabalha há mais de 40 anos como médico e chega a ficar mais tempo no centro cirúrgico do que o estabelecido para os seus plantões.
Por J. Barros

 

 


O deputado Dr. Pessoa (PSD) pediu, hoje (4), ao governador Wellington Dias e ao secretário de Administração, Franzé Silva, que acabem com o ponto eletrônico para os médicos do serviço público estadual e estabeleçam metas para que sejam cumpridas pelos profissionais. Ele disse que a medida deve ser estendida ainda a outras categorias, como os bombeiros militares.

Dr. Pessoa manifestou apoio ao movimento realizado pelos médicos contra as faltas registradas pelo ponto eletrônico e que têm reduzido os valores de seus contracheques no final do mês.

 

 

“Sou a favor de que sejam definidas metas e os médicos que não cumprirem aquilo que for determinado para eles devem ser punidos pelos gestores dos órgãos públicos”, declarou ele.Esclareceu o parlamentar do PSD que os médicos, muitas vezes, ficam de sobreaviso e não são obrigados a estar presentes nos estabelecimentos de saúde, por isso o mais correto, segundo ele, é a definição de metas. Ele declarou que trabalha há mais de 40 anos como médico e chega a ficar mais tempo no centro cirúrgico do que o estabelecido para os seus plantões.

 

 

 

 

 








J. Barros - Edição: Katya D'Angelles 

 


Fonte: Alepi

É permitida a reprodução deste conteúdo (matéria) desde que um link seja apontado para a fonte!

Compartilhar no
Fonte: Alepi

Deixe seu comentário


Notícias Relacionadas