• Premium Outlet
  • Salve Maria
  • Jovens escritores 2019
  • Banner paraíba
  • AZ no rádio
  • cachoeir piaui
  • Novo app Jornal O Dia
  • TV O DIA att
  • TV O Dia - fullbanner

Coronel Carlos Augusto comenta ação policial contra assaltantes

Coronel Carlos Augusto comenta ação policial contra assaltantes

13/05/2019 14:15h

 

Coronel Carlos Augusto comenta ação policial contra assaltantes
O deputado Coronel Carlos Augusto (PR) comentou a ação policial que enfrentou uma quadrilha que assaltou a Caixa Econômica e o Banco do Brasil em Campo Maior, com o resultado de nove mortos e seis prisões, sem que nenhum membro da polícia tivesse sido morto ou ferido. Ele enalteceu o papel dos policiais, com o apoio de colegas do Ceará, destacando o empenho do secretário de Segurança, capitão Fábio Abreu, que se fez presente ao combate, dando força aos seus subordinados.
Em sua fala o deputado informou que a operação resgatou a importância de R$ 94 mil. Disse também que apenas um piauiense,Paulo Madruga, foi morto na operação. Os demais eram todos naturais de Uberlândia, em Minas Gerais. Em aparte, o deputado Ziza Carvalho (PT) se solidarizou com o orador e ao mesmo tempo enalteceu o papel do secretário de Segurança, capitão Fábio Abreu.
Prosseguindo em seu pronunciamento, o coronel Carlos Augusto manifestou-se inteiramente contrário ao decreto de armamento do presidente Jair Bolsonaro e aos cortes nas verbas das universidades, chegando a criticar as gesticulações feitas sobre porte de armas em reuniões do governo. Ele disse que como comandante da Polícia Militar nunca ensinou um filho seu a usar uma arma. Citou o episódio em que o piauiense José Ferreira foi assassinado em seu próprio carro, sem ter certeza de que ele teria reagido.
O deputado Francisco Limma (PT) também ofereceu aparte para elogiar a ação da polícia contra os assaltantes em Campo Maior, sobretudo o secretário de Segurança. Ele disse acreditar que a idéia de armamento da sociedade parte de fabricantes de armas que apoiaram o presidente em sua campanha. Ele lamentou que outros bandidos estejam ameaçando as populações de vários municípios no Estado.
Carlos Augusto concluiu seu pronunciamento defendendo o aumento no efetivo da Polícia Militar, para que o combate à violência seja mais eficiente. O presidente da sessão, deputado Dr. Hélio (PR) defendeu o trabalho das autoridades policiais piauienses, parabenizando o orador pelo seu pronunciamento. 
Raimundo Cazé - Edição: Katya D'Angelles

 

O deputado Coronel Carlos Augusto (PR) comentou a ação policial que enfrentou uma quadrilha de assaltantes que agiu na Caixa Econômica e no Banco do Brasil em Campo Maior; com o resultado de nove mortos e seis prisões, sem que nenhum membro da Polícia tivesse sido morto ou ferido. Ele enalteceu o papel dos policiais, com o apoio de colegas do Ceará, destacando o empenho do secretário de Segurança, capitão Fábio Abreu, que se fez presente ao combate, dando força aos seus subordinados.Em sua fala o deputado informou que a operação resgatou a importância de R$ 94 mil. Disse também que apenas um piauiense,Paulo Madruga, foi morto na operação. Os demais eram todos naturais de Uberlândia, em Minas Gerais. Em aparte, o deputado Ziza Carvalho (PT) se solidarizou com o orador e ao mesmo tempo enalteceu o papel do secretário de Segurança, capitão Fábio Abreu.Prosseguindo em seu pronunciamento, o coronel Carlos Augusto manifestou-se inteiramente contrário ao decreto de armamento do presidente Jair Bolsonaro e aos cortes nas verbas das universidades, chegando a criticar as gesticulações feitas sobre porte de armas em reuniões do governo.

 

Ele disse que como comandante da Polícia Militar nunca ensinou um filho seu a usar uma arma. Citou o episódio em que o piauiense José Ferreira foi assassinado em seu próprio carro, sem ter certeza de que ele teria reagido.O deputado Francisco Limma (PT) também ofereceu aparte para elogiar a ação da polícia contra os assaltantes em Campo Maior, sobretudo o secretário de Segurança. Ele disse acreditar que a idéia de armamento da sociedade parte de fabricantes de armas que apoiaram o presidente em sua campanha. Ele lamentou que outros bandidos estejam ameaçando as populações de vários municípios no Estado.Carlos Augusto concluiu seu pronunciamento defendendo o aumento no efetivo da Polícia Militar, para que o combate à violência seja mais eficiente. O presidente da sessão, deputado Dr. Hélio (PR) defendeu o trabalho das autoridades policiais piauienses, parabenizando o orador pelo seu pronunciamento. 

 

 

Raimundo Cazé - Edição: Katya D'Angelles

 


Fonte: Alepi Fonte: Alepi

Deixe seu comentário