• SOS Unimed
  • Fagner
  • Trilha das emoções
  • Novo app Jornal O Dia

Cícero Magalhães critica comando da operação Lava Jato

Cícero Magalhães critica comando da operação Lava Jato

10/06/2019 14:15h


O diálogo do atual ministro da Justiça, Sérgio Moro, com o coordenador da força-tarefa da Lava Jato, Deltan Dallagnol, onde eles teriam trocado mensagens de texto privadas, gravações em áudio, vídeos, fotos, documentos judiciais e outros itens compartilhados entre os dois, refletiu na fala dos deputados da base governista, nesta manhã de segunda-feira (06), no plenário da Assembleia Legislativa do Estado do Piauí.

O deputado Cícero Magalhães (PT) foi a tribuna para dizer que está preocupado com o momento em que o Brasil vive hoje, referindo-se ao fato da divulgação da conversa do ministro e do promotor de Justiça. Primeiramente o parlamentar fez uma explanação sobre a situação do ex-presidente Lula, que segundo ele, passou parte da sua vida, sofrendo perseguições políticas.

Magalhães relatou programas socais, realizados na gestão do ex-presidente em seus mandatos e disse que Lula saiu do poder com quase 80% (oitenta) de aprovação da população brasileira. Ele disse ainda que Lula tirou cerca de 40 (quarenta) milhões de pessoas da pobreza e que a sua sucessora, a ex-presidente Dilma, deu continuidade a sua gestão e fez uma nação de pleno emprego e continuidade também aos programas sociais.

O deputado disse que houve um plano diabólico, para que o presidente Lula não concorresse às eleições passadas, para presidente da República. Ele lembrou das palavras do Papa Francisco, em carta enviada A Lula, na cadeia, sobre o ex-presidente ter paciência e que a verdade prevalecerá.

Magalhães disse também que falta caráter nessa gente que se organizou como alternativa de poder, para prejudicar o ex-presidente Lula e que tem que haver punição para o juiz Sérgio Moro e para o coordenador da Lava Jata, bem como para todos que participaram da organização, para impedir que o ex-presidente fosse impedido de concorrer as eleições presidenciais.

APARTES - O deputado Ziza Carvalho (PT) falou sobre, segundo ele, a linha de defesa do ministro Sérgio Moro e da “patotada”, para incriminar o ex-presidente Lula e os grampos feitos por Moro, não só com Lula, mas também, com a ex-presidente Dilma Rousseff, advogados, entre outros. O parlamentar fez o plenário ouvir um áudio de uma entrevista do Ministro Moro, concedida no programa do jornalista Pedro Bial, na Globo, onde o ministro dizia que tomou a decisão certa, para condenar o ex-presidente Lula. “Esse juiz merece ir para a cadeia”, disse o deputado Ziza Carvalho, acrescentando que quer saber de todo o conteúdo das gravações entre Moro e Deltan Dallagnol.

O deputado Franzé Silva (PT) comentou que irá colher assinaturas de parlamentares, para apresentar, na Casa, um requerimento, que será encaminhado ao Conselho Superior da Magistratura, solicitando o afastamento do ministro Sérgio Moro e de todos os procuradores da Lava Jato. O parlamentar também ressaltou os programas sociais, realizados na gestão do ex-presidente Luís Inácio e enfatizou que “armaram uma quadrilha no Judiciário, para prender Lula.

Para o deputado Nerinho (PTB) é preciso investigar de forma ais profunda, sobre a divulgação das falas entre Moro e o coordenador da Lava Jato. “Eu ainda acredito na Justiça e que teremos uma apuração séria. E quem tiver culpa que pague”, reforçou.

O deputado Francisco Limma (PT) disse que “mentira tem pernas curtas” e que a verdade prevalecerá, e que entende que exista um conluio, dentro do Poder Judiciário e que resultaram na condenação do ex-presidente Lula. Ele disse ainda que a liberdade de Lula deve ser restituída.

O deputado Cícero Magalhães finalizou dizendo que não se pode bater palmas quando uma injustiça bate à porta de um cidadão. 

 

Lindalva Miranda - Edição: Caio Bruno  


Fonte: Alepi Fonte: Alepi

Deixe seu comentário


Notícias Relacionadas