Audiência pública na Assembleia Legislativa debate o bullying nas escolas do Piauí

Audiência pública na Assembleia Legislativa debate o bullying nas escolas do Piauí

30/04/2019 13:15h

Compartilhar no

 

Audiência pública debate o bullyng nas escolas
A Comissão de Direitos Humanos e Juventude se reuniu hoje (30) e discute a violência nas escolas e o bullying no ambiente escolar, com o objetivo de evitar o episódio que ocorreu recentemente na cidade de Suzano, em São Paulo, com a agressão a vários estudantes. A solicitação foi do deputado Oliveira Neto (Cidadania).
Oliveira Neto afirmou que o objetivo é conseguir subsídios para elaborar um Projeto de Lei que deverá apresentar na Assembleia legislativa com a finalidade de combater o bullying nas escolas. O parlamentar citou que, no Piauí, recentemente, aconteceu alguns casos em Picos, Floriano e Miguel Alves onde jovens cometeram o mesmo tipo de crime.
“Em Suzano aconteceram várias mortes. Já na cidade de Picos um menor de 13 anos ateou fogo na escola há poucos dias, por causa de empurrões e pontapés”, disse o deputado
Ana Rejane, representante da Secretaria de Educação, apresentou um mapa com 660 escolas públicas do estado do Piauí com as ações da Secretaria de Educação e as articulações com o núcleo de psicologia e três eixos de prevenção de violência.
A representante da Seduc mostrou o trabalho em parcerias com a Polícia Militar, Polícia Civil, aplicativos, Ministério Público, SOS Escolar. Foi exposto a situação de risco nas escolas com a mediação de conflitos.
Representantes da Segurança Pública pediram a revisão na legislação estadual para garantir mais segurança nas escolas. Major Jansen do Policiamento Escolar da Polícia Militar defendeu a proibição de celulares nas escolas. Já o Tenente Coronel do BOPE James pediu que as escolas sigam uma legislação mais rígida desde a sua construção, seguindo medidas de segurança básicas. A delegada Anamelka Cadena representou o Secretário Estadual de Segurança Fábio Abreu e demostrou preocupação com relação ao Cyberbullying.
O líder do Governo na ALEPI, deputado Francisco Limma (PT) participou da reunião e disse que a escola é um espaço de repercussão de tudo o que a sociedade passa. Raimundo Pereira, representante dos peritos da computação forense pediu que as escolas reforcem a educação junto às famílias e aos pais.
Também participaram da reunião Sara Cavalcante, do Conselho Estadual de Psicologia e Emanoel Lima, professor de Psicologia, que defenderam a importância do acolhimento dos alunos que sofrem bullying.
Aplicativo Sinal Amarelo – O deputado Oliveira Neto aproveitou a realização da audiência pública para anunciar o lançamento do aplicativo Sinal Amarelo, que será apresentado ao Governo do Estado em breve. O aplicativo receberá denúncias de bullying, violência contra crianças e adolescentes. Os usuários poderão enviar as denúncias anonimamente enviando fotos, vídeos, textos e a localização do ocorrido.
Emerson Brandão e Laryssa Saldanha

A Comissão de Direitos Humanos e Juventude se reuniu hoje (30) para  discutir a violência nas escolas e o bullying no ambiente escolar. O objetivo é evitar que episódios de violência, como o ocorrido na cidade de Suzano, em São Paulo, possa se repertir no Piauí. A solicitação foi do deputado Oliveira Neto (Cidadania).

Oliveira Neto afirmou que o objetivo é conseguir subsídios para elaborar um Projeto de Lei que deverá apresentar na Assembleia Legislativa com a finalidade de combater o bullying nas escolas.

O parlamentar citou que, no Piauí, recentemente, aconteceu alguns casos em Picos, Floriano e Miguel Alves onde jovens cometeram o mesmo tipo de crime.

“Em Suzano, aconteceram várias mortes. Já na cidade de Picos, um menor de 13 anos ateou fogo na escola há poucos dias, por causa de empurrões e pontapés”, disse o deputado

Ana Rejane, representante da Secretaria de Educação, apresentou um mapa com 660 escolas públicas do Estado com as ações da Secretaria de Educação e as articulações com o núcleo de psicologia e três eixos de prevenção de violência.

A representante da Seduc mostrou o trabalho em parcerias com a Polícia Militar, Polícia Civil, aplicativos, Ministério Público, SOS Escolar. Foi exposto a situação de risco nas escolas com a mediação de conflitos.

Representantes da Segurança Pública pediram a revisão na legislação estadual para garantir mais segurança nas escolas. O major Jansen, do Policiamento Escolar da Polícia Militar, defendeu a proibição de celulares nas escolas.

Já o t
enente-coronel James, do BOPE, pediu que as escolas sigam uma legislação mais rígida desde a sua construção, seguindo medidas de segurança básicas.

A delegada Anamelka Cadena representou o secretário estadual de Segurança, Fábio Abreu, demostrou preocupação com relação ao cyberbullying.


O líder do Governo na ALEPI, deputado Francisco Limma (PT), participou da reunião e disse que a escola é um espaço de repercussão de tudo o que a sociedade passa.

Raimundo Pereira, representante dos peritos da computação forense, pediu que as escolas reforcem a educação junto às famílias e aos pais.

Também participaram da reunião Sara Cavalcante, do Conselho Estadual de Psicologia e Emanoel Lima, professor de Psicologia, que defenderam a importância do acolhimento dos alunos vítima de bullying.

Aplicativo Sinal Amarelo

O deputado Oliveira Neto aproveitou a realização da audiência pública para anunciar o lançamento do aplicativo Sinal Amarelo, que será apresentado ao Governo do Estado em breve.

O aplicativo receberá denúncias de bullying e violência contra crianças e adolescentes. Os usuários poderão enviar as denúncias anonimamente, inclusive fotos, vídeos, textos e a localização do ocorrido.


Emerson Brandão e Laryssa Saldanha - Edição: Katya D'Angelles 


Fonte: Alepi
Compartilhar no
Fonte: Alepi

É permitida a reprodução deste conteúdo (matéria) desde que um link seja apontado para a fonte!


Deixe seu comentário


Notícias Relacionadas