Aprovação da vaquejada é destaque nos pequenos avisos

Aprovação da vaquejada é destaque nos pequenos avisos

01/06/2017 14:15h

Compartilhar no

 

Aprovação da vaquejada é destaque nos pequenos comunicados
O espaço destinado aos pequenos comunicados na sessão desta quinta-feira(01) foi aberto pelo deputado Francis Lopes(PRP), que comunicou a aprovação na Câmara dos Deputados da Lei que regulamenta a prática da vaquejada em todo o território brasileiro.
Segundo Francis Lopes, a vitória dos que defendem a vaquejada no Brasil foi acachapante: “373 deputados votaram a favor e apenas 50 contra”, disse Francis, que destacou também o comparecimento da bancada piauiense. “Os dez deputados compareceram e todos votaram a favor”, disse Francis, que arrematou: “Assim fica preservada uma das mais tradicionais manifestações culturais do Brasil”.
Respeito aos requerimentos
Em seguida falou o deputado Gustavo Neiva(PSB), que cobrou mais respeito aos membros do governo do Estado aos requerimentos que estão sendo aprovados na Assembleia Legislativa, pedindo informações.
Gustavo citou o exemplo do requerimento que fez ao secretário de governo, Merlong Solano(PT), pedindo os telefones e endereços das coordenadorias criadas há pouco tempo na Assembleia. “Passaram-se mais de 60 dias e até agora nenhuma resposta, quando ele tinha só 30 dias para responder”, disse Gustavo.
O presidente da Casa, Themístocles Filho(PMDB), reconheceu o desrespeito e disse que vai solicitar à primeira secretaria da mesa que acompanhe a tramitação dos requerimentos.
O deputado Rubens Martins(PSB) pediu ao presidente Themístocles que reduzisse o prazo de 30 para 15 dias e que enquadre na lei os secretários que o desrespeitarem.
Mentira sobre mentira.
O deputado Robert Rios(PDT) disse que estava cansado de ouvir mentiras do governo nos projetos que envia para a Assembleia. E citou o caso das empresas estatizadas Ceasa e Agespisa. “Disseram que ninguém ia perder o emprego e agora vem as manchetes de jornal dizendo que serão demitidos mais de 600 funcionários desses órgãos”, disse Robert, para quem “isto é mais uma crueldade do governo do PT, que solta mentiras sobre mentiras”.
Festejos de Campo Maior
Já o deputado Mardem Menezes comunicou que compareceu à abertura dos festejos de Campo Maior, acompanhhado dos deputados Gustavo Almeida(PSB) e Aluízio Martins(PT). E, em Piripiri, acompanhou o lançamento de um programa do Ministério da Saúde que distribuiu mais de 700 cadeiras de rodas, próteses e órteses para deficientes físicos.
Veto derrubado.
O deputado Georgeano Neto(PSD) elogiou a decisão do Congresso Nacional que derrubouo veto do presidente da República à lei que determinava o recolhimento da contribuição previdenciária ao INSS para o local da prestadora de serviço. O veto foi derrubado por unanimidade porque o próprio presidente se arrependeu do veto.
De novo vaquejada
O deputado Mauro Tapety(PMDB) parabenizou a iniciativa de Francis Lopes ao comunicar a legalização definitiva das vaquejadas e lembrou o primeiro projeto em defesa do tema foi apresentado por ele há mais de dez anos. “Foi a partir deste projeto aprovado aqui que o tema se espalhou pelo Pais. Foi copiado na Assembleia do Ceará e lá começaram os protestos dos ambientalistas e defensores dos animais, forçando a apresentação do projeto no Congresso Nacional”, disse Mauro.
Insegurança.
O deputado Luciano Nunes(PSDB) usou seu espaço para repercutir dois fatos que o deixou revoltado: o ataque ao Bradesco na cidade de Pimenteiras e a explosão do carro forte na PI 140, na altura da cidade de Floriano. “Existe um clamor da sociedade piauiense contra a falta de segurança no Estado”, disse Luciano.
Liberação de emendas
O deputado Doutor Pessoa(PSD) lamentou mais uma vez o tratamento que vem recebendo do governo do Estado, no tocante à execução de suas emendas parlamentares. “Tenho passado vergonha nos vestejos do médio parnaiba porque meus amigos vêm cobrar a liberação das emendas e não sei o que dizer. Pior é que quando eles executam uma emenda nossa não nos convidam pra festa e sequer dizem quem o pai da emenda, como fizeram semana passada em Valença, com uma obra da educação”, disse Pessoa.
Secretário na Assembleia.
O deputado Severo Eulálio(PMDB) comunicou e convidou os colegas deputados para comparecerem à reunião da CCJ – Comissão de Constituição e Justiça, na segunda-feira, quando estará presente o secretário estadual de Fazenda, Rafael Fonteles(PT), quando será apresentado o relatório do primeiro quadrimestre.
Emancipação.
O deputado Edson Ferreira(PSD) usou seu espaço para parabenizar a população de Francinópoles pelas comemorações dos 62 anos de emancipação política da cidade.
Comoção com acidente
Já o deputado Aluízio Martins(PT) lamentou o acidente que vitimou um lavrador da cidade de Jatobá, “o seu Antônio, pai do vereador Zé Raimundo”. Todos na cidade estão comovidos. Aluízio também falou da abertura dos festejos de Campo Maior, sua cidade natal.
Verba da segurança
Por último falou o líder do governo na Assembleia, deputado João de Deus(PT), que esclareceu aos demais o que pode estar acontecendo com a liberação das emendas dos parlamentares. “No orçamento de 2015 todos os deputados destinaram emendas para o setor de segurança, do projeto “Cidadão Mirim”. Foram destinados mais de 1.6 milhão que não chegaram totalmente ao destino. Para João, os deputados devem ter enviado à secretaria de Segurança e não à Polícia Militar, executora do projeto social.
Repórter: Edmundo Moreira

 

O espaço destinado aos pequenos comunicados na sessão desta quinta-feira(01) foi aberto pelo deputado Francis Lopes(PRP), que comunicou a aprovação na Câmara dos Deputados da Lei que regulamenta a prática da vaquejada em todo o território brasileiro.
Segundo Francis Lopes, a vitória dos que defendem a vaquejada no Brasil foi acachapante: “373 deputados votaram a favor e apenas 50 contra”, disse Francis, que destacou também o comparecimento da bancada piauiense. “Os dez deputados compareceram e todos votaram a favor”, disse Francis, que arrematou: “Assim fica preservada uma das mais tradicionais manifestações culturais do Brasil”. O deputado Mauro Tapety(PMDB) parabenizou a iniciativa de Francis Lopes ao comunicar a legalização definitiva das vaquejadas e lembrou o primeiro projeto em defesa do tema foi apresentado por ele há mais de dez anos. “Foi a partir deste projeto aprovado aqui que o tema se espalhou pelo Pais. Foi copiado na Assembleia do Ceará e lá começaram os protestos dos ambientalistas e defensores dos animais, forçando a apresentação do projeto no Congresso Nacional”, disse Mauro.

 

 

Respeito aos requerimentos



Em seguida falou o deputado Gustavo Neiva(PSB), que cobrou mais respeito aos membros do governo do Estado aos requerimentos que estão sendo aprovados na Assembleia Legislativa, pedindo informações. Gustavo citou o exemplo do requerimento que fez ao secretário de governo, Merlong Solano(PT), pedindo os telefones e endereços das coordenadorias criadas há pouco tempo na Assembleia. “Passaram-se mais de 60 dias e até agora nenhuma resposta, quando ele tinha só 30 dias para responder”, disse Gustavo.O presidente da Casa, Themístocles Filho(PMDB), reconheceu o desrespeito e disse que vai solicitar à primeira secretaria da mesa que acompanhe a tramitação dos requerimentos.O deputado Rubens Martins(PSB) pediu ao presidente Themístocles que reduzisse o prazo de 30 para 15 dias e que enquadre na lei os secretários que o desrespeitarem.
 

 

Roberto Cobra o Governo 

 

O deputado Robert Rios(PDT) disse que estava cansado de ouvir mentiras do Governo nos projetos que envia para a Assembleia. E citou o caso das empresas estatizadas Ceasa e Agespisa. “Disseram que ninguém ia perder o emprego e agora vem as manchetes de jornal dizendo que serão demitidos mais de 600 funcionários desses órgãos”, disse Robert, para quem “isto é mais uma crueldade do governo do PT, que solta mentiras sobre mentiras”.

Festejos de Campo Maior. 


Já o deputado Mardem Menezes comunicou que compareceu à abertura dos festejos de Campo Maior, acompanhhado dos deputados Gustavo Almeida (PSB) e Aluísio Martins(PT). E, em Piripiri, acompanhou o lançamento de um programa do Ministério da Saúde que distribuiu mais de 700 cadeiras de rodas, próteses e órteses para deficientes físicos.
Veto derrubado.


O deputado Georgeano Neto(PSD) elogiou a decisão do Congresso Nacional que derrubouo veto do presidente da República à lei que determinava o recolhimento do ISS para o local da prestadora de serviço. O veto foi derrubado por unanimidade porque o próprio presidente se arrependeu do veto.

 

 

Luciano Nunes(PSDB) usou seu espaço para repercutir dois fatos que o deixou revoltado: o ataque ao Bradesco na cidade de Pimenteiras e a explosão do carro forte na PI 140, na altura da cidade de Floriano. “Existe um clamor da sociedade piauiense contra a falta de segurança no Estado”, disse Luciano.

 

Liberação de emendas

 

O deputado Doutor Pessoa(PSD) lamentou mais uma vez o tratamento que vem recebendo do governo do Estado, no tocante à execução de suas emendas parlamentares. “Tenho passado vergonha nos vestejos do médio parnaiba porque meus amigos vêm cobrar a liberação das emendas e não sei o que dizer. Pior é que quando eles executam uma emenda nossa não nos convidam pra festa e sequer dizem quem o pai da emenda, como fizeram semana passada em Valença, com uma obra da educação”, disse Pessoa.


 

O deputado Severo Eulálio(PMDB) comunicou e convidou os colegas deputados para comparecerem à reunião da CCJ – Comissão de Constituição e Justiça, na segunda-feira, quando estará presente o secretário estadual de Fazenda, Rafael Fonteles(PT), quando será apresentado o relatório do primeiro quadrimestre.


 

O deputado Edson Ferreira(PSD) usou seu espaço para parabenizar a população de Francinópoles pelas comemorações dos 62 anos de emancipação política da cidade.

 

Já o deputado Aluízio Martins(PT) lamentou o acidente que vitimou um lavrador da cidade de Jatobá, “o seu Antônio, pai do vereador Zé Raimundo”. Todos na cidade estão comovidos. Aluízio também falou da abertura dos festejos de Campo Maior, sua cidade natal.

 

Por último falou o líder do governo na Assembleia, deputado João de Deus(PT), que esclareceu aos demais o que pode estar acontecendo com a liberação das emendas dos parlamentares. “No orçamento de 2015 todos os deputados destinaram emendas para o setor de segurança, do projeto “Cidadão Mirim”. Foram destinados mais de 1.6 milhão que não chegaram totalmente ao destino. Para João, os deputados devem ter enviado à secretaria de Segurança e não à Polícia Militar, executora do projeto social.

 

 

 

 

Edmundo Moreira - Edição: Katya D'Angelles 

 


Fonte: Alepi
Compartilhar no
Fonte: Alepi

É permitida a reprodução deste conteúdo (matéria) desde que um link seja apontado para a fonte!


Deixe seu comentário


Notícias Relacionadas