• Fagner
  • Trilha das emoções
  • Novo app Jornal O Dia
Uruçuí

Vistorias em imóveis rurais de Uruçuí serão concluídas no final deste mês

Vistorias em imóveis rurais de Uruçuí serão concluídas no final deste mês

07/10/2016 10:19h

As atividades de vistorias dos imóveis rurais no município de Uruçuí já estão em fase de finalização. A previsão é que o Instituto de Terras do Piauí (Interpi) conclua os trabalhos na segunda quinzena deste mês de outubro. Os próximos municípios a passar pelas vistorias serão Santa Filomena, Bom Jesus e Baixa Grande do Ribeiro.

A equipe técnica do Interpi, que está em campo desde o mês de setembro, tem como meta vistoriar só em Uruçuí, cerca de 200 propriedades rurais, situadas nas regiões do Chapadão da Estiva e de Nova Santa Rosa.

A medida faz parte do Programa de Regularização Fundiária, prevista na Lei Nº 6.709/2015, que pretende fomentar o desenvolvimento econômico e agrário do Estado.

“Há um compromisso do Governo do Estado, por meio do Interpi, de titular muitas famílias ainda este ano, principalmente, na região do Cerrado. Com o título em mãos, os pequenos e médios empresários que produzem na região serão beneficiados por adquirir a seguridade de posse da terra e ainda terão acesso a financiamentos bancários, o que garantirá o investimento na produção”, explica Jailton Chaves, diretor de operações do Interpi.

O sonho de se tornar proprietário da terra virou realidade para a família do estudante de Administração, Jiomar Filho, na manhã desta quinta-feira (6), por ter recebido oficialmente o título definitivo da terra pela direção geral do órgão. “Moramos há quase 15 anos, no município de Santa Filomena, na região da Serra da Fortaleza e produzimos soja, arroz e milho. O título definitivo representa o início do nosso sonho, que é investir na fazenda, no armazenamento e secagem de grãos e ainda plantar com maior segurança de que a terra é nossa”, fala emocionado Jiomar Filho, que é natural do Tocantins.

Para o pai do estudante, Jiomar Aparecido, o título definitivo veio em boa hora. “Muitos trabalhadores rurais reclamavam que o título definitivo seria impossível, já que era bem burocrático. Hoje, vi que valeu a pena não desistir. A nossa meta daqui para frente é investir mais ainda na produção da soja e quem sabe nos tornarmos agropecuaristas”, comemora. 


Deixe seu comentário


Notícias Relacionadas