Piracuruca

Vereador Eduardo Lima esclarece fatos na tribuna

Vereador Eduardo Lima do (PC do B)

05/06/2013 12:17h - Atualizado em 05/06/2013 21:57h

Compartilhar no


Na última sessão da Câmara Municipal de Piracuruca, (04/06), o vereador Eduardo Lima (PC do B) usou a tribuna que representa a voz do povo para justificar os seus requerimentos apresentados naquela casa legislativa. Em seu discurso, o vereador defendeu o povo que tanto sofre com as decisões que são tomadas pela atual administração. Confira abaixo!

Nosso discurso na sessão de hoje, na Câmara de Piracuruca:

Senhor presidente, colegas vereadores, público aqui presente.

Inicialmente quero expor os motivos dos nossos requerimentos e projetos: a nossa primeira solicitação é a recuperação da ponte do Rio Catarina, que foi construída há mais de 40 anos, no governo Doca Ribeiro, sob a condução de meu avô, então secretário municipal, Zé Lima, uma obra que muito o orgulhava. A verificação das estruturas da ponte e sua recuperação é uma obra de extrema importância pro município devido às comunidades que ela dá acesso e ao tráfico cada vez mais intenso na região;
O segundo requerimento se refere ao Ginásio Poliesportivo, onde na apresentação da Quadrilha Junina Trapos e Farrapos, neste domingo, (abrir um parêntese e parabenizar o grupo pela bela apresentação), podemos observar a falha na iluminação da quadra, que das 26 luminárias, 15 estavam com as lâmpadas quebradas ou queimadas. 
No terceiro requerimento pedimos colocação de lâmpadas nos postes do assentamento Maracajá, pois estão pagando mais de 10,00 reais de Taxa de Iluminação Pública na sua conta e não estão usufruindo do serviço.
O nosso quarto requerimento trata da Taxa de Iluminação Pública, o nosso quarto requerimento solicita audiência pública com a presença do secretário municipal de finanças, a fim de esclarecer sobre o súbito reajuste da Contribuição sobre a Iluminação Pública – COSIP de Piracuruca, ocorrido no mês de janeiro deste ano, fato que trouxe um descontentamento geral na população.
A nossa quinta proposição de hoje é uma reapresentação de um requerimento feito dia 30 de maio, por mim e pelo vereador Nonato da Cerâmica, onde pedimos, em caráter de urgência, ao secretário de obras, colocação de piçarra nos buracos existentes na Rua Prefeito Luis de Morais Meneses, que dá acesso à SOCOHAPI. Já que não foi atendido pelo secretário de obras, encaminhamos novamente, mas pro prefeito... pode ser que agora a piçarra saia.
Protocolamos também projeto de Lei que muda o nome da Rua 21 de abril para Rua Padre Ribeiro, homenageando esse benfeitor que foi pároco da Matriz de N. Sra do Carmo, e teve passagem marcante em Piracuruca. Não só a estada dele foi marcante, mas a forma como ele saiu daqui, mostra muito da nossa história recente. Falaremos sobre ele na próxima sessão, quando haverá a votação do projeto.
Em relação à demissão dos prestadores de serviço da prefeitura de Piracuruca, devo pontuar o seguinte: Considerando que quem implantou em Piracuruca esse sistema de demissão de serviços prestados foi o atual prefeito, em 1997, através do decreto 001/97, onde, no texto do decreto e em suas ações posteriores, tentou impedir qualquer direito trabalhista para os 800 pais de família, aproximadamente, que perderam seus empregos; Considerando que os vereadores Assis Melo e Pedro Lima entraram com ação semelhante contra o prefeito anterior;
Considerando que seu Manoel Acelino, 67 anos de idade, motorista da caçamba da prefeitura há quase 20 anos, (nobre vereador Manoel Filho conhece, por que é do nosso bairro Esplanada) foi demitido em janeiro deste ano, substituído por um prestador de serviço, sem que ninguém derramasse uma lágrima em favor dele;
Considerando também, que o prefeito conta com uma assessoria direta de mais de 10 advogados e bacharéis em direito, tiro duas conclusões: ou o staff da prefeitura sofreu amnésia coletiva, de uma epidemia de mal de Alzheimer, ou o prefeito agiu de má fé. O prefeito escolheu quem ele ia condenar à demissão, e quem ia sobreviver com um cargo em comissão. Foi como se tivesse dado um cheque sem fundo pra uns, os serviços prestados, e dinheiro em espécie pros outros, comissionados.
Na nossa representação constam várias denuncias, e o ministério público dará prosseguimento na forma da lei. Estamos simplesmente fazendo nosso papel de vereadores de oposição. O que solicitamos do Ministério Público não foi emprego de ninguém, nem demitir nem perseguir, foi apenas que a situação fosse regularizada, retornando o segundo turno dos professores; convocando concursados onde tivesse fila de espera; realizando novo concurso pros cargos onde fosse necessário, dando oportunidade a todos os piracuruquenses de concorrer de igual pra igual, e que o prefeito preenchesse todos os 250 cargos comissionados que ele dispõe pra livre nomeação, e não seremos obstáculos a esse projeto de adequação que será votado hoje, principalmente para ajudar os demitidos mais necessitados.
A respeito do incidente ocorrido na terça passada com o radialista Gk, e os colegas vereadores de oposição, quero deixar aqui o meu repúdio, dizer que Piracuruca vive dias de Nazi-Facismo, com incentivo a agressões aos cidadãos que tem os mesmos direitos. Em nenhum momento político na história de Piracuruca se viu tanta violência e desrespeito praticado coletivamente, e dessa forma. Nem na política de Doca, nem Geroca, nem Franklim, nem Zé Lima, nem Gonçalim. Por uma simples razão: por que nenhum deles era um MOLEQUE!


Compartilhar no
Fonte: Facebook de Eduardo Lima
Por: Rafael Carvalho

É permitida a reprodução deste conteúdo (matéria) desde que um link seja apontado para a fonte!


Deixe seu comentário


Notícias Relacionadas