Parnaí­ba

Gracinha avalia gestão em Parnaíba e diz que cidade sai mais forte da pandemia

A gestora confirmou que disputará uma vaga na Assembleia Legislativa do Piauí em 2022 no lugar de Zé Filho e avaliou chapa com Silvio Mendes e Iracema Portela

05/12/2021 10:25h - Atualizado em 05/12/2021 10:40h

Compartilhar no

A Secretária de Infraestrutura e Defesa Civil de Parnaíba, Gracinha Moraes Souza, em uma entrevista exclusiva ao Sistema Odia de Comunicação, fez uma avaliação da gestão do Prefeito Mão Santa na segunda maior cidade do Piauí e revelou que o município sai mais forte dos críticos momentos enfrentados durante a pandemia. Uma das maiores forças da administração parnaibana, Gracinha revela os detalhes de obras estruturantes que serão desenvolvidas na cidade, dando vida a região próxima a praia da pedra do Sal e tornando habitável a localização que antes era inacessível.

Pré-candidata a deputada, a gestora também fala sobre política e confirma que disputará uma vaga na Assembleia Legislativa do Piauí em 2022 no lugar de Zé Filho. Gracinha ainda avalia a formação da chapa com Silvio Mendes e Iracema Portela que devem disputar o governo estadual no próximo ano. Veja todos os detalhes da entrevista concedida durante visita ao sistema Odia de Comunicação na última sexta (03).


Como você avalia a gestão municipal neste momento complicado de pandemia?

“Como todos os municípios a pandemia trouxe muitos limites e até algumas dificuldades em termos de financeiros que você voltou muito as ações para a saúde pública, mas Parnaíba eu diria que se saiu muito bem neste cenário. O prefeito Mão Santa com toda a nossa equipe conseguimos equilibrar, lutar bem na saúde pública tanto que os nossos índices são bons. Paralelo a isso a nossa gestão não parou, continuamos com muitas obras e muitos investimentos por toda a cidade. Investimos pesado na reconstrução da cidade no programa Parnaíba trafegável, a cidade era um caos, você saia de um buraco e entrava em outro. Vias e avenidas foram e estão sendo asfaltadas e pavimentadas esse ano, então Parnaíba não parou. Vamos ter um Natal belíssimo, estamos esperando muitos turistas, apesar das restrições da pandemia. Mesmo com os decretos o prefeito Mão Santa está investindo forte neste setor tão importante.


Parnaíba sai mais forte dessa pandemia com as ações tomadas?

Acredito que sim, para o turista você precisa ter infraestrutura, Parnaíba mesmo com a pandemia continuou investindo pesado em obras estruturantes na cidade, iluminação pública, serviços urbanos de qualidade.  É uma cidade que todos que chegam elogiam a limpeza o zelo, o resgate dos pontos turísticos e históricos. Estamos fazendo muitos convênios no esporte, recebendo campeonatos nacionais, a gente não parou mesmo com a pandemia, dentro das limitações e dos decretos o prefeito não fechou a prefeitura em nenhuma das outras áreas, ele se preocupou em continuar com todas elas, com a limitação de quantidade de pessoas e a segurança sanitária, mas preparando para Parnaíba receber sempre mais e mais turista.


Muitas obras estão sendo desenvolvidas parcerias federais, qual a sua avaliação sobre esse setor de infraestrutura?

É muito importante você tocar neste assunto, porque o município sozinho tem suas limitações financeiras, o Prefeito Mão Santa usou bem a sua influência política com o presidente da República, Jair Bolsonaro, não para pedir nada pessoal, é uma família que você não vê contracheques por aí, ele usou para servir. Todas as idas e vindas dos ministérios, tanto levando para Parnaíba, sempre pedindo algo para a cidade. Agora a gente vê que Parnaíba está colhendo tudo que foi plantado. Já estamos em fase de licitação do prolongamento da avenida São Sebastião, até o portinho, que vai ficar uma das maiores avenidas do nordeste em extensão. Que é um grande ganho e um sonho antigo da cidade. Demos entrada em um projeto final da ponte na segunda-feira junto a Caixa, nossa expectativa é para o começo do ano já que já temos recursos em conta. Demos entrada também a uma emenda da orla Pedra do sal, e da orla beira-rio que é do outro lado do rio que seria uma urbanização. Fora a pavimentação asfáltica.  

Como você avalia as obras estruturantes, especialmente a nova ponte que mudará o trânsito da região?

Parnaíba é uma cidade histórica que tem a sua ponte bem antiga, vem quase do início da nossa cidade, liga tanto a um bairro importante tanto a outra cidade que leva a Pedra do Sal. Hoje a mobilidade urbana está um caos para chegar até a pedra do sal. Fora isso a nova ponte ela vai fazer com que todas aquelas terras, que são como se Parnaíba acabasse hoje na margem do rio, e todas aquelas terras do outro lado do rio, até a Pedra do Sal, é como se não existisse. Então além de melhorar a mobilidade urbana para o turismo, vai sim haver um grande crescimento imobiliário em Parnaíba. Hoje já vemos grandes investidores interessados, vislumbrando loteamentos e hotéis naquela região. Prevemos crescimento tanto na área turística como de loteamentos e a parte imobiliária. A ponte hoje é fundamental para Parnaíba não parar onde está. Não temos mais para onde crescer, não temos como ir para o outro lado do rio.


Na esfera social, como você avalia as ações tomadas durante a pandemia e na atualidade?

O prefeito Mão Santa tem muita sorte, ele tem ao lado dele uma grande guerreira que tem muita experiência e gosta do que faz, que é a dona Adalgisa. Carinhosamente ela é chamada de mãe dos pobres, naquela simplicidade ela é muito acessível e a população vai. É uma gestão de fato de portas abertas. O prefeito tem duas agendas, todo os dias ele atende até as duas da tarde e volta cinco horas da tarde, neste momento não é mais agenda administrativa, a agenda dele deste segundo turno vai das 17h até o último que esteja. Então ele atende ao povo e sabe o que o povo quer. Os programas sociais na pandemia mitigaram muito a dor e a necessidade. Não vemos aquela pobreza geral em Parnaíba, pedintes na rua, por que o serviço social segura desde a criancinha até a terceira idade.

Na questão política a sua candidatura a deputada estadual está confirmada?

Hoje Parnaíba está em um cenário que nós não temos representante local. A segunda maior cidade do Piauí, já tivemos vários deputados, governadores eleitos. Hoje estamos órfãos, isso é ruim, precisamos de representantes com compromisso. Não adianta a gente ter aquele representante que só aparece no período eleitoral e não traz benefícios concretos para a cidade. Tivemos na eleição passada muitos deputados que tiveram votação expressiva em Parnaíba, mas já no final do mandato não levaram nada e nem sequer tiveram uma reunião administrativa com o prefeito. Com a desistência do ex-governador Zé Filho, que representava a cidade, e os pedidos da população por uma candidatura, surgiu espontaneamente, não foi uma coisa que surgiu da Gracinha, surgiu das pessoas. A cidade tem essa ânsia por uma liderança que a população sabe que pode contar, uma voz para o norte.

Como você avalia a formação da chapa de oposição com Silvio Mendes e Iracema?

Eu avalio como positivo a formação da chapa de oposição, essa pandemia serviu como uma reflexão para a população, ninguém segura mais, ninguém manda mais no povo. Já existiu esse poder sobre o povo, hoje não existe mais. Hoje o quadro é diferente, a população está independente, sem medo. Acho que a oposição está em um cenário favorável pela insatisfação com o modelo que aí está. Que não mostra nada real, só existe na televisão. É muito estudo para pouca ação, a população está cansada. 

FOTO: Assis Fernandes/ODIA

É permitida a reprodução deste conteúdo (matéria) desde que um link seja apontado para a fonte!

Compartilhar no

Deixe seu comentário