Itainópolis

Descaso na PI 245, de Picos a Vera Mendes, via Itainópolis

Vandalismo contribui para irregularidades na pista

04/04/2014 20:36h - Atualizado em 05/04/2014 00:21h

Compartilhar no

Viajar pela pista que liga Picos a Vera Mendes €“ passando por Itainópolis €“ está sendo uma tarefa cada vez mais difícil. A estrada estadual caminha a passos largos para a condição de intrafegável. Depois das lombadas feitas com medidas sem regulamentação nos povoados Tamboril e Riachão, o desgaste da pavimentação asfáltica tem se tornado mais frequente a cada dia.

Tendo como um dos fatores determinantes a deterioração causada pela chuva, o aparecimento de buracos vem sendo agravado por moradores às margens da PI 245, que cavam o asfalto para passar tubulação de água, e também pela pressão imposta por carretas que por ali trafegam livremente, por falta de regulamentação do peso máximo por eixo.

Sinalização vertical ou horizontal? As placas de trânsito, que deveriam permanecer fincadas, estão, na verdade, sendo arrancadas (ou tendo suas hastes quebradas). Vítimas de portadores de armas de fogo, essas placas vem sendo perfuradas a tiro. Mas o vandalismo não para por aí. Aquelas que não estão cobertas pelo mato, são usadas como suporte para propaganda de festas e de bebidas alcoólicas.

A falta de manutenção, de sinalização e de policiamento ostensivo para inibir a ação dos delinquentes torna-se ainda mais grave quando aliada ao grande número de animais soltos ao longo rodovia. Isso tudo pode resultar em desgaste dos veículos, aumento do tempo de viagem e acidentes, inclusive fatais.

A foto abaixo mostra um trecho onde se inicia faixa contínua nos dois sentidos. Deveria haver ali, de cada lado da pista, a placa €œproibido ultrapassar.

A foto seguinte revela uma curva no povoado Lagoa dos Cavalos onde deveria existir uma placa indicando €œcurva acentuada€.

É permitida a reprodução deste conteúdo (matéria) desde que um link seja apontado para a fonte!

Compartilhar no
Fonte: Anderson Monteiro
Edição: Anderson Monteiro
Por: Anderson Monteiro

Deixe seu comentário


Notícias Relacionadas