• Banner OAB
  • Campanha da Santa Missa
  • Vencer 03
  • Vencer 02
  • Vencer 01
  • Prerrogativas da advogacia
  • Peregrinos da fé
  • Novo app Jornal O Dia
Corrente

V Seminário sobre Regularização Fundiária é realizado em Corrente

Com ampla participação dos profissionais, V Seminário sobre Procedimentos para a Regularização Fundiária é realizado em Corrente-PI

04/02/2016 08:39h

O Conselho Regional de Engenharia e Agronomia do Piauí – Crea-PI, em parceria com a Prefeitura Municipal de Corrente, através da Secretaria Municipal de Desenvolvimento Rural, realizou na última sexta-feira (29) o V Seminário Sobre Procedimentos e Regularização Fundiária. Com o intuito de discutir a conjuntura fundiária na região de Corrente, o evento foi realizado na Câmara Municipal de Corrente-PI.

Na mesa de honra estiveram o assessor da Presidência do Crea-PI, Sandro Souza, no ato representando o presidente do Conselho, Paulo Roberto Ferreira de Oliveira, o inspetor chefe da Inspetoria de Corrente, Ricardo Lago, o vereador Edilson Nogueira, representando a Câmara Municipal, e o diretor geral do Instituto de Terras do Piauí – Interpi, José Osmar Alves.

O Seminário contou com palestras do assessor de Relações Institucionais do Crea-PI, Wolteres Miranda, do Tabelião Joaquim Nogueira Paranaguá Júnior, titular do Cartório de Corrente, do diretor geral da Mútua-PI, Ulisses Filho, e do diretor geral do Interpi, José Osmar.

Na abertura, o engenheiro Sandro Souza destacou o ímpeto do Crea-PI em mobilizar os profissionais e as instituições para a resolução dos conflitos fundiários e ressaltou a importância do envolvimento de todos os agentes na transformação do atual panorama. Enquanto o vereador Edilson Nogueira agradeceu ao Conselho pela realização do Seminário na cidade, segundo ele, “ao longo da história apenas os problemas das elites movimentam interesses de resolução, isso precisa mudar, e ações como essa do Crea-PI ampliam o debate para a realidade dos pequenos produtores e leva à sociedade novas possibilidades de mudança”.

Na primeira palestra do dia, o diretor geral do Interpi falou sobre o projeto do Instituto para os próximos anos, na urgência em resolver a questão especialmente para os pequenos produtores, e citou os frutos já produzidos como os 1700 títulos prontos para serem entregues dos 11000 que pretendem alcançar até 2019.

“É preciso por fim a essa questão que atormenta o povo piauiense desde sempre. O nosso objetivo é resolver de vez o problema, de forma que Seminários como este, tão importantes na atual situação, sejam absolutamente desnecessários, vamos tirar o tema da pauta e fazer a terra cumprir a sua função social”, apontou. Ressaltando que o otimismo é baseado apenas em desejo, mas em planejamento, preparo, estudos e estrutura: “em fevereiro passaremos de 3 para 12 equipes de campo, além da contratação de profissionais de outras áreas de apoio, como advogados, e aquisição de equipamentos. São 6 empresas de grande referência no mercado envolvidas no projeto”.

Ricardo Lago comemora o sucesso do evento. “O objetivo maior da SDR e do CREA trazer esse seminário para Corrente foi devido à observação de que os produtores não estão conseguindo subir de nível sócio econômico em suas propriedades devido aos programas estaduais ou federais não conseguirem atingir seus objetivos, como está sendo observado no cerrado e na agricultura familiar, principalmente pela condição da irregularidade da documentação de suas áreas, levando em conta que hoje os principais debates sobre o campo são basicamente o meio ambiente e a regularização fundiária. Esse é o verdadeiro debate que tem que ser trazido para o município, e não debate político, enquanto ainda temos tempo hábil para trazer programas e trabalhar na aplicação dos mesmos. Temos que focar no que realmente traz resultado para o município”, completa.

Fonte: Ascom

Deixe seu comentário


Notícias Relacionadas