• Canta
  • SOS Unimed
  • Fagner
  • Trilha das emoções
  • Novo app Jornal O Dia
Castelo do Piauí

1ª sessão do mês de setembro é marcada por temas polêmicos

O Ver. Milton Maia (PSD) fez uso da tribuna para questionar a situação financeira das contas públicas

04/09/2019 20:31h - Atualizado em 04/09/2019 20:59h

O atraso nos repasses da Prefeitura Municipal de Castelo do Piauí para a Castelo do Piauí  - PREV (Regime Próprio de Previdência Social), repercutiu na Câmara Municipal na sessão da última terça-feira (03). Os vereadores de oposição avaliaram que deve existir responsabilidade por parte da gestão municipal para evitar futuros prejuízos ao funcionalismo público.

Na fala, o vereador Adalberto Neirane (PSDB) mencionou que os atrasos são reais e a situação é preocupante, além de abordar o tema do montante pago à empresa Almeida & Costa Advogados Associados que, de acordo com o próprio parlamentar, foge totalmente da realidade do município. "Dois casos me deixaram preocupado, o primeiro: o atraso no repasse para a Castelo do Piaui - PREV que já se iniciou em três secretarias, são elas a Secretaria Municipal de Educação - SEMED, Secretaria Municipal de Assistência Social - SMAS e Secretaria Municipal de Administração - SMA. Contabilizamos dois meses em débito Patronal. O outro assunto que tem me causado inquietação é o valor pago à empresa Almeida & Costa, que presta serviços de assessoria e consultoria ao fundo previdenciário. Paga-se exorbitantes R$ 15.000,00 mensais. Ademais, examinamos nos municípios vizinhos e o valor é bastante inferior", comentou. 

O parlamentar do PSB, Raimundinho Mineiro, ocupou a tribuna na última terça-feira para também cobrar da administração o atraso nos repasses do fundo previdenciário, o que ele classificou como "uma verdadeira rasteira" e chamou de "palhaçada". O edil aproveitou a oportunidade e resolveu alertar os colegas à respeito de um outro problema envolvendo o RPPS. "É um grande erro alguém ser Gerente Financeiro do fundo previdenciário e, ao mesmo tempo, responder pelo departamento pessoal na gestão municipal, e essa situação vem ocorrendo em nosso município. Se não for do conhecimento de todos, mas pelo menos é da maioria, e questões como esta precisam ser levantadas aqui", disse.

O Ver. Milton Maia (PSD) fez uso da tribuna para questionar a situação financeira das contas públicas, assim como criticar o empréstimo solicitado pelo Prefeito Magno Soares  (PT) na ordem de R$ 2 milhões junto ao Banco do Brasil. Milton classificou como "absurda" as atitudes do gestor e foi enfático ao dizer que "sem nenhuma dúvida o município está quebrado". 



Edição: Jailson Lima

Deixe seu comentário