• Banner OAB
  • Campanha da Santa Missa
  • Vencer 03
  • Vencer 02
  • Vencer 01
  • Prerrogativas da advogacia
  • Peregrinos da fé
  • Novo app Jornal O Dia
Campo Maior

Prefeito Professor Ribinha decreta estado de calamidade pública em Campo Maior

A medida do gestor municipal integra uma série de ações adotadas desde o início da semana para o combate a Covid-19.

21/03/2020 13:08h - Atualizado em 21/03/2020 13:10h

O prefeito de Campo Maior Professor Ribinha assinou decreto na noite dessa sexta-feira (20) que reconhece estado de calamidade pública em Campo Maior por causa da propagação do coronavírus. A medida do gestor municipal integra uma série de ações adotadas desde o início da semana para o combate a Covid-19.

O decreto considera que a crise da saúde pública vai impor aumento de gastos e que será necessária a reprogramação financeira para ajustes das contas municipal afim de que os serviços públicos essenciais continuem em funcionamento. O documento segue os parâmetros do estado de calamidade pública decretada pelo presidente Jair Bolsonaro e reconhecida pelo Congresso Nacional.

“Temos quatro casos do novo coronvírus no Piauí e mais de 100 suspeitos. A perspectiva que temos recebido é que esse número possa crescer nas próximas semanas. Precisamos estar preparados em todos os sentidos para enfrentar esse desafio. Vamos precisar de equipamentos para os profissionais de saúde, de medidas econômicas para evitar ao máximo os efeitos negativos em nossa população e só conseguiremos fazer tudo isso em tempo hábil através desse decreto”, explicou o prefeito Professor Ribinha.

Com essa medida, o governo municipal fica autorizado a adotar medidas excepcionais necessárias para contrapor à disseminação da Covid-19. Professor Ribinha alertou que serão editados novos decretos para intensificar as ações de combate ao vírus.

No início da semana, o gestor já havia suspendido as aulas da rede municipal de ensino, autorizado o cancelamento de eventos e reuniões com público acima de 60 pessoas e liberado dos postos de trabalho servidores idosos e que apresentasse sintomas parecidos com o coronavírus.


Deixe seu comentário