Altos

Criança morre vítima de bala perdida em Altos (PI)

Gustavo, de apenas 6 anos, comemorava o aniversário do irmão quando foi atingido

16/11/2013 02:04h - Atualizado em 16/11/2013 15:55h

Compartilhar no

Na noite desta sexta-feira (15), por volta das 8h, um tiroteio entre policiais militares da Força Tática de Altos (PI) e dois homens em uma motocicleta acabou tirando a vida do garotinho identificado como Gustavo, de apenas 6 anos. A bala perdida, segundo populares, teria partido da polícia.

Alfredo Cadena Júnior, delegado do 14º DP, em Altos, diz que só a perícia será capaz de afirmar quem efetuou o disparo. €œAté o momento não se sabe se a bala partiu do policial ou do traficante. Já solicitei as armas utilizadas pelos policiais na ação e a perícia vai dizer de onde saiu o projétil€, explicou o delegado.

A ação da polícia era para capturar o traficante chamado de €˜Peteca€™ que empreendeu fuga em uma motocicleta pilotada por Romário Macedo, o único que acabou preso e será autuado por tráfico de drogas. Com ele foi encontrada uma quantia considerável de crack e cocaína. Romário Anderson Macedo Fontinelle, que é usuário, negou que seja dono da droga apreendida.

€œ‰ um direito dele negar, mas as provas dizem o contrário. Ele é o que chamamos de €˜avião€™ no mundo do tráfico€, ressaltou Cadena.

O disparo que atingiu a criança

No momento em que €˜Peteca€™ fugiu, o policial identificado como Jarbas saiu em perseguição e acabou caindo. Foi quando a arma teria disparado acidentalmente. Peteca conseguiu escapar. €œA versão dos policiais que atenderam a ocorrência é que o Jarbas tropeçou e com a queda a arma disparou€, disse o capitão Gomes Santos, Comandante da 3ª Companhia do 8º BPM.  

Porém, segundo o que foi apurado pelo delegado Cadena Júnior, do 14º DP, foram efetuados pelo menos três tiros durante a perseguição.

A falha da PM

Após o ocorrido, o policial Jarbas foi conduzido para a sede da 3ª Companhia, onde deveria ter ficado. No entanto, mesmo com a presença de outros dois PMs, ele evadiu-se do local. €œNão se sabe se eles foram coniventes, a Corregedoria vai apurar. Mas a recomendação é que ele [Jarbas] deveria ter ficado no alojamento€, enfatizou o Comandante da 3ª Companhia.

O clima na cidade após o acontecido

A frente do Hospital Municipal José Gil Barbosa, onde Gustavo estava sendo socorrido, ficou tomada por populares, que se mostravam revoltados com a ação da polícia.

Adilson Oliveira, pai do garoto, saiu do Hospital aos prantos e inconformado. €œPerdi meu filho. Ele morreu€, disse com voz trêmula.

Gustavo comemorava com a família o aniversário do seu irmão quando foi atingido pelo disparo.

O caso será investigado pela Corregedoria da Polícia Militar que esteve no município apurando as informações. 

É permitida a reprodução deste conteúdo (matéria) desde que um link seja apontado para a fonte!

Compartilhar no

Deixe seu comentário