• Fagner
  • Trilha das emoções
  • Novo app Jornal O Dia
Altos

“Gestão pública precisa ter planejamento, metas e parcerias”, diz Warton

Em entrevista ao ODIA, o secretário de administração e finanças de Altos falou sobre os segredos de gerir na crise

27/02/2017 08:54h - Atualizado em 27/02/2017 09:01h

Em um momento difícil para o país e para os mais de 5 mil municípios brasileiros, um município piauiense tem se destacado por ir contrário ao momento de dificuldade e avançar em todos os setores. ODIA este no município Altos (40 km de Teresina) conversando com o secretário de Administração e Finaças, Warton Lacerda, e ele explicou o segredo para o equilíbrio financeiro que hoje permite que o município continue avançando e se desenvolvendo. Warton também anunciou em primeira mão o desejo de concorrer a uma vaga na Assembleia Legislativa nas eleições de 2018. Confira na íntegra:

O senhor está à frente das pastas da administração e das finanças desde o início da primeira gestão da prefeita Patrícia Leal, como tem sido o desafio de administrar em meio a crise?

Fazer gestão pública com poucos recursos não tem sido uma tarefa fácil, sabemos que as necessidades são maiores que os recursos, especialmente nos últimos dois anos onde os recursos tem diminuído bastante. Eu acho que a gestão tem que ter o pé o chão e não procurar inventar neste momento de dificuldades financeiras... É preciso priorizar o funcionário público, pagar em dia, fazer planejamento, estabelecer metas e trabalhar de acordo com aquilo que é prioridade em uma gestão pública. Além do funcionalismo existe outras coisas que uma gestão precisa manter necessitando de recursos, daí surge a necessidade de buscar parcerias. O fato de que os recursos tem tido uma queda drástica, não significa dizer que as obras e outras ações precisem parar... É preciso buscar apoio e para isso se tem “N” opções, seja com Governo Federal ou Governo Estadual e isso fizemos de maneira muito forte no primeiro mandato.

Através deste planejamento e da busca destas parcerias, o que foi possível fazer em benefício do município?

Conseguimos asfaltar mais de 50 ruas, reformamos o hospital que há 20 anos não via uma reforma, conseguimos construir 7 Unidades Básicas de Saúde, conseguimos a construção de 750 casas pelo programa “Minha Casa Minha Vida”, conseguimos 02 creches “Tipo B”, conseguimos perfurar mais de 50 poços e fazer a distribuição de água através deles, recuperamos mais de 350 quilômetros de estradas na zona rural com as máquinas do PAC, construímos galerias, trocamos semáforos, fizemos a pavimentação (calçamento) em inúmeras ruas... Fizemos muitas coisas através de parcerias com os governos Estadual e Federal.

Qual seria então o segredo para se ter planejamento e organização e assim conseguir tantos benefícios?

Eu posso destacar a força de vontade, o interesse em ir atrás e buscar mais... Sempre com determinação e foco naquilo que se quer fazer. Fui administrador de empresas por mais de 20 anos, gerenciei multinacionais e por isso tenho uma base boa para a questão de planejar e organizar. O que temos feito é trabalhar sempre com metas e sempre buscando o equilíbrio da receita, sabendo que não se pode gastar mais do que aquilo que é arrecadado. Este conhecimento que adquiri na minha vida profissional eu tenho aplicado aqui, e tem dado certo, estamos garantindo os resultados que a população espera.

Quais são as dificuldades para desenvolver esse trabalho e conseguir os resultados citados?

Como disse não é fácil, lidar com a coisa pública as vezes é cansativo e estressante, especialmente porque nem tudo sai na velocidade que desejamos e precisamos... Um exemplo disso é o Terminal Rodoviário de Altos, fizemos um projeto ainda no ano de 2013 e de lá pra cá temos lutado com isso, licitamos e a ordem de serviço só foi dada há 15 dias atrás... Mas está ai, é mais uma grande obra que será realizada dentro da cidade graças a gestão da prefeita Patrícia Leal.

Altos é uma cidade que tem crescido bastante nos últimos anos. Quais os desafios para os próximos 4 anos de gestão?

Realmente o município cresceu, a população ampliou e nós criamos uma lei de incentivo fiscal. Com esse projeto do “Minha Casa Minha Vida”, além das 750 casas, atraímos construtoras que vieram investir aqui e ao total foram feitas cerca de R$ 2.500 moradias. Então Altos cresceu, isso aqueceu o comércio e gerou muito mais emprego, Altos ficou acima (proporcionalmente) de cidades importantes como Teresina, Uruçuí, Bom Jesus e outras, o que oi até noticiado na grande mídia. Para os próximos 4 anos existe um planejamento e existem muitas parcerias já feitas... Já posso citar aqui R$ 5 milhões que serão investidos em obras de calçamento, a revitalização da Avenida Francisco Raulino, iluminação, revitalização da Avenida 12 de Outubro, revitalização da Praça da Matriz que foi reformada em 1992, tem mais unidades de saúde para serem construídas, mais creches, mais escolas, estradas na zona rural, mais de 12 poços para serem perfurados, asfalto... Tem muita coisa boa vindo aí, a tendência é que este seja um segundo mandato melhor que o primeiro.

Todo esse trabalho trouxe um resultado para a cidade e para a gestão. Após tantas conquistas, quais os desejos de vocês como gestores?

O desejo é continuar trabalhando pelo município, pela população. Tem muita coisa que nós precisamos fazer ainda e que a cidade precisa né... Vamos trabalhar para que todos os projetos que eu citei a pouco saiam do papel e sejam realizados, queremos buscar mais parcerias para que Altos se desenvolva mais e eu acho que muita coisa boa ainda está por vir.

Altos tem sido vitrine também através do Esporte. Temos visto o avanço da seleção da cidade que vem se destacando a nível nacional. Como tem sido o seu trabalho, como presidente do time?

Montamos o time em 2013 e de lá pra cá ele vem participando dos campeonatos esportivos. Foi campeão piauiense da 2ª divisão, vice-campeão piauiense da 1ª divisão, foi o melhor time em desempenho no Campeonato Brasileiro, na Série B e já estamos trabalhando a Copa Piauiense, a Copa Nordeste e a Copa do Brasil... O time é líder na Copa Piauiense, mudou de fase na Copa do Brasil, está bem colocado na Copa do Nordeste e alcançado várias conquistas... Isso também é fruto de um trabalho feito com planejamento, metas e organização, pois futebol hoje não é só entrar no campo e jogar bola, é preciso um trabalho por trás que fazemos como administrador, dá trabalho, mas está dando certo e estamos felizes por levar o nome do Piauí mais longe!

Que recado o senhor deixa para a população de Altos?

Não só Altos, mas todo o Estado podem contar com a gente. Estamos fazendo um trabalho novo e queremos fazer muito mais... Quero dizer a todos (as), que estamos almejando dar um passo a mais e estamos trabalhando a possibilidade de lançar uma candidatura na esfera estadual que represente bem o nosso Estado e que possa fazer diferente na Assembleia Legislativa. Eu vejo que podemos contribuir muito com o Piauí, tenho sentido que o grande gargalo da gestão pública são as burocracias que complicam e afetam diretamente a população, então queremos trabalhar com projetos de lei para conseguirmos a desburocratização de tudo que se refere à gestão pública. Tenho observado o exemplo de outros países, quando acontece algum fato atípico, queda de uma ponte, uma estrada ou algo do

 tipo... Em pouco tempo eles conseguem resolver, e por que não conseguimos isso no Piauí? Burocracia! Existe o decreto de emergência, mas até que este saia do papel... Quem sofre é o povo! Acredito que com mais vontade política, uma mente aberta se pode trabalhar isso e cobrar mais. Então é isso, queremos fazer parceria com os municípios e trocar experiências para os gestores consigam êxito na realização dos seus projetos com mais agilidade e buscar também projetos que incentivem a prática de Esportes e a geração de emprego e renda.

Com todos estes resultados e a pretensão de uma candidatura a nível estadual. Já tem uma sigla partidária apoiando e abraçando este projeto?

Olha eu sou ligado ao governador Wellington Dias, nosso deputado federal é o Assis Carvalho (PT) e eu estou filiado atualmente ao Partido Progressista (PP), mas eu tenho sido procurado por muitos partidos, vários mesmo. Praticamente todos os dias recebo convites... Mas ainda não defini por qual partido irei marchar nesta jornada e vou pensar nisso com carinho, vendo qual partido que represente e viabilize essa nossa candidatura. Já tenho rodado bastante, feito visitas não somente aqui na região de Altos, mas por todo o Estado e eu tenho sentido uma aceitação boa, uma receptividade boa por parte de muitas lideranças... Sei que ainda está um pouco distante o período eleitoral, mas estou procurando meu espaço e acredito que todos nós tenhamos esse direito. 

Edição: Geysa Silva
Por: Geysa silva

Deixe seu comentário


Notícias Relacionadas