Moreno já vestiu a camisa da Seleção; veja outros casos

Nascido em Santa Cruz de la Sierra, atacante do Flamengo já atuou nas categorias de base do Brasil

30/10/2013 16:14h

Compartilhar no
Boliviano, Marcelo Moreno já vestiu a camisa da seleção brasileira (Site Oficial do Clube)

Atualmente, muitos jogadores nascidos no Brasil optaram por se nacionalizar por outros países para tentar a sorte em outra seleção. É o caso, por exemplo, do ex-meia Deco, que defendeu Portugal, do volante Thiago Motta, que joga pela Itália, e do atacante Cacau, que atua na Alemanha. O caso mais recente que pode ser citado é o do centroavante Diego Costa, que manifestou seu desejo de jogar pela Espanha e deve se nacionalizar pela nova pátria.





Entretanto, o que poucos sabem, é que jogadores de outras nações foram na contramão de Diego e vestiram a camisa da . Último a realizar essa mudança foi o atacante Marcelo Moreno, que defende o Flamengo. Boliviano de Santa Cruz de la Sierra, o atleta é filho do ex-meia brasileiro Mauro Martins, que jogava pelo Palmeiras. Marcelo ingressou no futebol no Oriente Petrolero, clube da cidade de onde nasceu. Apesar de ter atuado no Oriente, Moreno logo se transferiu para o Vitória, onde também jogou nas categorias de base da equipe baiana.

Tornou-se profissional no Rubro-Negro baiano em 2005 e permaneceu no clube até 2007, ano em que foi contratado pelo Cruzeiro, time em que se destacou e conseguiu chegar a artilharia da Copa Libertadores. Em 2008, após atingir o feito, se transferiu para a Europa, onde passou por Shakhtar Donetsk-UCR, Werder Bremen-ALE e Wigan-ING. Depois do período no Velho Continente, voltou ao Grêmio e, hoje, defende o Flamengo. Na seleção brasileira, Moreno não chegou a defender a equipe principal. O atacante atuou pela Seleção sub-18, no amistoso contra a Caldense, na Copa Sendai, no Japão, e também pela sub-20.

Além de Moreno, outros quatro estrangeiros também já vestiram a camisa da Seleção. Um deles foi o atacante Sidney Pullen, que nasceu na Inglaterra. Pullen atuou pelo extinto Paissandu, do Rio de Janeiro, Flamengo e Fluminense. Nos anos de 1916 e 17, foi convocado para a Amarelinha, na qual teve oportunidade em cinco jogos tendo, inclusive, participado do primeiro Campeonato Sul-Americano de Seleções.

O goleiro português Casemiro do Amaral também defendeu o Brasil. De Lisboa, Portugal, Casemiro começou no futebol no América-RJ. Teve passagens por Germânia, Mackenzie e Corinthians, todos de São Paulo. Também atuou pela Amarelinha no Campeonato Sul-Americano de Seleções, onde entrou em campo por seis vezes. Mais um que vestiu a camisa pentacampeã do mundo foi o meia Francisco Police, que teve passagem pelo Botafogo. Police não chegou a atuar tanto como os outros gringos pela Seleção: teve apenas uma única chance com a camisa da seleção brasileira, em um amistoso que terminou com a derrota da Canarinho por 1 a 0 para um clube uruguaio.

O estrangeiro que mais vestiu a camisa da Seleção foi o atacante polonês Rodolfo Barteczko, conhecido como Patesko. Com uma grande carreira no Botafogo, onde marcou 102 gols em 237 jogos, Patesko disputou 34 duelos pela Seleção, quatro deles nas Copas do Mundo de 1934 e 1938.
Compartilhar no
Fonte: Esporte interativo

É permitida a reprodução deste conteúdo (matéria) desde que um link seja apontado para a fonte!


Deixe seu comentário


Notícias Relacionadas