"São os jogadores que decidem", diz presidente do Barça sobre Neymar

Josep Maria Bartomeu afirma ao "The New York Times" que Barcelona precisa do astro e não deseja perdê-lo. Jogador segue em silêncio em meio a novela

27/07/2017 14:44h

Compartilhar no

As imprensas de Espanha e França são uníssonas ao apontar que a possível transferência de Neymar para o Paris Saint-Germain, neste momento, depende apenas da decisão do astro, uma vez que ele tem a proposta fechada em mãos e já teria ouvido os argumentos da diretoria do Barcelona para permanecer. E o presidente do clube catalão reiterou tal discurso.

Em entrevista ao jornal "The New York Times", durante a excursão do Barça pelos Estados Unidos para a pré-temporada, Josep Maria Bartomeu deixou claro o desejo do clube de manter Neymar, alegando que a equipe "precisa dele". E que, quando um atleta quer sair, ele tem o direito de decidir.

- Neymar é um dos nossos melhores jogadores e não queremos perder este jogador. Queremos que siga conosco. Você sabe que são os jogadores que decidem se querem sair, eles podem decidir. Mas quanto ao Barcelona, o queremos e precisamos dele. Porque se queremos ganhar, precisamos dos melhores jogadores possíveis - apontou Bartomeu.


Bartomeu diz que Barça precisa de Neymar (Foto: EFE)

Enquanto as torcidas dos dois clubes vivem a expectativa pela definição da novela, Neymar vem mantendo o silêncio: a única vez que esboçou algum recado foi através das redes sociais, usando um emoji pensativo. O jornal "L'Équipe" afirma nesta quinta-feira que o único empecilho para a transferência neste momento é a resolução sobre como se dará o pagamento da multa rescisória de € 222 milhões (R$ 815 milhões) ao Barcelona - uma vez que o jogador e o clube francês já teriam fechado seu acordo.

A diretoria do PSG estaria tentando achar uma saída, negociando com o Barça, para não seguir o protocolo de pagamento de multas do tipo: o clube teria que repassar o valor para Neymar, que faria o depósito na conta do Barcelona. Este processo, diante das leis da França, poderia gerar impostos e inflacionar a transferência para mais de € 300 milhões (R$ 1,1 bilhão) - pois o dinheiro que seria repassado ao jogador para o pagamento da cláusula seria considerado um salário adiantado ou um bônus por assinatura de contrato.

É permitida a reprodução deste conteúdo (matéria) desde que um link seja apontado para a fonte!

Compartilhar no
Fonte: Globo Esporte

Deixe seu comentário