River-PI 75 anos: relembre alguns fatos marcantes do clube piauiense

O Dia separou alguns dos momentos marcantes dos setenta anos de existência do Galo Carijó

01/03/2021 14:28h - Atualizado em 01/03/2021 19:00h

Compartilhar no

O River Atlético Clube (RAC)completou 75 anos de fundação estatutária nesta segunda-feira (01). Fundado em 1946, é o clube que mais vezes conquistou o Campeonato Piauiense: são 31 títulos ao longo da história.

Foto: Divulgação/Ascom RIVER A.C

O time tem como o seu maior adversário na cidade o Flamengo-PI, com o qual faz o maior clássico do estado: o Rivengo. O Tricolor piauiense já participou oito vezes da primeira divisão do futebol brasileiro: esteve em cinco edições da Série A e mais três da antiga Taça Brasil.  O clube também já foi vice-campeão da Série D de 2015, e já disputou a Série B do Brasileiro dez vezes.


“Nesta época os clubes eram convidados pela hoje conhecida como CBF (Confederação Brasileira de Futebol). Só depois foram estabelecidas as divisões que temos hoje no futebol, onde os clubes sobem e descem de divisão”, contou o jornalista e locutor piauiense, Dídimo de Castro.


Primeiro campeonato e primeiro título

O River disputou o seu primeiro campeonato estadual em 1948. Na época, só existiam duas equipes: o Botafogo de Teresina e o Flamengo-PI, que também atuava na Capital. O Piauiense tinha dois turnos e, o então novato no torneio se sagrou campeão, somando 22 pontos, ao logo de 14 partidas disputadas. Esse é considerado o início da trajetória de títulos do clube no Piauí.

A primeira participação em torneios nacionais só ocorreu em 1963. O Galo conquistou a classificação para o Campeonato Brasileiro, na época Taça Brasil, ao vencer uma série de jogos contra a equipe do Sampaio Corrêa, de São Luís (MA).

Para chegar à competição nacional, o River viajou para a capital maranhense onde encarou o Sampaio Corrêa, no estádio Nhozinho Santos. Nesse primeiro confronto, a equipe perdeu por 3 a 0 e, na partida de volta, o Galo venceu por 2 a 0 no estádio Lindolfo Monteiro, em Teresina. Na partida de classificação para a Taça Brasil, venceu por 1 a 0 e consolidou o feito do primeiro acesso de uma equipe do Estado do Piauí.

“O River ficou conhecido como “Eterno Campeão” entre o período de 1948 a 1965. O time ganhava tudo, era quase imbatível. Nesse período, conquistou 14 títulos estaduais”, completou o jornalista.  

Quebra de um jejum e torcida presente

Outros fatos importantes da história do River foram registrados entre 1973 a 1977. Após dez anos sem conquistar um título piauiense, Afrânio Nunes teve que montar um time mais forte que o Flamengo e o Tiradentes, que estavam no auge na época. Registros históricos dão conta de que a decisão foi numa quarta-feira à noite, no Estádio Lindolfo Monteiro.

Conforme os registros, a final foi entre River e Tiradentes que terminou em 0 a 0 no tempo normal e na prorrogação. A decisão foi para as grandes penalidades e na quinta cobrança Derivaldo marcou o gol que deu título ao River. Eufóricos, os torcedores invadiram o campo e arrancaram as traves e levaram para sede, que inclusive, hoje recebe o nome de CT Afrânio Nunes. 

O maior Campeonato Piauiense foi realizado em 1977. A competição atingiu recorde de público e renda, levando mais de 100 mil pessoas para três jogos decisivos no Albertão. Mais de 40 mil pessoas compareceram ao Rivengo - última partida da série - que terminou empatado em 2 a 2. O gol do título foi marcado por Nivaldo "Coalhada" aos 9 minutos do 1º tempo da prorrogação.

“Esse foi um dos mais importantes títulos do River pela quantidade de torcedores no estádio. Foram mais 40 mil, o maior de todos os tempos. Se eu pudesse definir o Galo nesses 75 anos, diria que foram de liderança futebol”, relata Dídimo.

O Bi estadual e vice-campeonato da Série D de 2015

Em 2014 o time conquistou, após 7 anos, o título piauiense, com direito a um público de 24 mil pessoas no jogo de volta contra o Piauí. No mesmo ano, a diretoria contratou Flávio Araújo com o objetivo de levar o time de volta à Série C. No ano seguinte, com vaga na Copa do Nordeste, a equipe foi eliminada após tropeços dentro de casa e por perder, nos últimos minutos, para Fortaleza e Ceará.

Foto: Jailson Soares/ODIA

O Galo conseguiu a volta por cima ao conquistar o bicampeonato piauiense sobre o maior rival, Flamengo-PI. O empate na prorrogação deu o título e a vaga na Série D 2015. Durante a competição nacional, na primeira fase, teve pela frente Palmas, Santos-AP, Imperatriz e Guarani de Juazeiro. River terminou em primeiro do grupo e de quebra se tornou o primeiro clube piauiense a passar de fase na história da Série D.

Foto: Jailson Soares/ODIA

Nas oitavas, o Tricolor encarou o Estanciano-SE e, nas semifinais, pegou o Ypiranga de Erechim. Já na final, duelou contra o Botafogo de Ribeirão Petro. No primeiro jogo, os paulistas venceram por 3 a 2 e a decisão foi Albertão. Entretanto, o marcador da segunda partida decisiva ficou sem gols até o apito final dando ao River o vice-campeonato do torneio  e, até o momento, a melhor campanha de uma equipe piauiense em um certame nacional. Foram mais de 40 mil pessoas no estádio. Em 2016, o time conquistou o tricampeonato e foi rebaixado da Série D.

Nova diretoria, promessas e restruturação

Givanildo Campelo foi eleito presidente do River em novembro de 2017 e prometeu reestruturar o time. Ele conseguiu melhorar a parte de infraestrutura do clube, com obras que foram desde o gramado até a sala de coletivas de imprensa, por exemplo. Fez também melhorias gerais, para que o clube tivesse uma estrutura melhor para seus jogadores e comissão técnica.

Em relação a desempenho do time em 2018, o River foi vice-campeão piauiense após perder para o Altos por 4 a 2 (placar agregado). O clube também conquistou direito de disputar a Copa do Brasil e a Série D em 2019, além do pré-nordestão do mesmo ano. Portanto, o dirigente pôde concluir parte das promessas. 

Campeonato Piauiense 2021

Nesta temporada, o River só tem pela frente o Campeonato Piauiense. Em dois jogos, foram uma vitória e uma derrota. Com isso, a equipe tem 3 pontos e segue na sexta posição na tabela. 

Matéria produzida com informações do site http://sitedobuim.blogspot.com/ 

É permitida a reprodução deste conteúdo (matéria) desde que um link seja apontado para a fonte!

Compartilhar no
Fonte: Com contribuição de Dídimo de Castro e Severino Filho, o Buim

Deixe seu comentário