• Clínica Shirley Holanda
  • Semana do servidor
  • Netlux
  • SOS Unimed
  • Novo app Jornal O Dia

Prestes a jogar no Fla-RJ, atleta lembra história marcada por abuso

Joyce participou em Teresina de uma peneira ao lado de dezenas de garotas que foram observadas por olheiros

04/10/2019 16:14h - Atualizado em 04/10/2019 18:20h

Foi preciso pouco mais de um ano para a vida da jovem zagueira do Tiradentes (PI), Joyce Meira, de 17 anos, mudar completamente através do esporte. De família humilde, a jovem enfrentou um dos maiores traumas que uma criança pode passar: um abuso sexual aos 8 anos de idade. Diante do choque, Joyce entrou em depressão e teve que lidar com o transtorno por cerca de quatro anos.

Mas foi em fevereiro de 2018 que Joyce viu sua vida ganhar outro sentido. Ela foi encorajada por um amigo a fazer um teste na equipe do Tiradentes, que resultou na sua aprovação e no começo de sua história de superação na modalidade.

Joyce Meira, de apenas 17, faz parte do Tiradentes desde fevereiro de 2018. Foto: Jailson Soares

Ela começou a jogar no time piauiense mesmo sem o total apoio dos pais. Apesar disso, sua tia dava o suporte necessário para que ela continuasse com o sonho de um dia se tornar uma jogadora de futebol. Pouco tempo depois, sua principal incentivadora faleceu e, mais uma vez, Joyce se encontrava em uma situação desanimadora. Mas o futebol lhe mostrou que ela podia ir além.

“Eu pensei, por muitas vezes, em desistir do futebol. Mas todas as vezes que eu olhava para o espelho, eu dizia que não podia fazer aquilo, que iria tentar porque eu sabia que alguma coisa, dentro de mim, estava começando a brilhar. Eu tive sempre o apoio da minha tia, que sempre me motivou. Hoje ela não está mais presente, mas eu sempre serei grata a ela por tudo que ela já fez por mim”, disse.

Zagueira do Tiradentes se emociona ao lembrar do apoio da tia. Foto: Jailson Soares

“A minha história não é uma das melhores - eu passei por muitas coisas, conflitos, crises, críticas, mas tudo que eu passei só me fortaleceu ainda mais. Foi uma fase muito ruim, mas hoje posso dizer que superei”, completa.

Sem desistir e com estímulo do atual treinador da equipe, Toinho, que acreditou em seu potencial dentro de campo, Joyce manteve o foco até conquistar espaço de destaque entre as titulares.

Joyce Meira, é um dos destaque da zaga do Tiradentes. Foto: Jailson Soares

“Quando eu fiz o teste no Tiradentes, eu já fui para o coletivo com as meninas. O professor Toinho já foi me observando e cobrando o meu desempenho. Acho que ele sabia que eu tinha algo a dar e, assim, foi indo, e a tendência é só melhorar daqui pra frente”, disse.


Rumo ao Rio

Joyce participou na tarde da última quinta-feira (3), no Lindolfo Monteiro, em Teresina, de uma peneira ao lado de dezenas de garotas que foram observadas por olheiros de grandes clubes do futebol brasileiro, convidados pelo projeto CBF Social, em parceria com a Federação de Futebol do Piauí (FFP).

Joyce Meira foi uma das selecionadas pelo Flamengo (RJ) e deve vestir a camisa do time nos próximos meses. Foto: Jailson Silva

A zagueira do Tiradentes teve seu talento revelado e foi uma das selecionadas pelo Clube de Regatas do Flamengo, do Rio de Janeiro, e deve vestir a camisa do time nos próximos meses.“Os meus pais, com certeza, se sentiram orgulhosos porque sabem o quanto eu insisto numa coisa que eu gosto. Eu estou muito feliz, meu coração está tranquilo, mas sei que a responsabilidade será maior. Tudo que aprendi aqui vou levar comigo e sei que lá vou aprender mais. Meu sonho é ser uma grande jogadora de futebol, chegar a uma grande seleção. E daqui pra lá, independente do clube que estiver, eu vou dar o melhor de mim”, finaliza.

Edição: Biá Boakari
Por: Jorge Machado, do Jornal O Dia

Deixe seu comentário