• SOS Unimed
  • Fagner
  • Trilha das emoções
  • Novo app Jornal O Dia

Presidente da CBF diz ter 'plena confiança' em Neymar e nega corte

"Não há expectativa que o Neymar não esteja na seleção brasileira", afirma presidente da CBF

04/06/2019 12:50h - Atualizado em 04/06/2019 14:33h

O presidente da Confederação Brasileira de Futebol, Rogério Caboclo, descartou a possibilidade de cortar Neymar da Copa América. Em entrevista ao SporTV nesta terça-feira (4), o dirigente afirmou ter plena confiança no atacante e na defesa que ele está produzindo.

"Não há expectativa que o Neymar não esteja na seleção brasileira. Estamos acompanhando com plena confiança no Neymar e na defesa que ele está produzindo [...] Eu tenho conversado com os advogados, com o pai e dado o apoio que a CBF tem que dar. Acho que ele está muito bem amparado", afirmou.

Caboclo também disse que trata com naturalidade o caso e que a ideia é manter o ambiente de competição na seleção brasileira.

"Tratando com naturalidade. O mais importante é manter o ambiente da seleção, dos jogadores, o clima de competição em alta. Que isso não afete o desempenho dos jogadores", disse.


O caso

Uma mulher registrou Boletim de Ocorrência acusando o atacante Neymar , do PSG e da seleção brasileira, de estupro. O documento foi averbado no dia 31 de maio, na 6ª Delegacia de Defesa da Mulher, em Santo Amaro, na capital paulista, referente a um fato que teria ocorrido no dia 15 de maio, em Paris. O inquérito policial segue em sigilo e o nome da mulher também é mantido em segredo.

A acusação da mulher é que Neymar chegou ao hotel no dia 15 de maio, por volta de 20h, e embriagado. Após trocas de carícias ele teria ficado agressivo e, mediante violência, praticou relação sexual sem o consentimento da vítima. Ela ainda disse que voltou ao Brasil no dia 17 de maio e que estava abalada emocionalmente e com medo de registrar a ocorrência.

Antes de Neymar se manifestar sobre o caso foi seu pai quem falou, em entrevista à TV Bandeirantes. Também empresário do atacante, Neymar disse que eles iriam "expor a situação para que a opinião pública pudesse enxergar" a partir de conversas guardadas pelo jogador. O pai de Neymar disse que o filho caiu em uma armadilha e acusou a mulher de extorsão.

A única manifestação pública de Neymar até agora foi na madrugada de sábado para domingo. Ele publicou um vídeo em sua conta pessoal do Instagram, negou ter cometido estupro e expôs a suposta conversa que teve com a mulher que o denunciou para dar sua versão sobre o caso. A ideia do post era tentar conquistar a opinião pública.

A assessoria de imprensa de Neymar ainda divulgou um comunicado dizendo que o estafe do jogador foi vítima de tentativa de extorsão praticada por um advogado da cidade de São Paulo que, segundo a sua versão, representava os interesses da suposta vítima.

A Polícia Civil do Rio de Janeiro irá investigar Neymar por vazamento de fotos íntimas da mulher  que o acusa de estupro. O caso será apurado pela Delegacia de Repressão de Crimes de Informática junto com o inquérito que investiga o estupro. O crime de vazamento de fotos íntimas é previsto no artigo 218-C do Código Penal Brasileiro e, caso haja condenação, o crime prevê pena de um a cinco anos de reclusão.

O vídeo em que Neymar se defende das acusações e expõe as supostas conversas com a mulher foi removido da internet pelo próprio Instagram na madrugada de hoje. A rede social declarou que "o conteúdo foi removido por violar os padrões da comunidade". As imagens estavam na ferramenta IGTV. O pai de Neymar, aliás, disse à TV Bandeirantes que preferia que o filho fosse acusado de um crime de internet do que um estupro.

"Não tínhamos escolha. Eu prefiro um crime de internet a de estupro . Foi o Instagram que tirou do ar por saber que vai ter uma discussão em cima disso. Pelas regras do Instagram estava normal. Ele preservou a imagem, o nome. Ele precisava se defender rapidamente. É melhor ser verdadeiro e mostrar o que aconteceu. Sabíamos da chantagem, mas não da coragem de fazer um B.O. em cima de uma situação dessas."

A Polícia está investigando desde o momento da instauração do Boletim de Ocorrência. Inclusive, policiais foram à concentração da seleção brasileira no último sábado para buscar informações sobre a chegada de Neymar. Porém, o jogador estava de folga e não foi encontrado. Ele será ouvido em breve.

Fonte: Folhapress - Foto: CBF

Deixe seu comentário