Morre Batista Silva, o Mão de Onça, um dos maiores goleiros do futebol piauiense

Ele tinha 76 anos e morreu em sua residência no bairro Buenos Aires, em Teresina

22/02/2021 15:51h

Compartilhar no

Morreu na noite do domingo (21) um dos maiores goleiros da história do futebol piauiense: João Batista Crispim da Silva, mais conhecido como Mão de Onça, que começou sua carreira no Ferroviário de Parnaíba e em 1966 veio para Teresina jogar no Piauí, na conquista do tricampeonato. Ele tinha 76 anos e morreu em sua residência no bairro Buenos Aires, em Teresina.

Foto: Arquivo/Pessoal 

Com as mãos muito grandes, Mão de Onça costumava pegar chutes com apenas uma das mãos durante os treinos. Sua impulsão lateral era outro ponto forte que impressionava a todos.

Em 1969, na campanha do tetra, atuou em 7 jogos e foi contratado pelo Santa Cruz de Recife. Em 1971, Batista voltou ao futebol piauiense para jogar no River. Chegou a jogar no Flamengo do Rio de Janeiro por um período de experiência ao lado de Garrincha, que na época estava atuando no clube da Gávea.

O jornalista Dídimo de Castros narrou, por diversas vezes, partidas de Batista em Teresina. Para ele, o Piauí perdeu uma grande figura do futebol do estado.

“O Batista foi um dos maiores goleiros da história do futebol piauiense. Dificilmente o ‘Piauizão Vibrante’ perdia em casa. Ele sem dúvidas se iguala a Toinho que, inclusive, jogo no São Paulo. Vai deixar saudades pela personalidade que foi e enorme contribuição para o nosso esporte. Ele deixa o filho Batistinha, aposentado do futebol, que já foi campeão piauiense com o 4 de Julho”, disse. 

Compartilhar no

É permitida a reprodução deste conteúdo (matéria) desde que um link seja apontado para a fonte!


Deixe seu comentário