• SOS Unimed
  • Fagner
  • Trilha das emoções
  • Novo app Jornal O Dia

Me senti muito amado, afirma Neymar na saída da delegacia

O jogador compareceu à polícia para prestar depoimento sobre o vazamento de imagens íntimas da modelo Najila Trindade.

07/06/2019 07:32h

Após depoimento que durou cerca de 1h40 na Cidade da Polícia, na zona norte do Rio, Neymar falou nesta quinta-feira (6) pela primeira vez à imprensa sobre a acusação de estupro feito pela modelo Najila Trindade Mendes de Souza. Mas disse pouco.

"Quero agradecer as mensagens que recebi dos fãs, dos meus amigos e de todos. Me senti muito amado. Só [quero] agradecer o carinho de todos", disse o jogador, antes de entrar no carro e ir embora.

Ele se referia às manifestações dos torcedores em Brasília antes do amistoso da seleção brasileira com o Qatar na última quarta (5). O atacante se contundiu ainda no primeiro tempo e foi cortado da delegação que vai jogar a Copa América.

Cerca de de 50 menores moradores da favela de Jacarezinho, nos arredores da delegacia, estavam à frente do local gritando mensagens de apoio a Neymar. Em algumas delas, os jovens berravam que o atleta é inocente.


Neymar Jr. - Foto: Reprodução/Instagram

"Meu cliente é inocente. Ele está absolutamente tranquilo. É a tranquilidade dos inocentes", disse na saída da delegacia a advogada Maíra Fernandes, uma das encarregadas da defesa do jogador, completando em seguida não poder comentar nada sobre o depoimento porque os autos do processo são sigilosos.

Neymar prestou depoimento sobre o suposto crime de divulgar, no último sábado (1º), em seu perfil no Instagram, uma gravação com diversas imagens íntimas de Najila Trindade. Pouco depois a própria rede social tirou a postagem do ar.

Neymar chegou em sua mansão em Mangaratiba, litoral fluminense, no início da tarde desta quinta e voltou para o local após o depoimento. 

Ele chegou em uma van, de onde saiu com proteção no tornozelo lesionado e usando muletas. Logo depois, cercado por cinegrafistas e repórteres, ele foi colocado em uma cadeira de rodas. Na saída, estava mancando.

Os quase 100 jornalistas que esperavam o jogador quase quebraram a porta da delegacia e tumultuaram a chegada e saída do jogador. O carro da polícia teve que entrar no DP para facilitar a retirada do atacante. 

Neymar ainda terá de depor na investigação do estupro, que acontece em São Paulo. Segundo sua advogada, não há data ainda para isso acontecer.

Fonte: Folhapress

Deixe seu comentário