• Canta
  • SOS Unimed
  • Fagner
  • Trilha das emoções
  • Novo app Jornal O Dia

Luís Alves supera depressão, se destaca como paratleta e coleciona medalhas

Piauiense foi aplaudido por onde passou nos quase 100 km de percurso do Picos Pro Race, disputado no final de semana

04/07/2017 07:53h

(Foto: Moises Sabbá/ Aximulti)
O paratleta Luís Alves chamou a atenção durante a quinta edição do Picos Pro Race, disputada no último domingo por mais de 400 ciclistas. Natural de Floriano, o atleta voltou para casa com o título de vice-campeão na categoria Master C1 (50 a 55 anos) após percorrer quase 100 km em 5h20min48s. 

O nome de Luís Alves é bastante conhecido pela história de superação que carrega a cada prova que participa. Em Picos, não foi diferente. Luís Alves correu os 92km de prova e mais uma vez superou suas limitações físicas. O paratleta tem o triatlo como especialidade no currículo e usa as provas de ciclismo como uma espécie de treinamento de luxo. O piauiense competiu na categoria Master C1, com atletas sem deficiência porque a prova não tinha uma categoria destinada aos paratletas. 

“Percurso excelente e, para mim, foi mais um trabalho realizado e a gente tem mais que prestigiar esses eventos. Mais uma superação e mais um incentivo para aqueles que se acham despreparados para fazer um esporte”, ressaltou Luís Alves. 
O espírito de superação e de competição de Luís Alves chamou atenção. Durante o percurso, o paratleta foi ovacionado por populares que tiveram oportunidade de acompanhar alguns trechos da dura competição. Segundo Luís, momentos como esses motivam e são vistos como reconhecimento ao trabalho que tenta fazer dentro da categoria. “Por várias vezes, você escuta que é um exemplo de vida, vou me inspirar em você e com certeza isso me deixa bastante feliz”, conta. 
(Foto: Moises Sabbá/ Aximulti)
O esporte, por sinal, salvou Luís Alves da depressão, após um acidente que tirou uma de suas pernas. Depois disso, natação, corrida e ciclismo ganharam espaço na vida de Luís Alves. Em 2016, o paratleta foi recompensado pelo esforço e convidado a integrar a equipe Audax, tendo maior investimento e projeção nacional. “Existe uma diferença dos que estão mais preparados e estão vivendo do esporte hoje. O ciclismo exige que tudo dê certo para que possamos fazer um bom trabalho”, acrescenta Luís. 
O paratleta se prepara agora para o Campeonato Brasileiro de Paratrithlon que acontece em agosto. Ele já foi vice-campeão brasileiro e ocupa a segunda colocação no ranking nacional.
Edição: Aline Rodrigues
Por: Pâmella Maranhão

Deixe seu comentário