Judô terá seu próprio TUF na tevê, com Rafaela e Sarah como técnicas

Em uma forma de promover o reality, o Ippon terá duas treinadoras mulheres, ambas campeãs olímpicas: Sarah Menezes e Rafaela Silva.

11/07/2017 09:46h

Compartilhar no

Um ano e meio depois de descontinuar o The Ultimate Fighter, a Globo está novamente apostando em um reality show de lutas. Desta vez, porém, sai o MMA e entra o judô. O “Ippon – a luta da vida” está sendo gravado no Parque Aquático Maria Lenk, onde o Comitê Olímpico do Brasil (COB) tem um centro de treinamento, e será exibido em seis episódios longos, de cerca de 40 minutos, no Esporte Espetacular, da Rede Globo.

O reality parte da mesma premissa do TUF: jovens esportistas sendo treinados por atletas renomados em busca de espaço na modalidade. Nesta primeira edição do Ippon, foram escolhidos quatro judocas mulheres da categoria meio-leve (até 52kg) e outros quatro homens da categoria leve (até 73kg). A diferença para o programa do UFC é que no do judô não haverá lutas entre os participantes.

Em uma forma de promover o reality, o Ippon terá duas treinadoras mulheres, ambas campeãs olímpicas: Sarah Menezes e Rafaela Silva. A piauiense deverá treinar uma das jovens judocas que prometem concorrer contra ela por uma vaga nos Jogos Olímpicos de Tóquio: a mato-grossense Layana Colman, de 20 anos, ouro nos Jogos da Juventude de 2014, na China. Já entre os homens, um dos atletas confinados é David Lima, gaúcho da Sogipa, que foi o campeão brasileiro da categoria sub-21 em maio.

O reality ainda está sendo gravado e, pelo que apurou o Olhar Olímpico, Rafaela Silva não está presente em todos os dias de gravação. A campeã olímpica está em preparação para o Mundial de Budapeste (Hungria), que acontece na última semana de agosto, e está dividindo seu tempo entre o programa e seu treinamento específico.Já Sarah Menezes não foi convocada, como contamos na semana retrasada.

Flávio Canto, ex-judoca e apresentador da Rede Globo, será o apresentador do reality, que deverá contar com pelo menos uma participação especial por episódio. O programa será exibido dentro do Esporte Espetacular, dentro do mesmo modelo do Verão Espetacular. Patrocinador da Confederação Brasileira de Judô (CBJ), o Bradesco está bancando a produção.

O banco ainda não definiu a premiação do reality show, mas o resultado não vai influenciar no planejamento e nos critérios de convocação da CBJ, que realiza seletivas e mantém um ranking nacional por categorias. Quem se destacar, entretanto, pode vir a ser convocado para participar dos “Desafio BRA”, eventos patrocinados pelo Bradesco nos quais uma equipe brasileira, normalmente sem os melhores judocas do país, enfrenta times estrangeiros.

Compartilhar no
Fonte: UOL

É permitida a reprodução deste conteúdo (matéria) desde que um link seja apontado para a fonte!


Deixe seu comentário