• Canta
  • SOS Unimed
  • Fagner
  • Trilha das emoções
  • Novo app Jornal O Dia

Hamilton atesta superioridade da Ferrari para o GP da Itália

O piloto da Mercedes disse creditar que os rivais serão "um segundo mais rápidos nas retas".

06/09/2019 09:20h - Atualizado em 06/09/2019 11:19h

A vitória da Ferrari no GP da Itália, que acontece neste fim de semana, já é dada como certa. É que o time italiano tem velocidade superior nas retas e a potência do motor em si também contribui bastante. Soma-se a isso o fato de que o circuito de Monza ter apenas 11 curvas. O que potencializa as qualidade do carro da escuderia italiana.

Não é por acaso que Lewis Hamilton saiu do GP do último final de semana na Bélgica dizendo que a Mercedes não apenas não tem muita chance em Monza, como cravou que os rivais serão "1s mais rápidos nas retas".

Isso, depois que Charles Leclerc venceu o GP da Bélgica de ponta a ponta. A pista de Spa-Francorchamps tem dois setores de alta velocidade, mas também tem uma parte recheada de curvas, nas quais a Mercedes conseguia se aproximar. O problema, para o time de Hamilton, é que em Monza isso não existe.

Perguntado pelo UOL Esporte sobre o que espera em termos de rendimento de seus rivais neste fim de semana, Hamilton respondeu com um longo suspiro. "Eles vão ser muito velozes em Monza. Será muito difícil, a não ser que a gente consiga encontrar alguma coisa. Eles vão ser 1s mais rápidos nas retas. O problema é que quase não há curvas em Monza para recuperarmos terreno, e eles já conseguiram ganhar na Bélgica mesmo perdendo muito tempo no segundo setor", explicou.


Lewis saiu da Bélgica dizendo que os rivais serão rápidos nas retas - Foto: Folhapress

Quando Hamilton fala em "encontrar alguma coisa", ele se refere ao maior conhecimento do novo motor, que estreou justamente em Spa. Porém, para piorar a situação, a unidade de potência atualizada, além de não ter se aproximado em termos de velocidade da Ferrari, sofreu quebras nos dois clientes da Mercedes -Racing Point, com Sergio Perez, e Williams, com Robert Kubica. Isso fez os alemães inclusive cogitarem utilizar a versão 2 do motor em Monza, mas a perda em relação à Ferrari seria ainda maior.

Os jornais italianos noticiaram nesta semana que a vantagem da Ferrari é de 15km/h, referindo-se ao que a Scuderia ganha na classificação, por usar uma configuração mais agressiva que aumenta ainda mais a vantagem, haja visto que Leclerc fez a pole position em Spa com 0s7 de vantagem.

Na corrida, a vantagem é menor e a tendência do carro italiano é escorregar mais nas curvas, desgastando mais pneus. Foi por isso que a Ferrari teve de usar Sebastian Vettel como escudeiro e mesmo assim Leclerc foi pressionado por Hamilton nas voltas finais na Bélgica. Mas, em Monza, com menos curvas, também espera-se que o desgaste de pneus ferrarista não seja tão excessivo.

Não que a vantagem ferrarista em casa preocupe Hamilton em termos de campeonato. Ele tem 65 pontos de vantagem na liderança, e os pilotos da Ferrari são apenas o quarto e quintos na tabela. O único fator que pode ajudar o inglês é a chuva, que está prevista para o domingo em Monza.

Por: Julianne Cesaroli, da Folhapress

Deixe seu comentário