Dilma vai a inauguração de templo gigante da Universal em São Paulo

Petista será a única dentre os principais candidatos à Presidência a comparecer à inauguração de megaestrutura da Universal em SP.

25/07/2014 15:00h

Compartilhar no

A petista Dilma Rousseff será a única dos principais candidatos a presidente a comparecer à inauguração do Templo de Salomão, da Igreja Universal do Reino de Deus, na próxima quinta-feira, em São Paulo. A presença na cerimônia é um segundo passo da presidente na tentativa de se aproximar do eleitor evangélico. Nesta semana, a cúpula da sua campanha já havia anunciado a criação de um comitê para dialogar com pastores.

Quarta maior denominação evangélica do país, a Universal tem 1,9 milhão de seguidores, segundo o Censo do IBGE de 2010. O PRB, partido da coligação da petista, tem vínculos com a igreja. Erguido em quatro anos, com custo divulgado de R$ 680 milhões, o templo, de 100 mil metros quadrados (o novo Maracanã tem 124 mil metros quadrados) e capacidade para receber 10 mil pessoas, simboliza o poderio econômico da instituição fundada no final da década de 70.

Pedras trazidas de Israel

De acordo com a direção da Universal, a obra foi bancada exclusivamente com doações de fieis e integrantes da própria igreja, sem necessidade de recorrer a financiamentos bancários. O bispo Edir Macedo, fundador da Universal, quis erguer uma réplica do templo que, segundo a Bíblia, foi construído em Jerusalém, no século XI AC. O Muro das Lamentações, em Israel, é um resquício do segundo templo, erguido no século VI AC.

O objetivo do líder da igreja, com a obra, é trazer um €œpedaço da Terra Santa para o Brasil€. Por isso, foram importadas pedras de Israel para revestir o templo. Do lado de fora, há oliveiras trazidas do Uruguai.

€” Já que ele (Edir Macedo) não poderia levar todas as pessoas para Israel, ele gostaria de trazer um pedaço de Israel para cá. As pedras são o mais próximo que a gente tem do templo original, já que vieram de Hebron (Israel), de onde saíram as pedras do primeiro templo €” afirmou Rogério Araújo, arquiteto responsável pela obra.

Templo de Salomão, de 100 mil metros quadrados, custou R$ 680 milhões, e poderá receber 10 mil pessoas

O desenho da obra não teve espaço para inovações, de acordo com a Universal.

€” O projeto foi feito com base nas passagens bíblicas e nas ruínas existentes em Jerusalém €” acrescentou o arquiteto.

O terreno, localizado no bairro do Brás, na região central de São Paulo, tem 35 mil metros quadrados. Para erguer o templo foram derrubadas dezenas de construções antigas. O local terá estacionamento para 2 mil veículos. Apesar da grandiosidade, a Universal não pagará IPTU, porque igrejas possuem isenção tributária.

€” O templo é um símbolo que está na Bíblia e foi construído seguindo a vontade de Deus €” afirmou o pastor Miguel Lacerda, quando questionado sobre a necessidade de um espaço suntuoso.

A Universal pretende guardar mistério sobre os detalhes do templo. No dia inauguração, jornalistas serão obrigados a acompanhar a cerimônia por um telão do lado de fora. Os convidados, inclusive as autoridades, estão sendo orientados a não fazerem fotos internas. Há também regras para o vestuário. Não são permitidos bonés, camisetas sem manga, bermuda, decote, minissaia e chinelo.

€” Será um local exclusivo de contato com Deus €” completou o pastor.

Caráter ecumênico

Também não foram revelados detalhes sobre o esquema de arrecadação de dízimo no templo. A assessoria da igreja não confirmou nem negou a existência de uma esteira mecânica para transportar o dinheiro arrecado para um cofre. Disse apenas que o templo é €œum local de adoração e sacrifício a Deus€.

A cúpula da igreja garante que, apesar do dourado presente no teto e no altar, não há ouro. Inicialmente, as visitas se darão apenas por caravanas organizadas pelos templos da Universal espalhados pelo país. Não foi definida ainda a programação de cultos.

A Universal propaga a ideia de que o templo seja um local com caráter ecumênico, aberto a seguidores de outras religiões, como catolicismo e judaísmo. Na área externa, haverá um museu com a história dos templos originais e das 12 tribos de Israel.

Além de Dilma, foram convidados os 27 governadores e os prefeitos de todas as capitais.

É permitida a reprodução deste conteúdo (matéria) desde que um link seja apontado para a fonte!

Compartilhar no
Fonte: O Globo
Por: Sérgio Roxo

Deixe seu comentário