Confederação Asiática cobra 13 dos 16 clubes da China para saldar dívidas

A Federação Chinesa de Futebol impôs um imposto de 100% sobre o valor total das contratações de estrangeiros, redução do número de estrangeiros por partida

26/07/2017 09:51h

Compartilhar no

A mina de ouro do futebol chinês parece estar se esgotando. O jornal “Marca” desta quarta-feira informa que a Confederação Asiática de Futebol (AFC) cobra 16 dos 13 clubes que jogam na Superliga do país para saldar suas dívidas ou serão excluídos da Liga dos Campeões da Ásia. Segundo reportagem, a Federação Chinesa de Futebol impôs um imposto de 100% sobre o valor total das contratações de estrangeiros, redução do número de estrangeiros por partida – agora são apenas três – e está empenhada em melhorar o futebol de base do país.

Por isso, a Confederação Asiática cobra que estas equipes se adequem às exigências da federação de seu país. As exigências refletiram na janela de transferências do meio do ano, quando foram investidos apenas 28 milhões de euros em contratações. Os únicos clubes que são estão salvos são Yanbian Fude, Hanan Jianye e o Guizhou Hengfeng, de Gregorio Manzano. As sanções também se aplicam aos clubes da Segunda Divisão, entre as quais se encontram o Beijing Renhe e o Shanghai Shenxin.

Conforme o “Marca”, a AFC deu o prazo até o dia 15 de agosto para que os 13 clubes entrem nos padrões exigidos. Do contrário, não poderiam participar das competições continentais em 2018 e poderiam ser sancionado na Liga Nacional. Estas punições iriam desde perda de pontos até a proibição de jogar na Liga.

Atualmente, 23 brasileiros jogam na China: Renato Augusto e Ralf, no Beijing Guoan; Bruno Meneghel e Marinho, no Changchun Yatai; Fernandinho, Hyuri e Alan Kardec, no Chongquing Lifan; Alan, Ricardo Goulart e Paulinho, no Guangzhou Evergrande; Renatinho e Júnior Urso, do Guangzhou R&F; Mazola, do Guizhou Zhicheng; Aloísio, do Hebei China Fortune; Ramires e Alex Teixeira, do Jiangsu Suning; Gil e Diego Tardelli, do Shandong Luneng; Elkeson, Hulk e Oscar, do Shanghai SIPG; Alexandre Pato e Júnior Moraes, no Tianjin Quanjian.

Compartilhar no
Fonte: Extra

É permitida a reprodução deste conteúdo (matéria) desde que um link seja apontado para a fonte!


Deixe seu comentário