Chefe da RBR não acredita em paz entre Hamilton e Vettel: "Se odeiam"

Chefão da RBR disse que coletiva de imprensa em Spielberg foi um "show", e crê que rivalidade entre os dois pilotos é boa para a categoria: "Precisamos de heróis e vilões"

11/07/2017 09:51h

Compartilhar no

Lewis Hamilton e Sebastian Vettel se reencontraram na sala de imprensa do circuito de Spielberg pela primeira vez após o incidente em Baku. A imprensa, é claro, perguntou para ambos sobre o que pensavam quanto ao ocorrido no Azerbaijão, e o que se viu foi um tom amistoso. Vettel assumiu que errou, enquanto Hamilton disse ter perdoado o rival pela batida. Entretanto, Christian Horner, chefe da RBR, falou em entrevista ao jornal inglês "Daily Mail" que não acredita no que foi dito pelos dois pilotos na coletiva.

- Você não pode acreditar nessa coletiva de imprensa. Foi só um show de assessoria de imprensa. Tenho certeza que ambos estavam sob instruções rigorosas. Neste momento eles se odeiam, porque estão um no caminho do outro para atingir seus objetivos. Mas seria justo que fossem francos sobre isso ao invés de se esconderem atrás dos assessores. Seria mais divertido para os fãs. Precisa haver rivalidade.

Durante safety car em Baku, Vettel acreditou que Hamilton tinha feito um "brake test" com ele - situação em que o piloto que está na frente freia propositalmente para atrapalhar o rival que está atrás - e ficou furioso com o inglês, colocando a Ferrai ao lado da Mercedes, atingindo o carro #44 do rival. O alemão acabou punido com um drive through de 10s, e posteriormente teve que prestar esclarecimentos pessoais para Jean Todt, presidente da FIA. Com isso, a rivalidade entre ambos ascendeu, e Horner acredita que isso é bom para o esporte.

- Tem todos os ingredientes. Houve muito pouco para escolher entre eles nesta temporada e são personagens muito diferentes. Vettel tipifica essa precisão germânica. Ele trabalha duro e é ferozmente privado. Do outro lado é o personagem flamboyant, naturalmente dotado, quase um personagem estilo pop star que é Lewis. Espero que fique mais saboroso na segunda metade da temporada. Algumas das maiores corridas que vi enquanto crescia foram da rivalidade entre Ayrton Senna e Alain Prost. O esporte precisa de heróis e vilões para que os fãs possam escolher.


Compartilhar no
Por: Globo Esporte

É permitida a reprodução deste conteúdo (matéria) desde que um link seja apontado para a fonte!


Deixe seu comentário