Brasil vence Arábia Saudita por 3 a 1 e Ana e Pepê vão às semifinais na canoagem

Veja resumo dos Jogos Olímpicos de Tóquio na madruga desta quarta-feira (28)

28/07/2021 10:16h

Compartilhar no

O Brasil encontrou mais dificuldades do que o esperado, mas confirmou o favoritismo diante da Arábia Saudita, venceu por 3 a 1 e confirmou sua vaga no mata-mata dos Jogos Olímpicos de Tóquio. Em Saitama, a seleção brasileira deslanchou no segundo tempo e chegou ao triunfo com gols de Matheus Cunha e outros dois de Richarlison, o nome do jogo e o novo artilheiro da competição.

Com isso, o Brasil avançou às quartas na liderança do grupo D, com sete pontos, fruto de duas vitórias e um empate. Os árabes, que balançaram as redes com Al Amri, e mostraram coragem e organização, se despediram da Olimpíada sem pontuar e na lanterna da chave. O outro classificado do grupo foi a Costa do Marfim, que segurou um empate com a Alemanha e eliminou o time europeu, atual vice-campeão olímpico.

Foto: Martin Mejia 

Garantida nas quartas, a seleção atual campeã olímpica ainda não tem adversário definido. Certo é que será o segundo colocado do Grupo C, que pode ser Espanha, Austrália, Argentina ou Egito. O rival será conhecido ainda na manha desta quarta e o duelo decisivo está marcado para o próximo sábado, às 7 horas (de Brasília), em Saitama.
O Brasil fez bons 20 primeiros minutos, apertou a saída de bola do adversário e chegou ao seu gol por meio da bola aérea aos 13 minutos. Claudinho bateu escanteio da esquerda e Matheus Cunha apareceu na primeira trave para desviar de cabeça e abrir o placar. Foi seu primeiro gol em Tóquio após oito finalizações. Destaque na jogada para a bola roubada de Antony antes de o time ter dois escanteios e, em um deles, originar-se o gol.
Embora não tenham feito uma grande apresentação, os brasileiros chegarão invictos e com moral para o mata-mata olímpico. Nesta quarta, engrenaram na etapa final à medida que encontraram os espaços na defesa dos árabes.

Ana Sátila e Pepê Gonçalves avançam às semifinais na canoagem slalom em Tóquio

Os brasileiros Ana Sátila e Pepê Gonçalves fizeram bonito na madrugada desta quarta-feira, pelo horário de Brasília, e avançaram às semifinais na canoagem slalom na Olimpíada de Tóquio. Competindo na cidade de Kasai, Ana se classificou no C1 (canoa), categoria feminina que entrou no programa olímpico nesta edição dos Jogos. Pepê vai disputar a semi no K1 (caiaque), após ficar em 10º no geral.
A atleta de 25 anos obteve a quarta colocação geral, mostrando grande evolução entre suas duas descidas. Na primeira, a brasileira terminou o trajeto em 116s56. Mas, como sofreu quatro penalidades, teve quatro segundos acrescentados ao seu tempo final, totalizando 120s56. Ficou, assim, em 11º lugar entre 22 competidoras.
A segunda descida foi melhor. Mais rápida e ágil em comparação à tentativa anterior, ela superou os obstáculos em 107s90, com duas punições. Assim, ficou com 109s90. Foi a terceira melhor performance até então. Na sequência, foi superada por apenas uma adversária, fechando a fase na quarta colocação geral.
A melhor performance do dia foi registrada pela britânica Mallory Franklin, com 105s06, após duas punições. A semifinal e a final, que poderá render mais uma medalha para o Brasil, estão marcadas para a madrugada desta quinta-feira, pelo horário de Brasília.
Na terça-feira, Ana Sátila havia encerrado sua participação no K1 (caiaque) no 13º lugar, na semifinal, sem conseguir avançar à disputa por medalha. Apesar da eliminação no Kasai Canoe Slalom Centre, ela registrou o melhor resultado de uma brasileira na modalidade em uma Olimpíada. Foi a primeira vez que ela alcançou a semifinal.
A mineira, da cidade de Iturama, tem melhores resultados na C1, como a medalha de bronze conquistada no Mundial de 2017, na França. A brasileira foi medalha de ouro nos Jogos Pan-americanos de Lima-2019 tanto no C1 quanto no K1 extremo. Levou o primeiro lugar também no Pan de Toronto-2015. No K1 extremo, foi ainda campeã mundial em 2018.
PEPÊ AVANÇA - Na estreia em sua segunda Olimpíada, Pedro Gonçalves não decepcionou. Fez duas boas descidas também no K1 (caiaque) e também assegurou lugar na semifinal. Pepê, como é mais conhecido, ficou em 15º na primeira, com 98s13, após quatro penalidades. Na segunda, melhorou o aproveitamento.
Anotou 92s91, com duas punições, o 10º melhor desempenho da fase classificatória, entre 24 competidores. O mais veloz foi o alemão Hannes Aigner, com 90s14.
Aos 28 anos, o paulista da cidade de Ipaussu garantiu nova semifinal em sua trajetória olímpica. A primeira aconteceu no Rio-2016, quando alcançou a final e ficou em sexto lugar, melhor posição de um brasileiro na canoagem slalom em uma Olimpíada.
Pepê tem no currículo o terceiro lugar no Mundial de 2019, no K1 extremo, a medalha de ouro nos Jogos Pan-americanos de Lima-2019 tanto no K1 quanto no K1 extremo. E ainda foi prata no Pan de Toronto-2015, no K1.
A semifinal e a final do K1 estão marcadas para a madrugada de sexta-feira, pelo horário brasileiro.

Compartilhar no

É permitida a reprodução deste conteúdo (matéria) desde que um link seja apontado para a fonte!


Deixe seu comentário