Atletismo: Piauiense que viu sua vida mudar com a medalha olímpica

Atualmente Cláudio Roberto é professor de Educação Física e ministra palestras por onde passa, falando sobre sua trajetória

13/08/2013 08:33h

Compartilhar no

Em 2000, o Piauí conquistou sua primeira medalha olímpica, em Sidney, quando o piauiense Cláudio Roberto foi prata no revezamento 4x100 do Atletismo. Ao lado de Claudinei Quirino, Edson Luciano, Vicente Lenilson e André Domingos, o nosso representante tornou-se parte da história olímpica do país. Em Teresina, para acompanhar a Maratoninha da Caixa Econômica Federal, que acontece no próximo domingo, Cláudio revelou em entrevista ao Jornal O Dia que sua vida mudou, e muito, após a prata de Sidney.

De lá pra cá, 13 anos se passaram e Cláudio conta que continua vivendo do atletismo, mas agora dando aulas, palestras, é técnico e coordenando um projeto social em Jaú, cidade onde vive no interior de São Paulo. “Me formei em Educação Física antes mesmo da medalha olímpica, depois me especializei na modalidade e assim pude investir nisso. Minha vida mudou em todos os sentidos, financeiramente um pouco, pois no atletismo não se ganha muito dinheiro, mas o suficiente pra ter minha casa, meu carro e ajudar minha família”, diz.

O reconhecimento foi importante, apesar do piauiense acha que o atletismo continua sendo uma modalidade pouco massificada no país. Depois de Atenas, Cláudio ainda foi prata no Mundial de Paris e disputou mais uma olímpiada, desta vez em Athenas. Experiências estas que lhe deixam totalmente realizado profissionalmente.

“Eu cheguei na competição mais importante de todas (olimpíadas). E ainda fui em duas! Isso é o máximo pra um esportista. Me sinto realizado demais. Ainda encontrei tempo pra estudar e considero que ainda estou me realizando todos os dias, pois continuo trabalhando com o atletismo”, comemora.

Avaliando os atletas piauienses que hoje disputam medalhas na modalidade, Cláudio diz que se chateia em continuar vendo que é preciso sair do Piauí para se realizar os sonhos. “Ficar aqui continua sendo complicado. Toda hora está sendo mostrada a qualidades dos nossos atletas, o nosso material humano é muito bom, mas falta a estrutura. Falta aquela verba pra mandar os atletas pra competir fora do Estado. E eu fico chateado porque algumas pessoas ainda destacam que o atleta não conseguiu aquele resultado representando o Piauí”.

Além da disciplina, nos treinos Cláudio enfatiza que um atleta não se faz sem incentivo. “Eu continuo torcendo para que um dia esta realidade mude e os atletas piauienses não precisem sair do Piauí para treinar e para conquistas medalhas”, comentou. 

Apoio do patrocinador e da Confederação Brasileira de Atletismo fazem a diferença na vida do piauiense

Este ano Cláudio Roberto assinou com a Caixa Econômica Federal um contrato que patrocina o seu projeto social em Jaú, o “Cidadão Olímpico – Correndo na frente”, projeto que dá iniciação no atletismo para crianças. Além disso, o atleta piauiense é parte do “Heróis Olímpicos do Atletismo”, projeto coordenado pela Confederação Brasileira de Atletismo.

Cerca de 100 crianças são beneficiadas com o projeto desenvolvido por Cláudio Roberto e o tem como espelho. “São cerca de 100 crianças atendidas pelo projeto na cidade de Jaú. Aprendi que o esporte é inclusão social e fico muito satisfeito em poder desenvolver este projeto”, disse Cláudio. “Tento para passa os meus alunos tudo que aprendi e fazer eles perceberem que precisam de disciplina para poder vencer”, acrescentou.

Cláudio Roberto ao lados de várias crianças fechando mais uma parceria do projeto Cidadão Olímpico

No projeto “Heróis Olímpicos do Atletismo”, ao lado dos atletas olímpicos brasileiros, Cláudio cumpre uma agenda com palestras e apadrinhamento das corridas realizadas pela patrocinadora. Na Maratoninha da Caixa, que vai acontecer aqui em Teresina, no domingo, o piauiense será o padrinho da garotada. “Foi muito importante continuar recebendo este apoio”, confirmou.

O sonho olímpico é para Cláudio algo que os atletas precisam continuar acreditando. Não só o exemplo dele, mas o ouro olímpico conquistado por Sarah Menezes precisa servir sempre de incentivo. “Ela teve essa sorte de, além de Deus ter dado esse talento, ter recebido o apoio merecido. E isso só prova o quanto o Piauí é rico em talentos. O nosso Estado só precisa de um pouco mais de investimento pra podermos ser uma grande potencia aqui no Brasil. Os resultados estão aí. Mesmo com todas as dificuldades, a disciplina e o talento estão se sobressaindo”, finalizou o atleta olímpico.

Fotos: Divulgação

Compartilhar no
Por: Erica Maciel Paz

É permitida a reprodução deste conteúdo (matéria) desde que um link seja apontado para a fonte!


Deixe seu comentário