Sophie Charlotte abre o jogo sobre nudez no cinema: “Tive medo”

Atriz faz balanço do ano em que voltou a curtir a solteirice e fala dos desafios profissionais

25/10/2013 11:32h

Compartilhar no

O ano de 2013 foi o da transformação de Sophie Charlotte. Em outubro a atriz de 24 anos estreou no cinema em Serra Pelada, de Heitor Dhalia. Depois de uma temporada em Malhação e três novelas, em abril assumiu o desafio de sua primeira protagonista, em Sangue Bom. Na vida pessoal, Sophie também passa por mudanças. Ela saiu de um relacionamento de três anos com Malvino Salvador. A atriz não fala publicamente sobre o fim do namoro, mas transparece o entusiasmo com a nova fase na carreira e na vida. “Estou em ebulição”, diz a QUEM. Após o fim da novela das 7, no dia 1º de novembro, ela faz planos para entrar de férias e diz que quer viajar no esquema “mochilão”.

Nudez em cena

A estreia de Sophie não foi das mais fáceis. No filme que retrata a vida no garimpo de Serra Pelada, no Pará, no início de 1980, a atriz vive Tereza, uma jovem de 26 anos forçada a se prostituir desde os 13. Ela trai o homem que a tira da vida das ruas, personagem de Matheus Nachtergaele, com Juliano, protagonista vivido por Juliano Cazarré. Na primeira cena de Sophie, os personagens Tereza e Juliano fazem sexo no pequeno banheiro de um bar. Para a sequência, a atriz teve que mostrar partes de seu corpo que ainda não tinham sido expostas na TV.

“É a minha entrada no cinema. No filme e no cinema, é minha primeira cena. Na preparação achava que era uma cena importante, que podia ser muito legal ou não. É um personagem que não tem meio termo: ela vai ou não vai. Não tive medo. Mas tive sim, ainda que a coragem tenha sido maior. O medo era dessa personagem, dessa força. A equipe toda me deu segurança. Então não tive pudor”, diz.

Sophie conta também ter descoberto uma nova realidade que lhe serviu para refletir sobre sua vida. “Tive a oportunidade de descobrir que, com esse ofício, posso criar uma perspectiva nova. Porque a minha vida sempre foi linda, tranquila, com uma infância saudável, família boa e superestruturada”, afirma.

Com a estreia do filme e a aproximação do fim de Sangue Bom, onde ela vive a controversa Amora, Sophie diz querer aproveitar esse “novo começo”, como ela mesma define, que coincide também com o fim do seu namoro. “É um momento de entusiasmo, de uma nova possibilidade, um novo começo, é bom. Sou nova, às vezes me esqueço disso. Ainda me enxergo com muita estrada a ser conquistada. É só o começo mesmo. Não sei se dá para dizer se estou aproveitando mais a vida, mas é diferente. Estou feliz, em plena ebulição, tudo muito novo, estou animada”, define.

Solteira

A atriz evita falar sobre o fim do relacionamento, mas diz que entende a curiosidade do público sobre sua vida. Ela afirma que se acostumou ao assédio, mas guarda a porção que somente a família e os amigos conhecem. “É um trabalho, um ofício que gera curiosidade em cima do que a gente não mostra na tela. Ainda tenho que aprender a lidar, é um aprendizado. Procuro separar bem as coisas, manter um lugar só meu, da minha intimidade, do que vivo”, afirma.

E para curtir mais as amigas, Sophie diz que se prepara para viajar nas férias, no melhor esquema “mochilão nas costas”. “Não sei as datas, mas quero viajar com certeza. E estou louca pelos próximos projetos, para trabalhar”, afirma ela, cheia de gás.

Compartilhar no
Fonte: Quem

É permitida a reprodução deste conteúdo (matéria) desde que um link seja apontado para a fonte!


Deixe seu comentário