• Piauí Férias de Norte a Sul
  • SOS Unimed
  • Ecotur 2019
  • Novo app Jornal O Dia

Oitavo livro da série Harry Potter chega ao Brasil antes de filme

‘Harry Potter e a criança amaldiçoada’: a história nunca termina.

29/10/2016 09:37h - Atualizado em 29/10/2016 09:43h

O trem que partiu da Plataforma Nove e Meia, há quase dez anos, rumo à Escola de Magia e Bruxaria de Hogwarts não foi o último. A partir da meia-noite de segunda-feira, os brasileiros poderão comprar “Harry Potter e a criança amaldiçoada” (Rocco), o oitavo livro da série de J.K. Rowling, que sai com tiragem inicial de 500 mil exemplares. Ao contrário das sete obras anteriores, “A criança amaldiçoada” não é um romance, mas uma peça, em cartaz em Londres desde 30 de julho e com sessões esgotadas até 2017. O livro chega às prateleiras brasileiras a menos de um mês da estreia de “Animais fantásticos e onde habitam”, o primeiro de cinco filmes , como revelado por Rowling este mês, que se passam no universo de Potter, mas não têm o bruxo como protagonista.

A história de “A criança amaldiçoada” começa no mesmo ponto em que terminou “Harry Potter e as relíquias da morte” (Rocco). Harry e sua mulher, Gina Weasley, levam os três filhos, Tiago, Alvo e Lílian, para o início das aulas em Hogwarts. É o primeiro ano de Alvo, que está bastante preocupado para qual das quatro casas — Grifinória, Sonserina, Lufa-Lufa e Corvinal — será mandado pelo Chapéu Seletor. Grifinória é a casa de Harry e de seus dois melhores amigos, agora casados, Ronald Weasley e Hermione Granger. É também a casa de Tiago, seu irmão mais velho, que o perturba com a possibilidade de Alvo ir para Sonserina, a casa do vilão Voldemort. Os fãs vão lembrar que, no primeiro livro da série, o Chapéu Seletor quase mandou Harry para a Sonserina.

OPOSIÇÃO ENTRE GERAÇÕES

Uma vez na escola, e aqui começam alguns spoilers, Alvo acaba indo para a Sonserina e se torna o melhor amigo de Escórpio Malfoy, filho de Draco Malfoy. Harry e Draco foram antagonistas ao longo dos sete livros e se enfrentaram na batalha que dividiu o mundo bruxo, já que a família Malfoy foi uma das principais aliadas de Voldemort. Essa oposição entre gerações é um dos pilares de “A criança amaldiçoada”, junto com as aventuras (e desventuras) da dupla Alvo e Escórpio. A relação de Harry e Draco com seus respectivos filhos é cheia de incompreensão e expectativas frustradas. A busca de Alvo pelo reconhecimento paterno, levando a reboque Escórpio, é um dos motores da trama.

"Eu não esperava que houvesse um oitavo livro. Ela tinha dito que a série teria sete livros, e para mim havia se encerrado. Mas isso não quer dizer que eu não tenha ficado muito contente", diz Paulo Rocco, dono da editora que detém os direitos de todos os títulos da franquia.

O oitavo livro é também o único que não foi escrito apenas por J.K. Rowling. A peça foi construída a seis mãos, com o dramaturgo Jack Thorne e o diretor John Tiffany. A escalação do elenco não seguiu a adaptação cinematográfica. A atriz negra Noma Dumezweni foi escolhida para viver Hermione nos palcos, a personagem de Emma Watson nas telas. A decisão provocou ataques racistas, prontamente rebatidos por Rowling. A autora lembrou que a cor da pele da heroína nunca foi dita nos livros. “Com minha experiência em mídias sociais, eu imaginei que idiotas seriam idiotas. Mas o que você pode dizer? Esse é o jeito que o mundo é. Noma foi escolhida porque ela foi a melhor atriz para o trabalho’’, disse em entrevista ao “Observer” em junho.

Na estreia da peça, Rowling garantiu que a história de Harry Potter acaba em “A criança amaldiçoada”. Contudo, os fãs terão pouco tempo para lamentar. No dia 17 de novembro, estreia no Brasil “Animais fantásticos e onde habitam”, baseado no livro homônimo publicado em 2001. A obra e seu autor, Newt Scamander, são criações de Rowling. Scamander é um consagrado magizoologista e “Animais fantásticos e onde habitam” é um dos livros indicados na lista de materiais dos alunos do primeiro ano em Hogwarts. A obra faz um inventário das espécies do mundo mágico, e pouco é revelado sobre o seu autor.

Parte da trama dos cinco filmes já vem sendo desenvolvida por Rowling no site “Pottermore”. Lançado em 2012, o “Pottermore” é uma espécie de portal oficial do mundo bruxo. Ao longo dos anos, a autora continuou escrevendo textos relacionados ao universo da série. No mais recente, ela faz uma genealogia da família Potter, até então desconhecida. Em preparação para o lançamento de “Animais fantásticos”, Rowling descreveu em detalhes, no site, a formação da sociedade bruxa americana. No filme, Newt Scamander, vivido pelo ator Eddie Redmayne, chega a Nova York na década de 1920 com sua maleta mágica cheia de bichos fantásticos e precisará usar suas habilidades para capturar aqueles que escapam.

Thaiane Oliveira, professora da Pós-Graduação em Comunicação da Universidade Federal Fluminense (UFF), destaca que se observa no caso de Harry Potter o desenvolvimento de novas narrativas que dialogam com os livros, mas que não são necessariamente uma continuação da narrativa original.

— O “Pottermore” foi uma grande estratégia que a autora utilizou para manter o universo da narrativa vivo. Na plataforma, ela desenvolve outras histórias e aprofunda detalhes que não constam nos livros— explica Thaiane. — A criação de novas narrativas a partir de uma já existente é um dos principais conceitos das obras transmídia. Harry Potter caminha para um produto transmídia apesar de não ter surgido como tal.

LANÇAMENTO À MEIA-NOITE

À meia-noite de segunda-feira, livrarias vão abrir as caixas do novo “Harry Potter” e colocá-lo à venda. Na Saraiva do Rio Sul, os trabalhos começam às 20h de amanhã, com distribuição de brindes e atividades da equipe do fã-site “Potterish”.

Na Travessa do Shopping Leblon, um encontro de fãs vai começar às 22h de amanhã e seguir noite adentro. Já na Livraria Cultura do Cine Vitória, haverá atividades no dia 31 a partir das 9h.

Fonte: O Globo

Deixe seu comentário