'O Som ao Redor' é indicado pelo Brasil para tentar concorrer ao Oscar

Com a indicação do país, o filme será apresentado

21/09/2013 09:20h

Compartilhar no

 O Ministério da Cultura anunciou nesta sexta-feira (20) a escolha do longa-metragem "O Som ao Redor", de Kleber Mendonça Filho, para concorrer a uma indicação ao Oscar de melhor filme estrangeiro.

O longa --premiado na Mostra Internacional de Cinema de São Paulo de 2012, no Festival de Nova York em 2013 e no Festival de Roterdã de 2012, entre outros-- venceu os concorrentes "Colegas", "Faroeste Caboclo", "Gonzaga - De Pai Para Filho", "Uma História de Amor e Fúria" e "Meu Pé de Laranja Lima".

"O Som ao Redor" também foi apontado pelo crítico do jornal "The New York Times" A. O. Scott com um dos dez melhores filmes do mundo em 2012.

Com a indicação do país, o filme será apresentado à Academia de Artes e Ciências Cinematográficas dos EUA, que irá analisar sugestões de países de todo o mundo e irá escolher cinco finalistas no dia 16 de janeiro.

BELEZA

"Essa indicação sempre traz mais visibilidade ao filme. É muito cedo para dizer se vai ganhar ou se chegará a ser escolhido [como um dos finalistas da categoria de melhor filme de língua estrangeira]. Eu nunca fico esperando um prêmio, mas muita coisa boa aconteceu com esse filme. Eu não descartaria essa possibilidade [de vencer o Oscar]", disse à Folha o diretor pernambucano Kleber Mendonça Filho.

"Acho que 'O Som ao Redor' é um filme muito pessoal, relativamente pequeno, que teve uma repercussão muito grande aqui e também fora do Brasil, então eu fico tranquilo. Se acontecer, beleza."

"Eu achava que fosse um filme quase paroquial, local, mas foi a partir de Roterdã [o filme ganhou o prêmio da crítica internacional no festival, em 2012] que entendi que o filme parecia ter um caráter universal."

HISTÓRICO

A última vez que uma produção nacional foi indicada na categoria de melhor filme estrangeiro foi em 1999, com o longa "Central do Brasil". Também foram indicados "O Que é Isso Companheiro", em 1998, "O Quatrilho", em 1994, e "O Pagador de Promessas", em 1963.

Outras obras relacionadas com o país também receberam nomeações, mas em outras categorias. As mais notáveis foram "Cidade de Deus", cujo diretor, Fernando Meirelles, concorreu ao prêmio de melhor direção em 2004; "Diários de Motocicleta", de Walter Salles Jr., que disputou o prêmio de melhor roteiro adaptado em 2005; e "O Beijo da Mulher Aranha", do argentino radicado no Brasil Hector Babenco, que concorreu ao prêmio de melhor filme em 1986 --mas era uma produção estrangeira.

Outra produção lembrada pela Academia foi "Lixo Extraordinário", que concorreu ao prêmio de melhor documentário em 2010.

Compartilhar no
Fonte: Folha

É permitida a reprodução deste conteúdo (matéria) desde que um link seja apontado para a fonte!


Deixe seu comentário