Michael Jackson: morte do rei do pop completa 11 anos

O cantor morreu aos 50 anos após sofrer uma parada cardíaca

25/06/2020 09:06h

Compartilhar no

Um dos maiores nomes da música mundial nos deixou há 11 anos. O rei do pop, Michael Jackson, morreu no dia 25 de junho de 2009, aos 50 anos, em meio a polêmicas e escândalos, mas também deixou sua grande contribuição, tanto na cultura, como na música, moda, dança e em ações humanitárias.

Michael Jackson morreu após sofrer uma parada cardíaca em sua mansão, em Los Angeles, nos Estados Unidos. Os serviços de emergência médica chegaram a socorrer o cantor, tanto reanimá-lo, contudo, Michael estava em coma profundo e, mesmo sendo levado às pressas para o hospital não resistiu. 

A morte do cantor teve uma grande repercussão internacional. Fãs, artistas e o mundo inteiro parou para acompanhar o que viria a ser uma dos maiores acontecimentos. Michael Jackson foi velado no dia 07 de junho de 2009. O corpo foi velado em uma cerimônia privada para amigos e familiares. Depois, o corpo foi levado para um ato público onde 17.500 pessoas acompanharam o tributo. Estima-se que mais de dois bilhões de pessoas assistiram ao funeral do rei do pop pela televisão, já que as transmissões estavam sendo feitas ao vivo.

Michael Jackson, em 1997, durante show na cidade de Viena (Foto: Leonhard Foeger / Reuters)

Infância e carreira

Michael é o sétimo filho de Joseph e Katherine Jackson. A criação rígida do pai impedia que os jovens tivessem contato com outras pessoas, mas eles sempre conseguiam escapar para a casa dos vizinhos, onde ouviam música e tocavam instrumentos. Ao descobrir os talentos dos filhos, Joseph decidiu ganhar dinheiro com isso e criou o grupo Jackson 5. Michael tinha apenas 13 anos e já tinha conseguido emplacar grandes sucessos, conhecidos até hoje, como ‘“I’ll Be There’, “I Want You Back” e “ABC”, quando seguiu em carreira solo.

Em novembro de 1982 o álbum Thriller foi lançado. Atualmente é o álbum mais vendido da história, com mais de 110 milhões de cópias vendidas no mundo. O álbum chegou à primeira posição entre os mais vendidos dos Estados Unidos no dia 21 de fevereiro de 1983 e permaneceu na posição por 37 semanas no primeiro lugar e mais 43 no top 10, um recorde.

Sete compactos foram lançados e dois conquistaram o primeiro lugar, "Billie Jean" e "Beat It". Nos dois anos que se seguiram ao lançamento, o álbum foi a maior sensação da América, influenciando não somente a música, como também a dança, a moda e a televisão.

Michael Jackson durante as gravações de Thriller, em 1982 (Foto: Reprodução/internet)

Thriller foi também um marco na luta contra a discriminação racial na indústria fonográfica. Jackson tornou-se o primeiro artista negro cuja música estava no ar na MTV, com o videoclipe de "Billie Jean", dirigido por Steve Baron. A canção "Beat It", que tinha participação do guitarrista Eddie Van Halen, fez rádios de rock, na época orientadas a um público essencialmente branco, tocarem a canção de um negro; e fez rádios de black music tocarem rock. Um feito inédito até então.

Na noite de 16 de maio de 1983, diversos artistas lotaram um teatro para comemorar os 25 anos de Motown. Nessa noite, Michael Jackson começou a cantar "Billie Jean", sucesso do álbum que havia lançado seis meses antes. De repente, Michael parou de cantar, andou até o canto esquerdo do palco e voltou deslizando de costas. Naquela noite, mais do que imortalizar o passo de dança criado e batizado décadas antes pelo dançarino Bill Bailey como "Moonwalk" (algo como "passo da lua"), Michael Jackson consagrou-se como o Rei do Pop.

Mudança na aparência

Sem dúvida, o que mais chamava atenção na carreira de Michael Jackson, além de suas músicas e performances, era sua aparência. Ao longo de sua vida, o cantor fez inúmeras cirurgias plásticas no rosto e também a mudança da cor de sua pele, que estava branca. Em 1993, Michael declarou sofrer de vitiligo, uma doença autoimune não contagiosa em que ocorre a perda da pigmentação da pele.

O cantor ainda contraiu outra doença de pele, ele foi diagnosticado com lúpus no início dos anos 1990. Essa doença também causa alteração na pele, o sistema imune ataca as próprias células e tecidos do corpo, deixando o indivíduo com fortes dores e mais suscetível a outras doenças. Isso explicaria o uso de máscara cirúrgicas em público, e o vício em remédios contra a dor.

Denúncias de abuso sexual

Em 1993, Jordan Chandler, de 13 anos, acusou Michael Jackson de abuso sexual. Na época, o caso gerou muitas polêmica. Depois de seis meses em negociações, mesmo contra a vontade de Michael e de seus advogados, a companhia de seguros fechou um acordo milionário com o pai do jovem. A justiça arquivou o caso em 1994, sem encontrar nenhuma prova.

Leia também: Família de Michael Jackson lança documentário defendendo o astro 

Em 2003, Michael Jackson foi novamente acusado de abuso sexual, desta vez por Gavin Arvizo. O julgamento durou cinco meses, até o final de maio de 2005. Em junho, o cantor foi absolvido de todas as acusações por falta de provas

Michael teve seu primeiro filho, Prince Michael Jackson I em 1997, seguido por sua filha Paris Michael Katherine Jackson em 1998 e cinco anos depois, o cantor teve seu terceiro filho, Prince Michael Jackson II (Blanket) em 2002.

Legado do rei do pop

Michael Jackson  foi chamado de "rei do pop" porque transformou a arte dos videoclipes e abriu o caminho para a música pop moderna. Durante grande parte da carreira, Michael Jackson teve uma influência mundial incomparável sobre a geração mais jovem. Suas músicas e vídeos, como o videoclipe de Thriller, promoveram a diversidade racial na lista da MTV e direcionaram seu foco do rock para a música pop.

Ele é reconhecido como o artista de maior sucesso de todos os tempos pelo Guinness World Records.Também é considerado um dos ícones culturais mais significativos do século XX e suas contribuições à música, dança e moda, juntamente com a divulgação de sua vida pessoal.

Leia também: Morto há uma década, Michael Jackson ainda lucra com o legado 

Em 1992, Jackson foi declarado rei de Sanui, um reino tradicional localizado no sudeste da Costa do Marfim Em julho de 2009, a Lunar Republic Society nomeou uma cratera na Lua em homenagem a Jackson. Em agosto, no que seria o 51º aniversário de Jackson, o Google dedicou um doodle a ele. Em dezembro, o American Film Institute reconheceu a morte de Jackson como um "momento de importância".

Em 2010, dois bibliotecários da universidade descobriram que havia referências a Jackson na literatura acadêmica sobre música, cultura popular, química e outros tópicos. Em 19 de dezembro de 2014, o British Council considerou a vida de Jackson um dos 80 momentos culturais mais importantes do século XX O Dia Mundial do Vitiligo foi comemorado em 25 de junho, aniversário da morte de Jackson, para aumentar a conscientização sobre o distúrbio auto-imune do qual Jackson sofria.

Compartilhar no
Por: Isabela Lopes

É permitida a reprodução deste conteúdo (matéria) desde que um link seja apontado para a fonte!


Deixe seu comentário