Lulu Santos faz homenagem a Rita Lee: 'nave-mãe dos meus desejos'

Cantor lança disco 'Baby, baby' com 12 releituras de canções da roqueira.

17/11/2017 14:16h

Compartilhar no

Lulu Santos levou seis dias para ler as 296 páginas de Rita Lee: Uma Autobiografia, lançado em novembro do ano passado pela Globo Livros. Além de reviver parte de sua história de vida durante a leitura, o cantor conta que teve ali a inspiração para fazer o álbum Baby, Baby, com 12 releituras de sucessos da cantora.

"O livro contava o avesso da minha história. A Rita indica ali, precisamente, como ela fez algumas músicas. Percebi como cada uma daquelas músicas tinha me atingido, relembrei como estava a minha vida naquela época ou o que eu estava sentindo e pensando naquele momento. Percebi que aquilo construía a minha vida também!", explica ele, que também se identifica com o interesse por extraterrestres que a cantora tem. "A gente é fruto da era do espaço. A gente viveu em uma época em que a humanidade acreditava em si própria. Havia viagem espacial, conquistas eletrônicas...", filosofa. 


Lulu Santos (Foto: Leo Aversa/Divulgação)

No novo álbum, sucessos da roqueira como Baila ComigoDesculpe o Auê Ovelha Negra ganharam roupagens diferentes na voz de Lulu com batidas que remetem à música eletrônica. "Podia ter quebrado a cara (com essas novas roupagens), mas foi muito natural o processo. Se você gosta muito, você dá um jeito. A escolha das músicas foi feita como uma recordação afetiva. E nas roupagens coloquei o meu jeito de fazer as coisas. Faz 25 anos que a música eletrônica entrou no meu jeito de fazer música. Gosto de música sequenciada."

As referências deste estilo do cantor, que atualmente divide sua carreira no palco com a de técnico do The Voice Brasil, são retiradas das paradas de sucesso de Hip-Hop e R&B, que Lulu costuma ouvir nas rádios gringas durante as férias.

"Eu passo, tradicionalmente, há alguns anos, o começo do ano no exterior, tirando férias grandes. Alugo um carro e ouço a rádio Hip-Hop/R&B local para ir conhecendo tudo que está em primeiro lugar. Guardo aquelas músicas. Nas ultimas férias, fiz uma lista com 60 canções que me interessavam, músicas sequenciadas, com frequência, de peso e eletrônica. A partir disso, processo as coisas que me interessam", conta.

É permitida a reprodução deste conteúdo (matéria) desde que um link seja apontado para a fonte!

Compartilhar no
Fonte: Quem

Deixe seu comentário