Live de Dia das Mães de Roberto Carlos tem rosa 3D e bronca sobre quarentena

A apresentação aconteceu do estúdio em sua casa, no Rio de Janeiro, o rei iniciou a live às 15h cantando "Lady Laura".

11/05/2020 09:42h

Compartilhar no

O Dia das Mães deste ano foi diferente, com filhos distantes, ligações em videoconferência e uma live de Roberto Carlos de uma hora e quarenta minutos.

A apresentação aconteceu do estúdio em sua casa, no Rio de Janeiro, o rei iniciou a live às 15h cantando "Lady Laura", música que compôs para sua mãe em 1976 e se tornou um de seus maiores sucessos.

O cantor teve presença da audiência cativa das mães, que passaram a transmissão inteira comentando declarações de amor e emojis de rosas –referência ao clássico gesto de seus shows ao vivo. 

"Essa é a minha forma digital de mandar uma rosa para vocês. Não gosto dessa palavra, 'digital' mas tem que ser", disse, antes de cantar "Como É Grande o Meu Amor Por Você".

Um QR code apareceu na tela, e, escaneado, levou a uma flor em 3D rodando em cima de uma mensagem de "feliz Dia das Mães".


Live de Dia das Mães de Roberto Carlos tem rosa 3D e bronca sobre quarentena. Reprodução

 No último dia 19, o artista havia feito uma apresentação onde celebrou seu aniversário de 79 anos.Ele estava acompanhado apenas do maestro Eduardo Lage, e de Tutuca Borba. Já neste domingo (20), estava na companhia de mais três músicos, que tocaram mascarados e a uma distância de três metros do rei, envoltos por aquários (cabines) de acrílico. Com bateria, baixo e violão, a transmissão ficou com mais cara de show.

Alternando entre comentários sobre suas músicas, o cantor dedicou parte da live para dar pequenos recados e broncas sobre a pandemia. "Esse negócio de cumprimentar com o pé ou o cotovelo não tá com nada, isso não resolve", disparou logo no começo.

"Nós temos que ser radicais nessa questão do distanciamento social. Nesse tempo em que estamos vivendo qualquer gesto de carinho vale, pode ser à distância, pode ser de qualquer jeito, desde que seja de coração", completou.

Depois de um intervalo, o cantor passou pelas emocionantes "Detalhes" –parceria com Erasmo Carlos e sua canção favorita– e "Outra Vez", de Isolda Bourdot, que cantou sentado num banquinho. Emendou a animada "Mulher Pequena", dedicada, naturalmente, às mulheres.

Emocionado, convidou Wanderléa, que apareceu para acompanhá-lo na parceria "Ternura" direto de sua casa. Perto do fim da música, uma gravação de um coro do público acompanhou a dupla.

Roberto também investiu em outros idiomas com "Unforgettable", de Nat King Cole, e "Senza Fine", que dedicou ao amigo Andrea Boccelli com um recado em italiano. Encerrou a live, que em seu pico era assistida por cerca de 152 mil pessoas, com a religiosa "Luz Divina".

Acostumado a associar a imagem do rei a tempos natalinos –quando ele apresenta seu clássico especial de fim de ano–, parte do público retomou as brincadeiras sobre o "segundo Natal" do ano e a tentativa de o Brasil avançar no tempo para um dezembro, quem sabe, sem quarentena.

É permitida a reprodução deste conteúdo (matéria) desde que um link seja apontado para a fonte!

Compartilhar no
Fonte: folhapress

Deixe seu comentário