• Canta
  • SOS Unimed
  • Fagner
  • Trilha das emoções
  • Novo app Jornal O Dia

Ivete defende liberdade sexual em show no Rock in Rio Lisboa

"Beijem-se à vontade, se abracem, sejam felizes, porque a vida passa e a gente fica se importando com o que o outro está pensando", diz Ivete

09/09/2019 09:08h

Com a torre de Belém como cenário, Ivete  Sangalo  encerrou neste domingo (8) a festa de 15 anos do Rock in Rio Lisboa, que começou na última sexta-feira (6) na capital portuguesa. 

Com pouco mais de uma hora de show, entre um intervalo de música e outro, a cantora baiana fez um discurso em defesa da liberdade sexual.

"Beijem-se à vontade, se abracem, sejam felizes, porque a vida passa e a gente fica se importando com o que o outro está pensando, quando, na verdade, o outro que condena, que é intolerante, ele começa intolerante consigo, não compreende o que está dentro dele. Por isso, como ele não é feliz, não quer que o outro seja. Vamos ensinar o intolerante a amar, a saber como amar e ser feliz", disse a cantora. 

Sem citar nomes de políticos e até mesmo do Brasil, Ivete afirmou ainda que é "gostoso quando a gente tem a liberdade de poder demonstrar o nosso afeto a alguém". 


Ivete Sangalo no Rock in Rio Lisboa. Reprodução/Instagram


"É maravilhoso quando a gente tem essa liberdade. Eu fico tão feliz porque meu marido e eu a gente se beija, se abraça, se ama em qualquer canto que queremos, em todo lugar que a gente vai,  temos a liberdade de fazer isso", disse a cantora, que foi aplaudida pelas mais de 30 mil pessoas presentes ao evento, segundo a polícia. 

Ela disse ainda que fala ao filho, Marcelo, de nove anos, que a "coisa mais importante é a liberdade de amar, de podermos amar". 

"Tem uma coisa que nos incomoda, além de tantas outras coisas no mundo de hoje, por isso que eu canto 'além do horizonte deve ter algum lugar bonito para viver em paz'... o que nesse nosso horizonte está cada vez mais difícil, a gente ter a liberdade de poder amar. Quando queremos amar, tem sempre alguém que quer dizer para nós que não é possível amar do jeito que queremos amar." 

"São diferentes formas de amar e todas elas são importantes na construção das nossas vidas, da nossa sociedade sadia. Não vai haver nunca uma sociedade sadia, se o direito de amar for para alguns e não para todos. Isso vale para a educação, para a saúde, mas, em meio a toda essa turbulência do mundo, a nossa única saída é amar e existem pessoas que não querem deixar as pessoas amarem a vontade", completou a cantora. 




Fonte: Folhapress

Deixe seu comentário