Filho de Betty Lago é intimado por suspeita de fraudar testamento

Convocação foi feita por "erros técnicos" encontrados no documento, que podem apontar que a atriz assinou testamento sem ter condições.

17/08/2019 09:43h

Compartilhar no

A briga pela herança de Betty Lago, que morreu vítima de câncer em 2015, teve mais um desdobramento. Segundo o colunista Alessandro Lo-Bianco, do "A Tarde é Sua", o filho Bernardo foi intimado pela Justiça a depor por suspeita de fraudar o testamento da atriz, que determina cerca de 80% dos bens a ele.

A nova audiência foi agendada para 10 de setembro, como mostram documentos obtidos com exclusividade pelo jornalista. A juíza, responsável pela intimação, ainda acionou a presença de representantes do Ministério Público para o depoimento de Bernardo sobre a suspeita de fraude. 

A convocação foi feita  para discutir “erros técnicos” encontrados do testamento, que podem apontar que Betty não estaria em condições no momento que assinou os documentos. Entre as divergências encontradas estão o nome da mãe de Betty, que aparece errado nos papéis, assim como o nome e data de nascimento da filha da atriz. 


Foto: Reprodução

De acordo com o jornalista, Bernardo está sendo acusado pela irmã Patrícia de crime de captação dolosa, ou seja, quando obtém algo de forma irregular. O testamento foi realizado horas antes da morte de Betty no dia 13 de setembro de 2015, mas a assinatura da atriz está com a data de dois dias antes.

O tabelião do cartório responsável pela formulação do testamento também foi intimado pela Justiça. No parecer do profissional consta que a atriz estava “em seu perfeito juízo”. No entanto, três atestados médicos documentados próximos à data do testamento notificaram que Betty estaria gravemente debilitada e em estado de confusão mental.

O colunista ainda teve acesso a documentos exclusivos do processo que confirmam a existência de erros técnicos na carta. Lo-Bianco informou que duas das três testemunhas do testamento tinham laços afetivos com Betty e por isso o juiz invalidou o documento na briga judicial. 

Patrícia ainda apresentou um documento para a juíza que informa sobre o fato do irmão ter retirado fotos, eletrônicos e móveis da casa da atriz após a morte dela sem comunicar a família. Na mesma carta ainda consta a informação de que Bernardo foi preso em novembro de 2001 pela Polícia Federal enquanto embarcava para Nova York portando drogas no aeroporto Internacional do Rio de Janeiro.

É permitida a reprodução deste conteúdo (matéria) desde que um link seja apontado para a fonte!

Compartilhar no
Fonte: TV Fama

Deixe seu comentário