Após sair do Aviões do Forró, Solange Almeida apresenta CD e DVD

Apesar de ter decidido tudo com calma, Sol conta que fácil não foi. Mas diz que recebeu lindas surpresas pelo caminho.

10/07/2017 09:44h

Compartilhar no

Fevereiro marcou a despedida de Solange Almeida do grupo Aviões do Forró e o início de seu voo como artista solo. Agora, ela lança seu primeiro projeto: o CD e o DVD "Sentimento de Mulher", gravados no Citibank Hall, em São Paulo. Mas a artista baiana não pisou no palco sozinha. Contou com a participação de amigos especiais, como Ivete Sangalo, Anitta, Gusttavo Lima e Claudia Leitte, entre outros famosos.

No DVD, Solange canta faixas conhecidas do púablico, como "Dona da Porra Toda", e não deixa de lado o suingue e o forró nas inéditas "Me Faça um Favor" e "Duas e Vinte e Três", dois carros-chefe do show. Já "Amei te Ver", de Tiago Iorc, ganha gingado e sanfona.

No palco, ela brilha com visual de diva. "Unhas, joias, brilho. Gostei! Não sei se vou continuar assim, ainda estou tentando me adaptar. A unha é o mais difícil. Menina, não dá nem para lavar as partes direito", diverte-se. "Não é que eu tenha mudado de estilo. A ideia é mostrar minha versatilidade", diz Sol, que quer despertar a curiosidade de quem não conhece seu trabalho. "O povo pira quando eu canto David Guetta. É o ponto alto do show!", diz ela, referindo-se ao famoso DJ francês.

Quando anunciou que deixaria o Aviões do Forró, após quase 15 anos na estrada, Solange só pensava em tomar para si o manche do seu avião. Ou seja: queria administrar sua vida e seu tempo. "Eu tinha o desejo de seguir carreira solo, mas as coisas precisam ser pensadas. Não dá para 'chutar o pau da barraca'. Ainda mais eu, que sou arrimo de família", diz a baiana de 42 anos, mãe de quatro filhos.

Apesar de ter decidido tudo com calma, Sol conta que fácil não foi. Mas diz que recebeu lindas surpresas pelo caminho. "Eu não tinha nada, mas Deus foi muito maravilhoso comigo. Ganhei equipamentos e instrumentos de vários amigos", diz ela, que herdou também a companhia de nove músicos com quem trabalhava no Aviões do Forró.

Mulher de fé, Solange diz que sua experiência na área religiosa é vasta. "Nasci e fui criada no catolicismo, mas, no decorrer da vida, fui conhecer outras religiões. Eu ia aonde me convidavam: centro espírita, de umbanda, igreja evangélica, seicho no ie. Isso serviu para eu chegar à conclusão de que Deus é um só", acredita.

Ter um namorado ao lado também a fez se sentir mais segura neste reinício de carreira. "Ele me deu a maior força. E olha que, naquela época, estávamos juntos fazia só 18 dias", conta ela, revelando que o compromisso agora já está bem mais sério. "Ficamos noivos. Ele me levou para a Argentina, fomos jantar, teve piano e tudo! Encontrei a pessoa com que sempre sonhei. Não a pessoa perfeita, porque perfeito ninguém é. Mas chegou minha vez. Eu era aquela que seguia o ditado 'enquanto não acho o certo, eu me divirto com os errados'", ri.

Compartilhar no
Fonte: Folhapress

É permitida a reprodução deste conteúdo (matéria) desde que um link seja apontado para a fonte!


Deixe seu comentário