• Curta Doar
  • Teresina 167 anos
  • Equatorial fullbanner
  • Casa dos salgados
  • Novo app Jornal O Dia

Anitta precisou ensinar português para Madonna

A cantora internacional fará uma participação no novo trabalho da funkeira

20/04/2019 13:14h

Pouco depois das 19h de uma véspera de feriado, quinta-feira (17), Anitta ainda estava cumprindo sua agenda de entrevistas na TV para a divulgação do álbum "Kisses" quando nos encontramos na saída do set de gravação do SBT. Ela havia terminado de gravar o "Programa da Maisa", que vai ao ar no dia 11 de maio, também com a participação de Marcelo Tas.

Como Anitta sempre tem novidades e conversar com ela é um prato cheio, a abordei para saber como está a repercussão de seu novo trabalho – um disco com dez novas faixas audiovisuais e inúmeras participações, entre elas destaque para Snoop Dogg e Ludmilla em "Onda Diferente" – e também sobre um dos feats mais esperados do ano, com Madonna, cantando em português no funk "Faz Gostoso".

O papo contou com revelações da intimidade que Anitta teve com Madonna, inclusive ensinando a "rainha do Pop" e corrigindo – olha que poder – suas palavras em português. Ainda sobre trabalho, a cantora adiantou que está ansiosa para o show no Rock in Rio, mas que este não será o mesmo show que ela rodará em turnê.

Por fim, é claro, uma pergunta descontraída: está namorando o Gabriel Medina?


Leia abaixo minha conversa com Anitta:

Soube que você usou uma saia sob medida para o programa da Maisa. É verdade?

É, para não subir. É que eu tenho algo 'avantajado' aqui atrás, o bumbum, né? Aí fiz um esquema de ter uma saia por baixo e ela não sobe, risos.

Vamos falar de "Kisses". Algo no álbum te surpreendeu depois de lançado? E o que você já sabia que daria certo?

A música "Rosa", que eu fiz com o Prince Royce, me surpreendeu. Ela é uma das favoritas e eu não esperava. Pensei que a galera ia escutar, claro, mas não esperava que estivessem gostando tanto. E o que eu já esperava sucesso é "Onda Diferente". Sabia que ia dar certo. Minha surpresa com essa música foi a entrada do Snopp Dogg. Essa já seria minha canção com a Ludmilla, mas esperamos ele ter agenda e rolou de conseguirmos os três no estúdio.

Esse encontro vai rolar também no palco em algum momento?

Espero que sim. Estive com o Snoop Dogg e ele me pediu para vir ao Brasil em uma determinada ocasião. Espero que dê tudo certo e a gente consiga unir os três no palco. Mas não será no Rock in Rio.

E por falar no Rock in Rio. Já começou a pensar no show? Será um show para iniciar uma turnê?

Não sou a artista principal do dia que eu me apresento, por isso tenho que respeitar algumas restrições. Deixa eu explicar. A pessoa que fecha a noite é quem comanda como será o palco, as demais vão se adaptando ao show anterior. Não posso fazer o que quiser. Tenho as minhas limitações. Por isso será um show especial para o Rock in Rio e não algo para rodar o mundo comigo. De repertório, balé e figurino posso fazer o que quiser e farei o meu melhor.

Como foi a sua reação ao ouvir pela primeira vez a participação no álbum com a Madonna?

Chorei muito. Era um choro para tudo. Uma emoção por milhares de motivos. Primeiro por estar com ela, ser reconhecida e ter sido convidada. Segundo por ser uma música em português. E terceiro por ser um funk. Isso representa muito. Muitas pessoas do movimento funk irão se beneficiar comigo.

Ela canta em português?
Canta e eu tive que treiná-la, risos. Ela está morando em Portugal, mas é diferente. Tive que estar lá no momento que ela gravava para dizer: 'Ó, essa palavra pronuncia assim ou assado'. E era horrível. Ela me falava: 'Se eu fizer errado me corrige'. E eu pensava: 'Como é que vou corrigir essa mulher?'. Foi tenso, mas incrível.

A Madonna que te ligou para falar da música?

Foi. Estava nos Estados Unidos na casa de uma amiga. Não achei que era trote só porque foi uma chamada de vídeo, mas, com certeza, fiquei no chão. Fingi tranquilidade, mas estava de verdade nervosíssima. Quando desligou eu me joguei no chão e gritei. Ela chegou até mim por conta de um amigo meu que é amigo dela e que eu conheci por meio da Marina Morena, que trabalha comigo. E, nessa pesquisa para escolher quem colocaria no álbum, falaram o meu nome.

Quando soube que você ia lançar dez clipes no mesmo dia, falei: 'Isso é insano'. E você me respondeu: 'Calma, estou em busca do meu objetivo'. Qual é o seu objetivo?

Todos os sonhos que tive na minha carreira já realizei. Queria ser conhecida no mundo todo, pelo menos por grandes pessoas da indústria da música, e isso aconteceu. Queria levar o funk para outro patamar, e isso aconteceu. Agora estou testando coisas e se der certo, maravilha. Mas se não der, tudo bem. Tenho 26 anos e se olhar tudo que já fiz, é muito além do que eu poderia imaginar. As pessoas me cobram sempre mais resultado, mas tenho na minha cabeça que tudo que eu fiz é inacreditável e que eu tenho crédito para não fazer nada, se não quiser, até os meus 30 anos.

Você ainda sente frio na barriga por algo?

Sinto né. Por exemplo quando eu encontrei o Snoop Dogg. Estava nervosa. Agora a gente já é íntimo, mas as primeiras vezes foram tensas. Encontrar a Madonna também. Ainda bem que ela chegou depois de mim (no estúdio), porque fiquei uns vinte minutos no banheiro. O Rock in Rio, provavelmente, também me dará frio na barriga.

E o seu cachorro Plínio, foi vítima de haters? O ódio está se propagando mais na internet?

É a internet, né? Nem dou relevância. Ainda bem que meu cachorro não entende nada, ele segue a vida e eu também.

Para encerrar, você está namorando o Gabriel Medina?

Ai meu Deus. Tchau. Não, estou solteira.

Achei que vocês estivessem ficando ainda. Não?

Namorando e ficando são palavras diferentes. Agora tchau!

Fonte: Uol

Deixe seu comentário