Alexandre Nero avalia censura na novela 'Império

"Pra mim a programação da emissora é altamente familiar", diz.

13/09/2014 09:15h

Compartilhar no

Alexandre Nero, protagonista da novela das nove, "Império", rebateu as críticas sobre possíveis cenas impróprias exibidas na trama de Aguinaldo Silva. Em entrevista para a edição de setembro da revista "Rolling Stones", o ator comentou sobre a censura que os folhetins têm sofrido ultimamente.

"Pela Globo, ela quer fazer o que o público quer ver. O público é pé atrás. A gente convive num universo completamente diferente da grande e avassaladora maioria do povo brasileiro", pontua o artista, que revela o feedback das ruas sobre "Império".

"Eu ouço isso diariamente dos motoristas de táxi: 'A Globo só faz novela com viado agora, hein, pô!' Ontem eu parei para comer um cachorro-quente e a mulher falou: 'Ei, a Globo tá com muita pornografia'. Onde? Pra mim, a programação da emissora é altamente familiar", avaliou o ator, sem considerar o horário das onze, no qual as novelas têm mais liberdade, como é o caso de "O Rebu", que contou com cenas quentes e de nudez.

Alexandre também confessa que se censura 90% das vezes. "As pessoas não conseguem entender o cinza, é tudo preto ou branco. O artista faz um personagem mau, então ele é mau. O artista faz um personagem bom, ele é bom. ‰ tudo preto e branco, é tudo bipolaridade, não existe colorido no meio", comentou ele, que afirma colocar suas ideias censuradas em suas músicas, peças de teatro e livros.

Já sobre o convite feito pelo autor para protagonizar a trama com o papel de José Alfredo, o ator é só elogios. "Ele resgatou uma coisa que a dramaturgia tinha perdido. Entramos num caminho em que os protagonistas eram sempre bonitos, lindos, perfeitos, maravilhosos e bonzinhos", criticou o galã.

Bem enfático ao ressaltar que não é muito fã dos protagonistas politicamente corretos, o artista de 44 anos disparou: "Eu não gosto da palavra bonzinho. A palavra bom é bem diferente de bonzinho. Para você combater o mal, você tem que ser bom. E bom é forte, é porrada, entendeu? Porque para passar a perna no mal, você precisa ser bom. O Zé Alfredo é bom, mas não é bonzinho. Ele tem seus problemas, seus defeitos. Ele não toma tapa na cara e vai chorar com a mãe. Ele toma tapa na cara e dá outro", explicou.

É permitida a reprodução deste conteúdo (matéria) desde que um link seja apontado para a fonte!

Compartilhar no
Fonte: Msn

Deixe seu comentário