Psiquiatras se revoltam com a novela “Amor à Vida”

Segundo a declaração, o método ao qual a personagem tem sido submetida na clínica em que aparece internada 'não corresponde à realidade'

08/09/2013 08:32h

Compartilhar no

A Associação Brasileira de Psiquiatria (ABP) divulgou uma nota de repúdio à novela 'Amor à Vida', da TV Globo, reclamando da forma como a trama de Walcyr Carrasco tem mostrado o tratamento de Paloma (Paolla Oliveira).

Segundo a declaração, o método ao qual a personagem tem sido submetida na clínica em que aparece internada 'não corresponde à realidade'.

O texto ainda explica que o eletrochoque é 'um procedimento seguro, eficaz e indolor', diferente do que tem sido retratado na novela de Walcyr Carrasco.

A entidade ainda reclama que a psiquiatra do folhetim deu um diagnóstico baseado em “achismo” e que isso pode reforçar a “psicofobia” da sociedade, descrita como um preconceito contra os portadores de transtornos e deficiências mentais.

Essa não é a primeira vez que o autor irrita uma classe profissional. Enfermeiros já se queixaram ao Conselho Regional de Enfermagem do Rio de Janeiro pelo fato de a enfermeira Perséfone dar em cima de toda a equipe do Hospital San Magno.

Fora isso, ex-Chacretes ameaçaram processar a TV Globo e o autor da trama porque a personagem de Elizabeth Savalla, que é uma ex-assistente de palco de Chacrinha, disse que foi garota de programa quando trabalhava na atração.

Compartilhar no
Fonte: MSN

É permitida a reprodução deste conteúdo (matéria) desde que um link seja apontado para a fonte!


Deixe seu comentário


Notícias Relacionadas