Festas juninas: fogueiras, alegria e cores em um misto de profano e religioso

Segundo relatos bíblicos, a fogueira foi usada para anunciar o nascimento de São João Batista, no dia 24 de junho.

25/06/2017 12:02h

Compartilhar no

Muitos são os itens que estão presentes nas festividades juninas: bandeirolas, comidas típicas, danças, roupas e, claro, a fogueira. Cada um desses elementos são aspectos facilmente associados quando se trata das comemorações do mês de junho. Mas muito mais que uma festa, as tradições juninas, para os católicos, significa uma reafirmação de laços de fé. Neste dia 24, é celebrado o Dia de São João, em referência ao nascimento de João Batista.
Imagem de São João Batista em igreja que o homenageia (Foto: Elias Fontinele / O DIA)

Para os católicos, a fogueira é símbolo de um acordo entre as primas Maria, a mãe de Jesus, e Isabel. Isso porque, nos relatos bíblicos, a fogueira está relacionada ao nascimento de São João Batista, já que, como contam os católicos, foi iniciativa de Santa Isabel acender uma fogueira para avisar a Maria, mãe de Jesus, do nascimento de seu filho, João Batista, no dia 24 de junho.

O pároco da Igreja João XXIII e São João Batista, Antônio Carlos Nogueira, o padre Carlito, explica os aspectos que envolvem a comemoração do nascimento de São João para os cristãos. “A fogueira era uma maneira de avisar algo que acontecia naquele tempo. Por isso, as festas juninas também significam a alegria do nosso povo em festejar o nascimento de João Batista. Ele, que orienta o povo a se converter, São João convidada o povo para um batismo de conversão, mudanças de vida”, destaca o religioso.

O padre lembra que a atmosfera de festa junina, de alegria, brincadeira, é muito importante, no entanto, ela também convida para uma reflexão maior. “São João é o exemplo a ser seguido, porque ele convida para transformação. Ele aponta para Jesus Cristo e, na história da salvação, a gente sabe que São João tem esse aspecto fundamental”, esclarece. 

Concursos de quadrilhas, comidas típicas, shows de forró e muitas outras atrações marcam as festas juninas em todo o Nordeste (Foto: Jailson Soares / Arquivo O DIA)

Segundo a tradição popular, no mês festivo, cada santo tem uma fogueira, sendo a quadrada de santo Antônio, a redonda de São João e a triangular de São Pedro. Mas há também o aspecto pagão das festividades juninas. A fogueira simboliza a proteção dos maus espíritos, que atrapalhavam a prosperidade das plantações. A festa realizada em volta da fogueira é para agradecer pelas fartas colheitas. Além disso, como a festa é realizada em um mês considerado frio, serve para aquecer. 

Antes da evangelização da Europa, na Idade Média, as fogueiras também eram utilizadas em que celebravam a chegada do solstício de verão no Hemisfério Norte. Como uma maneira de dar novo significado às práticas pré-cristãs, a exemplo dos cultos solares e lunares relacionados à vida agrícola, o dia 24 de junho foi incorporado ao calendário cristão, como comemoração ao nascimento de São João Batista. 


A íntegra desta reportagem especial pode ser lida na edição deste fim de semana do jornal O DIA.

Compartilhar no
Fonte: Jornal O DIA
Por: Glenda Uchôa

É permitida a reprodução deste conteúdo (matéria) desde que um link seja apontado para a fonte!


Deixe seu comentário


Notícias Relacionadas