Ney Matogrosso desce do palco e fica perto do público

Artista comemora 40 anos com o show "Atento aos sinais"

30/01/2014 09:56h - Atualizado em 01/02/2014 00:26h

Compartilhar no

Na última música, Ney Matogrosso surpreendeu a todos e mostrou porque é um artista tão impressionante. Ao som de "Ex-amor", ele desceu do palco e ficou junto ao público. Os fãs, claro, não perderam a oportunidade de abraçar o ídolo ou pelo menos chegar mais perto dele. 

Fotos: Jailson Soares/O Dia

O público está impressionado com o show que Ney Matogrosso apresenta no Theresina Hall. Com uma disposição invejável, o artista mostra que nem é preciso conhecer todas as músicas, inéditas nessa nova turnê. Basta sentir a energia emanada pelo cantor, seguir o ritmo e aproveitar a qualidade do som e do espetáculo. Impossível ficar parado.

Atualizada às 00h

Eram exatamente 23h quando Ney Matogrosso arrancou aplausos do público do Theresina Hall. Com um figurino exuberante, que a iluminação especial do espetáculo ajuda a ficar mais reluzente, ele iniciou o show dizendo, através do seu canto, que "todo mundo tem direitos iguais".

A música Rua da Passagem (Trânsito) é uma composição de Lenine e Arnaldo Antunes. Logo em seguida, o artista relembrou um sucesso de Cazuza e o público ajudou a cantar "Vida Louca Vida".

Atualizada às 23h

A expectativa do público para o show "Atento aos Sinais", de Ney Matogrosso só aumenta. Todos querem conferir as novas músicas, o cenário e, claro, a performance desse grande artista. A maioria das pessoas que estão no Theresina Hall, hoje, são antigos fãs do cantos.

Silvana Sales veio com a irmã, Selena Sales. "Eu gosto do Ney Matogrosso desde o tempo da banda Secos e Molhados", conta Silvana. Teresa Cristina Leite aproveitou para trazer a mãe. "Quero muito conhecer as novas músicas e admirar a expressão corporal dele", disse.

Quem também veio com a família foi Débora Jocham, que trouxe os sobrinhos. "É uma grande responsabilidade essa minha. Nós somos de gerações diferentes e eu arrastei todos eles porque sei que vão gostar bastante", afirmou a catarinense que há um ano mora em Teresina.

Atualizada às 22h45

Não demora muito para o Theresina Hall estar completamente lotado de fãs ansiosos pela subida de Ney Matogrosso ao palco. O público começa a chegar e já aproveita o som de Roraima com a sua banda. O show Atento aos Sinais começa logo depois das 22h. 

Atualizada às 21h30

A turnê era a de Beijo Bandido, o ano 2009, e Ney Matogrosso já pensava no que viria em seguida. “Estava fazendo um trabalho introvertido e sabia que o próximo seria mais pop, com guitarras, banda. É uma coisa que eu gosto de fazer: um projeto pra dentro, outro pra fora”, define o artista, em tudo superlativo. Mais de 30 discos lançados, 40 anos de carreira, Ney está sempre à frente, muitos passos adiante.

Definido o repertório, a turnê de Atento aos Sinais fez sua pré-estreia em fevereiro de 2013, em Juiz de Fora. Figurinos exuberantes, projeções, painéis de LED e a pegada pop rock de uma banda afiadíssima. Sucesso arrebatador de crítica e público, com ingressos esgotados a cada nova apresentação, a turnê transforma-se agora no CD de mesmo título, lançado pelo Natura Musical e a Som Livre.

O projeto da turnê em comemoração aos 40 anos de carreira do artista e a gravação do CD foram selecionados pelo edital Natura Musical para receber o patrocínio do programa. “A proposta de patrocínio da turnê e gravação do CD foi percebida como uma oportunidade de contribuir para a realização de um projeto emblemático de um grande ícone da música brasileira e favorecer a circulação do show pelo país a preços mais acessíveis”, explica Fernanda Paiva, gerente de Apoios e Patrocínios da Natura. “Ney Matogrosso é um artista único e temos uma admiração enorme por sua capacidade de inovar”, acrescenta.

O nome do CD veio da audição da música “Oração”, de Dani Black: “Eu achei interessante. Achei que era muito conveniente nesse momento em que nós vivemos. Eu sou atento aos sinais, à vida, às pessoas, eu presto atenção. Teve gente achando que era sobre o fim do mundo”.  Assim como o próprio Dani Black, o repertório de “Atento aos Sinais” é calcado em artistas do universo indie brasileiro. Nomes como o rapper alagoano Vitor Pirralho, que Ney conheceu em 2009, a banda paulista Zabomba, o grupo carioca Tono, além de Criolo, Alzira Espíndola e Dan Akagawa.

O repertório que Ney selecionou traz ainda canções de Pedro Luís, Itamar Assumpção, Lenine, Paulinho da Viola, Arnaldo Antunes e Vitor Ramil. “Procurei um repertório de gente nova e pincei músicas de compositores que eu achei que cabiam dentro desse contexto”. Das 19 canções do show, 14 foram registradas no CD, que tem arranjos e direção musical de Sacha Amback, seguindo o conceito de Ney de privilegiar compositores novos no CD.

“Os arranjos do disco são os mesmos, mas trabalhamos com muita liberdade. Algumas coisas surgiram em estúdio, alguns elementos eletrônicos, que agora estou levando para o show”. Além de Amback (piano, teclados), a banda é formada por Mauricio Negão (guitarra e violão), Marcos Suzano (programação rítmica, percussão), Dunga (baixo), Everson Moraes (trombones), Aquiles Moraes (trumpete e flugel) e Felipe Roseno (percussão).

Além da música, Ney tem aprofundado sua relação com o cinema. Personagem do curta “Olho nu”, documentário de Joel Pizzini sobre ele, Ney foi o protagonista de “Luz nas Trevas”, dirigido por Helena Ignez e Ícaro Martins, e fez uma participação em “Primeiro Dia de Um Ano Qualquer”, de Domingos de Oliveira. Ney Matogrosso também está no média-metragem “Poder dos Afetos”, também dirigido por Helena Ignez.

Faixas:

1) RUA DA PASSAGEM (TRÂNSITO) (Lenine/Arnaldo Antunes)

2) INCÊNDIO (Pedro Luís)

3) ROENDO AS UNHAS (Paulinho da Viola)

4) NOITE TORTA (Itamar Assumpção)

5) A ILUSÃO DA CASA (Vitor Ramil)

6) ORAÇÃO (Dani Black)

7) ISSO NÃO VAI FICAR ASSIM (Itamar Assumpção)

8) FREGUÊS DA MEIA NOITE (Criolo)

9) PRONOMES (Beto Boing e Paulo Passos)

10) BEIJOS DE IMÃ (Jerry Espíndola/ Alzira Espíndola/ Arruda/ Ney Matogrosso)

11) NÃO CONSIGO (Rafael Rocha)

12) TUPI FUSÃO (Vitor Pirralho)

13) SAMBA DO BLACKBERRY (Rafael Rocha/Alberto Continentino)

14) TODO MUNDO O TEMPO TODO (Dan Nakagawa)

Compartilhar no
Edição: PortalODia.com

É permitida a reprodução deste conteúdo (matéria) desde que um link seja apontado para a fonte!


Deixe seu comentário


Notícias Relacionadas