• Banner Cultura Governo do PI
  • Obras no Litoral Cultura
  • SOS Unimed
  • Novo app Jornal O Dia
Theresina Hall

Fagner apresenta hoje show ‘Quem me levará sou eu’ no Theresina Hall

Fás recordam momentos marcantes e emocionam o cantor, que recebeu o público em noite de autógrafo

09/11/2019 16:13h - Atualizado em 09/11/2019 16:33h

Aos 70 anos e 45 de carreira, o cantor e compositor Raimundo Fagner ainda se emociona com o carinho do público. O artista, que se apresenta às 21h de hoje no Theresina Hall, recebeu o carinho dos fãs em noite de autógrafo e pode ouvir algumas histórias bem peculiares de seus admiradores.

Uma delas é a da gerente em Recursos Humanos, Lucivanda Carvalho Melo (59). “Eu tenho um álbum com fotos do Fagner quando jovem e no começo da carreira. Da outra vez que ele esteve aqui em Teresina eu tive a oportunidade de mostrar para ele e autografá-las. Inclusive ele ficou muito impressionado por eu ter esses registros. Eu também tenho todos os discos de vinil dele e guardo com muito carinho”, conta.

Mas essa história de admiração começou ainda na adolescência, quando ouviu Fagner pela primeira vez. Desde então, o carinho de Lucivanda pelo artista cresce a cada dia e ela não perdeu a oportunidade de estar presente no evento e mostrar a coleção de discos do cantor que guarda com muito zelo.

Lucivanda Carvalho é fã de Fagner desde os 17 anos, quando ouviu uma música do artista pela primeira vez (Fotos: Elias Fontinele/ODIA)

“A primeira música que eu ouvi do Fagner eu tinha 17 anos, então todo disco que ele lançava eu comprava. Com o tempo, as pessoas passaram a associar ele a mim. Então, uma vez ele veio a Teresina, eu fui para o hotel, consegui entrar e bater na portar dele. Ele abriu todo enrolado em um lençol, porque estava dormindo. Foi muito simpático, disse que ia se vestir e me receberia em breve e assim fez. Eu mostrei meu álbum para ele, ele autografou e ficou muito encantado em ver que eu acompanho sua carreira”, conta Lucivanda Carvalho.

O estudante Flávio Soares (19) começou ouvir Fagner ainda na adolescência e não parou mais. Ele explica que nessa idade os jovens costumam optar por músicas mais atuais, mas, para ele, as canções do Fagner têm letras encantadoras e que emocionam.

“As letras são bonitas e fazem sentido. As músicas antigas são muito boas e a primeira vez que ouvi foi na sala de aula, apresentada por um professor. Fui pesquisar na internet, gostei e desde então eu virei fã. Nunca tinha tido a oportunidade de vê-lo pessoalmente e realizar isso foi um sonho. Estou muito feliz”, frisa Flávio Soares.


Para o cantor, ver os jovens acompanhando sua carreira e o público curtindo suas músicas é uma grande satisfação. “A maior parte dos meu trabalho foi feita quando éramos bem jovens, então é evidente que as pessoas jovens também se identificam. E essa parte do meu trabalho está recuperando justamente esse público mais jovem. E toda a poesia que apresentamos, trazemos uma gama enorme de grandes poetas e isso também é muito importante”, comenta.

Show

Para o show de hoje à noite, Fagner adianta que o público pode esperar um grande espetáculo, com interação dos fãs e músicos. “Temos um show bem maduro, com músicos experientes, repertório forte e um público muito participante, e isso é o grande diferencial do show. Nós tentamos mostrar uma coisa nova ou surpresa e a qualidade dos músicos e do show é o que faz a festa”, comenta. 

Por: Isabela Lopes

Deixe seu comentário